ZTOP explica: Como identificar um Core iX de 3a geração?

Z

Ao contrário do que aconteceu na época da transição dos processadore Core iX (embaixo) de primeira geração (Nehalem) para o de segunda (Sandy Bridge),a Intel não vai mudar o selo do produto com a nova geração Ivy Bridge.  Essa informação foi confirmada por fontes do mercado local que informam que, no máximo, o pessoal de Santa Clara irá colar uma etiqueta do tipo “Novo Modelo!”  nas embalagens dos seus novos chips.

Assim, a maneira mais simples e garantida de diferenciar o Ivy Bridge do Sandy Bridge é ver o número de modelo (Model Number) do processador, aqueles quatro dígitos que identificam as especificações do processador logo após o iX.

Segundo o sistema de identificação de processadores da Intel, Core é a marca do produtoi3, i5 e i7 é o seu diferenciador (Brand Modifiers), seguido pelo número do modelo. Desde o Sandy Bridge,esse indicador passou de três para quatro dígitos, sendo esse novo número (mais à esquerda) sendo usado para identificar a geração do produto (Gen Indicator).

Assim, como já vimos no post do lançamento desse novo chip, todos começam com o dígito 3 (de terceira geração — duh!)

E por que isso ocorre?  Meu palpite é que devemos olhar para o passado. Até então, a mudança do selo só ocorre a cada dois anos, época em que a Intel introduz uma nova microarquitetura, ou ano “Tock” segundo o seu calendário tiquetaqueano. Foi assim na transição do Nehalem para o Sandy Bridge e — na teoria — deverá ocorrer quando o Haswell for oficialmente anunciado em 2013.

Assim a transição do Sandy Bridge para o Ivy Bridge deveria ser apenas no seu processo de fabricação de 32 nm para 22 nm (ano “Tick”), mas com a introdução de novas tecnologias — em especial dos transistores trigate e a nova aceleradora gráfica HD 4000 — houve uma mudança tão significativa na sua microarquitetura que justificou chamá-la de nova geração — o que não foi o caso do Nehalem para o Westmere. Isso causou uma singularidade tecnológica que levou a empresa a chamar esse passo de ano “Tick Plus”  já que o próximo ano Tock já está reservado para o Haswell e com ele, um novo selo de identificação (?)

Por enquanto, melhor ficar de olho no número de modelo do processador para ter certeza do que está comprando.

Capisce?

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos