Estabilizador e filtro de linha reinam no mundo das tomadas

E

raios!

E saiu o resultado da primeira pesquisa Zumo de opinião dos leitores. Perguntamos como eles se comportam na hora de proteger seus computadores e eletrônicos de consumo ao ligá-los na tomada. Usam estabilizador? No-break? Ou não usam nada? Eu, paranoico, uso um no-break no PC e, quando chove forte, desligo tudo da tomada.

Em seis dias no ar, obtivemos 411 respostas dos leitores (obrigado a todos que responderam!) no que chamamos pelo codinome “pesquisa Zumo de no-breaks“.

Em resumo, o filtro de linha é o rei da proteção entre os eletrônicos (TVs, home theaters etc.) e o estabilizador leva esse título para o computador. Em ambas as categorias de produto, o uso de no-breaks fica abaixo dos 30% nos PCs e apenas 8% nos eletrônicos.

grafico_01

Na pergunta “como você conecta seu computador à rede elétrica?”, 11% das respostas foram “direto na tomada”. 29% dos respondentes disseram usar um no-break, outros 40% adotam o filtro de linha e a grande maioria (55%) aposta no velho e bom estabilizador (a soma dessa questão pode dar mais de 100%, já que era possível escolher mais de uma opção).

grafico_02E são conscientes nas respostas: 90% dos leitores se dizem preocupados com a segurança da rede elétrica das suas casas e outros 99% afirmam saber que a oscilação na energia pode trazer problemas e danificar seus equipamentos.

Além disso, 51% dos respondentes dizem ter tomadas aterradas em casa, mas 45% têm certeza de que a instalação foi feita corretamente. Outros 23% informam que suas tomadas com fio-terra não estão aterradas, e os demais 32% não sabem se o aterramento foi feito ou não (o que é um problema… para seu eletrônico, certo?). Ainda no tema “tomadas”, 77% dos leitores dizem estar informados sobre a existência de um novo padrão brasileiro de tomadas. Os 23% que não sabem podem descobrir no texto do Nagano, tá?

Questionamos também ao leitor do Zumo como (e se) ele protege outros equipamentos eletrônicos de casa – TV, som, home theater, entre outros. Mais da metade (53%) das respostas indicam nenhuma proteção (pô, gasta uma grana na TV full HD e nem pensa que ela pode “queimar” na primeira chuva?). Nesse ponto de vista, o item mais protegido são as TVs LCD (24% das respostas), seguido por sistemas de som (19%), home theater (18%), outros (15%) e TVs de plasma (6%) – essa questão também era de múltipla escolha.

Você protege outros eletrônicos?

E o que usam para proteger (os poucos que protegem)? Filtro de linha é o campeão (43% das respostas), seguido por 18% do estabilizador e 8% dos no-breaks. Quem não usa nada vai direto para a tomada, claro.

Como protegem outros eletrônicos?

Curiosamente, o pessoal se preocupa com as oscilações na rede elétrica, mas não sabe o preço médio dos equipamentos. Uma busca rápida na web mostra estabilizadores abaixo dos 100 reais e no-breaks com variações enormes (de 170 reais a mais de 1.000 reais). Justifico com as respostas das intenções de gastos para proteger seus eletrônicos:

intenção de gastosAs respostas indicam que o bolso não está muito aberto para gastos com proteção: 60% das respostas pretendem gastar menos de R$ 300; 29% entre R$ 300 e R$ 500 e apenas 11% acima de R$ 500 com equipamentos desse tipo.

Perguntamos também quais as marcas utilizadas em estabilizadores e no-breaks para os nossos leitores:

Popularidade de marcasTirando o grande salto de respostas “não tenho” para os dois itens, nos no-breaks as marcas mais conhecidas são APC e SMS  (15% e 14% das respostas, respectivamente). Em estabilizadores, a SMS lidera com 27% das respostas, mas a APC pode atingir até 16% de participação se somarmos sua fatia do bolo (8%) com a fatia da Microsol (outros 8%), recém-adquirida pela empresa. Em no-breaks, a Microsol obteve apenas 1% das respostas.

Ah, sim, não nos surpreendemos ao descobrir que 90% das pessoas que responderam ao formulário são homens (poderia fazer várias piadas machistas aqui relacionadas ao tema da pesquisa, mas deixa pra lá!). No geral, 32% dos leitores têm entre 19 e 25 anos, 42% ficam entre 26 e 35 anos, 12% estão na faixa dos 36-40 anos e 9% dos leitores têm mais de 41 anos. E só 5% têm 18 anos ou menos.

De novo, agradeço a todos que gastaram 5 minutos respondendo ao questionário e, em breve, coloco mais uma Zumo-pesquisa no ar.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos