ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Realidade aumentada: Zeiss Vision Center e a escolha de óculos novos

Na expectativa dos anúncios da Apple em realidade aumentada no próximo dia 12 (com a chegada dos novos iPhones e do iOS 11), fui ver uma aplicação prática – e útil – de RA em São Paulo: escolher óculos no centro especializado da Zeiss aqui na cidade, o Zeiss Vision Center.

Não que eu precise de óculos novos (duh, até preciso, mas não está no orçamento ainda), mas o conceito usado na Zeiss Vision Center Jardins, que é a primeira loja da marca (tem uma segunda em Santana) cheia de coisas tecnológicas.

Uma delas é a vitrine com Realidade Aumentada (um Kinect e câmera ligados a software de RA e uma TV) na esquina, colocando óculos em quem para ver o que está acontecendo (e quase impossível de fotografar num dia de sol). Mas isso é para atrair o consumidor para dentro da loja.

A outra é a adoção de uma tecnologia de RA ligada a iPads que permite você experimentar milhares de modelos de óculos – convencionais ou de sol – sem sair do lugar ou colocar uma armação no rosto, como um espelho virtual.

Na base de dados do serviço, fornecido pela Fitting Box, estão 40 mil armações cadastradas de marcas do mundo inteiro. Não que a ótica vá ter 40 mil modelos em estoque, mas pode encomendar do fabricante após a escolha.

É algo que com a popularização do ARKit não deve demorar a chegar ao consumidor final, para escolher óculos em casa mesmo. E é o primeiro espelho virtual que vejo funcionar direito – se encaixa no rosto no tamanho certo e acompanha os movimentos da cabeça, para ver de lado como fica também.

O processo é simples e divertido: escolha a marca, o tipo de óculos (grau ou sol) e comece a escolha árdua. Aqui, peguei um Ray-Ban clássico…

…e aqui um mais moderninho.

O interessante é o fato de poder customizar as lentes em tempo real – anti-reflexo, fotocromática ou mesmo opção com lentes solares. Aqui, com uma lente fotocromática…

e o mesmo modelo de armação segundos depois com lentes de sol.

Esse ficou mais legal 🙂

E a brincadeira segue assim, se quiser por horas e horas (para testar a paciência do vendedor de plantão). Também dá para salvar uma selfie e mandar pro seu e-mail. 

Outro gadget / hardware / coisa interessantíssima na Zeiss Vision Center é este grande monolito branco:

Essa “coisa” é um i.Terminal 2 da Zeiss: uma máquina que captura e calcula parâmetros individuais de quem precisa fazer lentes novas para seus óculos. Sabe quando você vai a uma ótica convencional e eles colocam uma espécie de binóculos para medir curvaturas? É isso, só que com precisão computadorizada – reduzindo de forma gigantesca a margem de erro de os óculos ficarem com problemas (como ex-míope, passei algumas vezes pelo complexo processo de escolher armação, mandar fazer, voltar pro oftalmologista e descobrir que estava com erro).

O processo é curioso: coloca-se a armação escolhida dentro de um frame poligonal e a máquina mede com você de frente e de lado.

O vídeo abaixo explica melhor isso:

Na próxima visita, vou levar o Nagano comigo pra falar de lentes 🙂

[Zeiss Vision Center]

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

  • num futuro bem próximo, na ótica do seu bairro.
    Só precisa de um iPad.

    Será que não fizeram isso tb pra roupas, bonés, sapatos, etc

    • Adriano De Lima

      Quem sabe né!? Há muitas possibilidades nesse setor, mas por mais difícil que pareça agora, acredito que isso irá aparecer com maior intensidade quando os sistemas básicos pra fazer isso funcionar sejam de código aberto. assim a indústria poderá fazer muita coisa gastando menos no desenvolvimento.