ZTOP+ZUMO 10 anos!

Zenfone 5: Como o filtro de desfoque da câmera melhorou (e muito) oferecendo mais com menos

Recurso antes totalmente automático do  Zenfone 5 agora permite o ajuste manual, possibilitando assim criar uma imagem mais ao gosto do usuário do que da câmera propriamente dita.

Presente desde a primeira versão do Zenfone 5 de 2014, o chamado modo de Profundidade de Campo era um curioso filtro de imagem que procurava reproduzir um fenômeno fotográfico conhecido como bokeh, ou seja, o desfoque do fundo da imagem com o objetivo de destacar algum detalhe da cena, como uma pessoa, flor, inseto, etc.

Normalmente esse efeito é obtido com o uso de objetivas capazes de trabalhar com zonas de foco bem limitadas como teleobjetivas ou até lentes normais com grande abertura focal, caso do exemplo abaixo fotografado com uma Гелиос 44-2 58mm/f2 fabricada em Minsk na Bielorússia pela MMZ (Минского Механического Завода) atual Belomo:

já para obter esse mesmo resultado com uma câmera de celular, o Zenfone 5 e 6 tiravam duas fotos iguais e em sequência — só que uma em foco…

… e outra sem — sendo que depois elas eram combinadas digitalmente obtendo-se assim um o efeito desejado:

Para a sua época esse filtro foi uma grande façanha de engenharia do pessoal da Asus, só que ele não era perfeito. Isso porque o tema e/ou o fotógrafo não podiam se mover entre a primeira e a segunda imagem sob o risco das fotos perderem o alinhamento prejudicando assim o efeito.

Fora isso, o algoritmo que fazia a fusão das imagens muitas vezes não conseguia identificar “aberturas” no assunto, de modo que essas zonas abertas onde o fundo era visível as vezes não eram desfocadas:

Com o passar do tempo e a evolução da tecnologia, o problema da captura de imagens foi resolvida com a chegada das câmeras com duas objetivas que são capazes de tirar a imagem focada e desfocada ao mesmo tempo.

Já o problema da aplicação do filtro de desfoque, até pelo menos no Zenfone 4 foi meio que uma loteria, já que o resultado poderia ser impressionante…

… ou nem tanto diga-se de passagem:

Isso porque esse processo era meio que automatizado, ou seja, você tirava a foto e o programa fazia o resto. E se você não gostou do resultado, das duas uma: Ou sentava no chão e chorava ou tentava tirar outra foto para ver se o algoritmo mudava de idéia e fazia algo diferente dessa vez.

Como já disse David Hill ex-Chief Design Officer da Lenovo e nosso design guru favorito numa entrevista para este ztop+zumo “IA é algo muito bom, mas desde que o sistema se comporte de acordo com o esperado“.

E até por causa disso, eu meio que ignorei desse recurso no Zenfone 2, 3 e 4 até começar a brincar com analisar a nova câmera do Zenfone 5, e qual foi minha surpresa ao notar que o antigo modo Retrato do Zenfone 4…

… voltou a se chamar Efeito de Profundidade de Campo e — para mim o mais interessante — agora vem equipado com um controle de ajuste de intensidade do efeito (uia!)

Com isso é possível controlar o nível de desfoque da cena em pelo menos 8 níveis diferentes na escala de aberturas focais — f/22, f/16, f/11, f/8, f/5.6, f4, f/1.4 e f/0.95 — ou seja, na sua menor abertura (f/22) o efeito é quase que imperceptível…

… se comparado, por exemplo, com o filtro desligado:

Mas a medida que “abrimos a abertura” para um valor maior como f/2.0 já é possível notar uma boa diferença…

… sendo que o efeito máximo é obtido em f/0.95 apesar de notarmos uma leve perda de nitidez na imagem:

Dai achamos que o ajuste ideal desse efeito é f/1.4…

…que mantem boa parte da nitidez da imagem original:

Notamos também que o algoritmo de fusão das imagens melhorou bastante, mas ainda não é perfeito, apresentando algumas falhas. Note por exemplo, essas pontas de cabelo na imagem original…

… que somem parcialmente no ajuste de f/1.4…

… e praticamente desaparecem em f/0.95:

Apesar disso, para nós no geral, trata-se de um grande avanço de comparado com as implementações anteriores, já que finalmente o usuário assume o controle sobre esse efeito, permitindo assim tirar proveito do mesmo da maneira que ele achar mais adequado.

Legal né?

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.