ZTOP+ZUMO 10 anos!

Zenfone 5: Torne suas fotos mais interessantes com a espiral de Fibonacci

Ferramenta de enquadramento disponível da câmera do Zenfone 4 e 5 permite compor imagens usando os princípios da proporção áurea.

Estava eu brincando com a câmera do novo smartphone da Asuso Zenfone 5 — quando eu notei algo diferente que me chamou a atenção no seu menu de configuração, ou mais exatamente em Configurações -> Linhas de grade:

Para quem nunca foi apresentado, as Linhas de de grade funcionam como referências visuais que ajudam o fotógrafo a melhorar o enquadramento das suas fotos, evitando por exemplo que elas fiquem tortas e/ou coisa do tipo. De fato a câmera do Zenfone 5 oferece a grade mais popular de todas — que ela chama de 3×3

… que é muito usada em uma técnica batizada de regra dos terços:

Porém o que me chamou a atenção é que ela agora também oferece mais duas grades batizadas de Espiral de Fibonacci (esquerdo)

… e Espiral de Fibonacci (direito):

Para quem nunca foi apresentado, a espiral de Fibonacci é uma figura que surge quando construímos uma série de quadrados cujos lados representam os números da sequência de Fibonacci (1, 1, (1+1) 2, (2+1) 3, (3+2) 5, (5+3) 8 e assim por diante) e, ao desenharmos um arco dentro desses quadrados, eles formam uma espiral que leva o nome do famoso matemático italiano.

Esta figura também é chamada de retângulo de ouro porque nela encontramos a chamada proporção áurea cuja forma está presente em diversas formas da natureza como nas folhas das árvores, cascas de frutas, conchas espiraladas dos caracóis em até em algumas galáxias.

Esse conceito por sinal ficou muito conhecido pelo público em geral, depois que os Estúdios Disney lançaram em 1959 o curta Donald in Mathmagic Land (no Brasil Donald no País da Matemágica) uma verdadeira obra prima do desenho animado voltado para educação, produzido numa época em que ainda não se falava em computer graphics.

De fato, os expertos afirmam que a relação áurea chama a atenção das pessoas porque suas proporções são consideradas perfeitas e, consequentemente, muito agradáveis ao olhar humano, o que fez com que muitos designers, arquitetos e artistas tirassem proveito dessas idéias tanto no passado…

… quanto no presente. Um tema por sinal exaustivamente analisado por Gyorgy Doczi na sua clássica obra O Poder dos Limites de 1981:

Dai o seu uso na fotografia não deixa de ser mais uma aplicação dessa idéia, só que eu acredito que ela nunca foi amplamente usada pelo público em geral devido a dificuldade de aplicação dessa regra na vida real já que — até onde sei — no geral as câmeras não costumam oferecer algum recurso que auxilie o fotógrafo a pré-visualizar sua foto de acordo com as regras da espiral de Fibonacci, a não ser imaginando a curva na sua cabeça:

E é ai que entra a grande sacada da Asus em incorporar esse recurso na sua câmera, o que permite que o fotógrafo possa aplicar essa regra de maneira precisa e em tempo real!

E como utilizar essa ferramenta? — No geral a idéia é fazer com que os pontos de interesse da cena acompanhem a curva da espiral de modo a replicar o tal ritmo visual encontrado na natureza:

Já na imagem abaixo, o ponto de interesse (a pessoa) está no centro da espiral enquanto que a altura da imagem também é limitado pelo contorno externo dessa curva:

E se recortarmos a imagem nas proporções do retângulo de ouro, o resultado é ainda mais interessante:

Neste caso, também usamos a espiral para limitar a largura da imagem e também para posicionar a máquina de costura:

Aqui neste exemplo, usamos a curva apenas para alinhar os principais objetos da cena: a figura e as lentes:

Talvez o maior problema dessa técnica no Zenfone é que — como já vimos acima — sua câmera oferece apenas dois modos de visualização dessa espiral na tela: com a curva evoluindo para a esquerda ou para direita — ou seja — de a espiral não bate com seu enquadramento, às vezes é preciso mudar a orientação da câmera e usá-la até de cabeça para baixo:

Fora isso, ao contrário da regra dos terços, nessa técnica existe uma certa tendência de tentarmos manipular a cena de modo que ela se encaixe da melhor maneira possível na espiral, o que pode ser um erro. Isso porque como em outras formas de expressão e arte, a nossa criatividade não deveria ser limitada por causa de uma regra, ou seja, utilize esse recurso apenas como uma ferramenta para ajudá-lo a melhorar a sua técnica por meio de enquadramentos melhores:

Concluindo: Não existe uma regra rígida para o uso dessa técnica, de modo que a nossa recomendação é que o fotógrafo faça suas experiências e analise o efeito dessa curva nas suas fotos — você pode se surpreender com os resultados.

De resto nossos cumprimentos a Asus por incorporar um recurso tão pouco usual (e até meio exotérico) na sua câmera, apesar de que isso não deixa de casar perfeitamente com o mote do produto, ou seja:

We Love Photo! 😀

Ainda em tempo:

Vale a pena ressaltar  que esse modo enquadramento com espiral de Fibonacci também está disponível na câmera do Zenfone 4, mas para isso é necessário atualizar o seu sistema operacional para o Android 8.0 já que notamos que o mesmo não está presente na versão 7.1.1

Pode até ser que esse recurso também esteja presente em outros modelos, inclusive da geração anterior mas não tivemos acesso aos mesmos para verificar isso, de modo que se algum leitor tiver um desses outros modelos e confirmar a existência, por favor se manifeste nos comentários.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.