Zumo versus drivers: 1 x 0 (pros drivers)

Z

caça aos drivers para XP pode demorar…

Qual é o seu limite de paciência ao instalar um novo sistema operacional em um computador? Ou melhor, qual seu limite de paciência para caçar na internet os drivers que o fabricante não oferece em sua página oficial de suporte do produto – ou até estão lá, só que em outro hardware similar. Minha saga envolve instalar o Windows XP em um notebook Compaq Presario V6210BR, que veio com uma versão do Mandriva Linux como sistema operacional principal.

A idéia – bem-sucedida, por sinal – era instalar o Windows XP (jazia esquecida aqui em casa uma versão 2002 zerada, novinha em folha e sem NENHUMA atualização. Sim, eu sou um cara corajoso).

Depois de instalar o novo sistema operacional começa a minha paciente saga – e quero levantar a questão de como ficam compradores de PCs populares (de diversas marcas) que instalam um XP (legal ou ilegal) e não conseguem ajuda pra fazer seu hardware funcionar direito, independente do sistema operacional, sem ter vontade de sentar e chorar. Esse é o ponto que quero atingir neste texto.

A instalação do XP aconteceu até que de forma tranquila e rápida. Como eu sabia que esse XP zerado de atualizações seria um problemão, baixei direto o Service Pack 2 do site da Microsoft em outro computador. Instalei um antivírus decente, baixei 94 atualizações do XP depois disso (e pelo menos mais 18 depois até agora), fiz o notebook encontrar a rede wireless sem briga e pronto, o portátil estaria pronto para uso, na teoria.

Na prática, a história foi outra: o XP não reconheceu vídeo, placa de rede, som e inúmeros outros recursos. Como previsto, tive que caçar os drivers na unha (isso não me surpreendeu). Alguns outros, como os do barramento USB e do drive combo, foram reconhecidos automaticamente pelo sistema operacional.

A HP, fabricante do Compaq V6210BR, fez um trabalho razoável para informar o usuário em seu site de suporte. Tem uma seção de drivers e downloads com drivers e software para o Vista, XP e até Windows 2000. Fui direto no do XP. A lista traz:

  • drivers de rede sem fio (Broadcom) e duas versões do HP Wireless Assistant;
  • drivers de teclado, mouse e dispositivos de entrada (incluindo um bizarro driver para sintonizar TV digital em padrão europeu, o que não é o caso de uma máquina feita pro mercado brasileiro);
  • uma atualização da BIOS (a que estava no notebook era mais recente);
  • software de suporte a gravadores com LightScribe, centro de ajuda e suporte e atualização de software HP.

OK, olhando a lista acima faltam três coisas importantes, não? Bingo se você chutou vídeo, som e rede local. Como uma página de drivers do fabricante não fornece essas inforamações direto ao consumidor? Ficaria eu condenado a uma tosca resolução de 800 x 600? Não, é óbvio.

Fui ao Google. Achei um fórum com outros donos de V6210BR com o mesmo problema. Felizmente, a resposta estava lá e me levaria de volta ao site da HP. O driver de vídeo (o chipset e a controladora de vídeo são Nvidia) é o mesmo de outro modelo da HP, o Pavillion DV6110. E ali estava o driver desejado.

Resolver o problema de som foi mais fácil. Voltei à página inicial de suporte do V6210BR e, ao lado, no item “boletins e alertas”, existe um link para download dos drivers de som. Funcionou.

Até hoje cedo, três pontos de interrogação me questionavam quando abria o gerenciador de hardware do XP. Nagano me deu a dica: baixa um driver geral da Nvidia, já que o chipset é deles. Instalei e duas interrogações sumiram – e até a porta de rede local começou a funcionar. Agora um último item de hardware (o co-processador) continua a me assombrar com sua interrogação, sabe-se lá até quando (se alguém souber qual é o driver, por favor, mande a dica nos comentários).

O HP V6210BR está totalmente funcional agora, depois de umas 15 horas dedicadas a formatar, instalar sistema operacional e literalmente caçar drivers.

A crítica aqui não é apenas para a HP. Ela poderia reunir todos os drivers em uma página só, consolidando a informação para seu comprador. Se os fabricantes de computadores pensassem em manter seu cliente feliz, seria extremamente eficiente se eles centralizassem a informação em um só lugar – mesmo que apenas meia dúzia de clientes realmente faça uso deles, sem precisar perder horas e horas caçando drivers. Eu – e a maioria dos leitores deste Zumo também – sei o caminho das pedras para me virar e descobrir os locais certos para download.

Imagine como fica o coitado que comprou um PC popular em 24 parcelas e quer porque quer usar Windows? Se depender dos fabricantes de hardware, ele está frito.

Henrique comenta: Falei com o pessoal da Positivo agora. Todas as máquinas (com Linux ou Vista) vêm com um CD de drivers pro XP. HP, que tal seguir o exemplo?

***

Sobre a máquina, algumas boas considerações. O HP Presario V6210BR tem uma configuração simples e básica (processador AMD Mobile Sempron 3500+ 1,8 GHz, tela de 15,4 polegadas widescreen, 60 GB de HD, 256 MB de RAM, Nvidia GeForce Go 6150, drive combo, wireless e slot ExpressCard). Coloquei mais RAM (só 256 MB ninguém merece!) e a máquina está ótima para navegar na internet, escrever textos, ver fotos e ouvir músicas.

Gostei bastante da tela e do som – depois de estarem em pleno funcionamento, claro. O XP roda bem com 512 MB de memória (facílima de instalar, por sinal). Pacote básico de software: Firefox, iTunes, Windows Media Player 11, DivX Player e pacote Lotus Symphony de escritório (até desnecessário, pois a nova dona quer tentar viver de Google Docs por um tempo). Não usei o note fora da tomada por um longo período, mas tive a impressão de que a bateria vai embora rápido.

Breve resumo de por que fui do Mandriva para o XP: desisti do Mandriva quando pediu senha de administrador ao acessar a rede sem fio, sem que o guia rápido (ou qualquer outro lugar) informasse qual é a senha – caso você não saiba, é Mandriva, descoberta depois de umas cinco tentativas (nota-se que o sistema é muito amigável ao usar o termo “root” em uma máquina com foco em mercado emergente). E o CD do Ubuntu travou várias vezes quando tentei instalar.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos