Windows 8 diz olá (adeus, botão Iniciar!)

W

A Microsoft apresentou hoje durante a conferência D9, do Wall Street Journal, uma prévia da interface do vindouro Windows 8, ainda sem data de lançamento prevista. Primeira impressão? Windows Phone 7 ligou e pediu a interface de volta!

Diz a Microsoft, em comunicado oficial:

Um PC com Windows 8 é um novo tipo de dispositivo, que vai de pequenas telas sensíveis ao toque apenas a grandes telas, com ou sem teclado ou mouse. A demo mostra alguns modos que reimaginamos a interface para uma nova geração de hardware baseado em toque. Rápida, fluida e dinâmica, a experiência se transformou, embora mantenha intactos o poder, flexibilidade e conectividade do Windows

Tópicos principais do Windows 8 e sua nova interface, de acordo com a Microsoft:

  • aplicativos ordenados em blocos (“tiles”) como já ocorre no Windows Phone. O botão Iniciar será substituido com uma tela cheia de “apps” feitos só para Win8 que rodam em tela cheia.
  • os blocos são “vivos” e trazem notificações (como nos smartphones).
  • “apps” se alternam de modo fluido e natural (olá, iPad!).
  • “apps” têm tamanhos flexíveis na tela e podem ser colocados ao lado de um programa convencional do Windows (como uma planilha). Na minha terra, isso se chama multitarefa.
  • aplicativos online (e baseados em HTML 5 e JavaScript) usam o poder de processamento do PC. HTML 5 se integra a recursos do sistema operacional – isso é incrivel.
  • navegador Internet Explorer 10 usa (ainda mais) recursos de aceleração de hardware, e totalmente otimizado para superfícies de toque.
  • Um dos itens mais importantes, porém, aparece no final do comunicado da Microsoft: Windows 8 vai rodar em processadores SoC (System on a Chip). O que isso significa? Sistemas sem processadores X86 (=Intel e AMD) vão rodar Windows 8, mais notadamente os processadores ARM usados em tablets e smartpones em todo o mundo.

Um vídeo de quatro minutos, em inglês, dá uma ideia de como a coisa vai funcionar: suporte a telas touch, blocos de aplicativos, compatibilidade com apps antigos. Tudo lindo… e novo!

Detalhe: olhem a parede ao lado de Jensen Harris, diretor da Microsoft: tudo censurado 🙂

Essa é só a primeira demonstração pública do Windows 8. A Microsoft diz que mostra mais do novo sistema operacional entre 13 e 16 de setembro, durante o evento BUILD, voltado a desenvolvedores, na Califórnia.

Vale lembrar que semana que vem começa o WWDC, conferência anual de desenvolvedores da Apple, e Steve Jobs vai aparecer para mostrar o Mac OS X Lion, nova versão do OS de Cupertino, e outras cartas na manga (iOS 5!). De qualquer modo, grande estratégia de comunicação da Microsoft.

Faz algum tempo que digo – e repito – que vejo que a Microsoft mudou muito nos últimos anos. Baixou a bola, ficou mais low profile, resolveu aperfeiçoar seus produtos. Isso é bom para a companhia, seus consumidores e para a concorrência, que percebe que algumas coisas de Redmond ainda são muito importantes – goste você ou não do Windows.

Nagano comenta: Essa demo do vídeo mostra que a estratégia do pessoal de Redmond não é de revolucionar e sim de “adicionar valor” ao Windows — o que não é algo negativo, diga-se de passagem.

Digo isso porque a MS foi bastante esperta e/ou pragmática de implementar a experiência de uso dos tablets com seus comandos de toques, malabarismos visuais e uma maneira mais dinâmica de organizar seus dados pessoais e interesses na web (algo que já tinhamos visto no Moblin/Meego)  sem abrir mão do modo de uso e retrocompatibilidade com as aplicações do Windows 7 (e antecessores). Isso por sinal pode ajudá-la em muito a na sua estratégia de tablets, já que ele poderá de fato realizar a promessa de levar o mundo dos PCs para os tablets e vice-versa. Algo por sinal que o Windows CE/Mobile sempre tentou mas nunca conseguiu.

Por outro lado, com essa demo conseguimos entender melhor o que Sean Maloney quis dizer no seu keynote na Computex 2011 quando ele declarou que os Ultrabooks serão uma espécie de fusão entre os laptops de hoje com recursos de tablets, mais os já citados tempo de resposta, design e segurança.

De um certo modo, o Windows 8 me parece ser a Killer App que a Dell precisaria para fazer o Inspiron Duo ser um produto matador.

Galeria de fotos (capturadas do vídeo acima):

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos