Animador de Rilakkuma e Kaoru recorre a crowdfunding para financiar sua nova série de horror

A

Batizada de Yagen no Fuchi, essa nova série independente de animação em stop motion contará a triste estória de uma mãe a procura da filha no Japão medieval.

Com mais de 15 anos de carreira no segmento de artes visuais Shigeru Okada é um animador de stop motion…

… cujo trabalho mais conhecido por aqui foi como um dos animadores na série Rilakkuna e Kaoru que estreou recentemente no Netflix:

Mas apesar de ganhar a vida animando coisas fofinhas, aparentemente sua real paixão são os filmes de horror ao ponto dele manter seu próprio canal no Youtube dedicado ao seu conteúdo independente, o Mariomaku Darkside:

O interessante é que ele iniciou recentemente uma campanha no KickStarter para financiar uma nova série chamada Yagen no Fushi (薬研の淵) cujo título em inglês é The Depth of Yagen

… uma estória de horror ambientada no Japão feudal.

Montanha proibida

Esta estória tem início em uma aldeia no campo, onde Atakichiro um jogador viciado vende sua única filha Yuki para traficantes de pessoas para quitar suas dívidas de jogo.

Só que na viagem de volta os traficantes resolvem encurtar o caminho, passando pela chamada Montanha Proibida

… onde são seguidos por Chiyo (a mãe de Yuki) que tem o desejo de trazê-la de volta para casa, mas para isso ela passará por terríveis transformações a medida que a maldição da montanha cai sobre ela mas, mesmo assim, ela continua na sua desesperada busca.

Restos de humanidade

Na página da campanha no Kickstarter Okada diz que apesar de existirem diversos tipos de filmes de terror e horror ele prefere aqueles que envolvem criaturas que mantém alguns traços humanos na sua fisionomia…

… de modo que o seu desejo com esse projeto é de contar uma estória com este tipo de personagem ambientada no Japão antigo.

Se comparado com o anime, as produções em stop motion são bem poucas no Japão sendo a produtora mais conhecida é o Estúdio Dwarf que criou as séries DOMO (para a NHK) e Komaneko:

Banana procê Youtube!

O bizarro é que a idéia original de Okada era de lançar Yagen no Fushi no Youtube, mas devido as novas regulamentações cada vez mais restritivas dessa plataforma fez com que, no ano passado o seu canal fosse bloqueado para receber anúncios e — mesmo depois de um pedido de reconsideração ter sido atendido pelo site — alguns de seus vídeos ainda sofrem restrições.

Isso de um certo modo caiu como uma bomba na cabeça do artista, mas como é sua intenção manter o alto nível da sua produção, ele está encarando essa crise como uma oportunidade para mudar a sua estratégia de negócios e a maneira de como distribuir sua produção independente.

Dai, o que Okada vai fazer é criar duas versões desta série, uma versão completa com capítulos de 7 a 8 minutos de duração que será direcionado para sites de conteúdo pago como o Vimeo e outra versão mais “light” que sofrerá diversos cortes (para deixar de fora as cenas mais “extremas”) até o limite de não comprometer a compreensão da estória.

Isso fará com que esses episódios sejam bem mais curtos — algo em torno de três minutos cada — mas que poderão ser vistos de graça no seu canal no Youtube.

Making of…

Outra sacada de Okada é que todo o processo de produção dessa série, incluindo a fabricação dos bonecos…

… das roupas…

… dos cenários…

… e até detalhes mais ligados a produção como técnicas de animação, edição das imagens e a mixagem do som…

… serão detalhadamente documentados na forma de um vídeo de making of (no sentido mais exato da palavra) …

… e um livro que estará disponível tanto no formato físico quanto em PDF com o objetivo de se tornar uma espécie de guia introdutório e até prático de como fazer animação em stop motion:

Segundo a página da campanha, os apoiadores tem diversas opções de contribuição com direito a diversos brindes…

… o que inclui o livro do Making Of, DVD com a versão completa da série, entradas para a estréia no cinema, dedicatórias personalizadas feitas com stop motion e — para aqueles que contribuírem com mais de 100 mil ienes (~R$ 3.518) — Okada irá criar um boneco (não animado) com a cara de cada dito-cujo para ser usado na série como figurantes.

Mais informações aqui.

Rala e rola

Para quem não sabe yagen (薬研) ou kusugi é um tipo de recipiente de pedra, metal, madeira ou porcelana que usa uma espécie de roda (ou pedra) de mó para moer sementes, ervas e outras substâncias animais ou minerais para fazer remédios e outras misturas em pó como pimenta e até pólvora.

Essa engenhoca pode ser vista em diversos filmes de época como em Akahige (Barba Ruiva) dirigido por Akira Kurosawa em 1965:

Já no mangá do Lobo Solitário, o desprezível Abe Tanomo (阿部 頼母) que era o provador de comida oficial do Xogum e se tornou um bicho traíra e safado frenemy ora de Itto Ogami, ora de Retsudo Yagyu lá pelo volume 20 até o fim da série também usava um yagen para fazer os venenos usados nas suas tramóias.

Outra aparição mais recente desse utensílio foi no filme a Viagem de Chihiro ( 千と千尋の神隠し ) dirigido por Hayao Miyazaki em 2001 onde o personagem Kamajī (釜爺) também usa um yagen para preparar misturas de ervas para banho, além de fumar, comer, tomar água do bico da chaleira, controlar a fornalha, coçar, gritar impropérios, etc. tudo ao mesmo tempo na casa termal de Yubaba (湯婆婆):

Ainda bem que ele tem quatro braços!

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

Por Mário Nagano

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos