ZTE no Brasil: uma resposta

Z

Na virada do ano, o Cesar do @pinguinsmoveis me avisou que estava na Anatel uma bateria do smartphone ZTE Blade 3 Lite.

Ontem o Insira Ficha mostrou que o aparelho completo passou pela agência reguladora tendo a Multilaser envolvida no processo de homologação. E aí Multilaser, como é essa história?

Perguntei para o pessoal de comunicação da Multilaser como era essa parceria e se a Multilaser iria representar a ZTE por aqui.

A resposta oficial foi:

“Desde de 2017 a Multilaser tem uma forte parceria com a ZTE voltada a Telecom no segmento de provedores de internet e fibra ótica.

Em razão desta parceria e da grande expertise da Multilaser na produção de produtos eletroeletrônicos, a empresa vem produzindo localmente muitos dos produtos que dão acesso à internet de alta velocidade para milhares de pessoas em todo o Brasil.

Neste caso, a Multilaser foi contratada pela ZTE para fazer a produção local de um aparelho visando atender um compromisso específico firmado diretamente pela ZTE.”

Na prática, o que isso significa?

Que a ZTE usa a Multilaser como unidade fabril (no regime ODM) no Brasil. A marca brasileira só fabrica os smartphones e tá bom.

Se a ZTE não fez nenhum barulho com o lançamento ou chegada (de novo) ao Brasil, tudo bem. Vale lembrar que no passado distante de 2011 a ZTE vendeu smartphones Android no mercado local em parceria com a operadora Vivo (foi ela que trouxe um dos primeiros aparelhos Android com Dual-SIM).

E se você fizer uma busca simples no Google vai ver que o ZTE Blade 3 Lite é um modelo de entrada com preço médio de R$ 500 no varejo online brasileiro (não tenho como afirmar se é o oficial fabricado aqui ou via marketplaces do Paraguai/Shenzhen)…

…e que o site global da ZTE indica que ao menos existe uma assistência técnica da marca em São Paulo (apesar de o mapa não carregar):

Pronto, mistério resolvido. E assim a Multilaser segue firme e forte com seus smartphones interessantes.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o criador do ZTOP e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

+novos