ZTOP+ZUMO

Western Digital lança novo SSD Black com 3D NAND

Com o lançamento do novo SSD WD Black NVMe, Western Digital quer fincar sua bandeira no mercado de PCs de alto desempenho e no mundo dos esports.

Já se passou quase uma década que a Western Digital iniciou uma estratégia de marca que, na época, batizamos de “peça pela cor“: identificar o público alvo dos seus discos por meio de cores, uma idéia por sinal que nasceu de maneira simples e singela…

… mas que com o passar do tempo evoluiu para um sistema até que bem sofisticado diga-se de passagem.

Dito isso, podemos afirmar que todo mundo (ou pelo menos aqueles que acompanham esse ZTOP+ZUMO) deve estar careca de saber que os discos WD Black sempre foram o melhor que a empresa poderia oferecer em termos de velocidade/desempenho tanto no passado quanto no presente:

Dai nada mais lógico usar seu novo SSD WD Black NVMe

…como o ponto de partida para sua nova estratégia de marketing no mercado gamer, como foi explicado pela empresa numa apresentação para a imprensa ontem (09/out) em São Paulo:

Se comparado com seu antecessor o WD Back PCIe SSD (já analisado por este ZTOP+ZUMO), o novo WD Black NVMe SSD anunciado em maio deste ano é bem dramaticamente mais veloz, oferecendo taxas de leitura/gravação (sequencial) de até 3.400 MB/s / 2.500~2.800 MB/s respectivamente nas suas versões de 500 GB e 1TB:

WD Black PCIe SSD WD Black NVMe SSD
250 GB 2.050 MB/s leitura, 700 MB/s gravação 3.000 MB/s leitura, 1.600 MB/s gravação
500 GB 2.050 MB/s leitura, 800 MB/s gravação 3.400 MB/s leitura, 2.500 MB/s gravação
1 TB 3.400 MB/s leitura, 2.800 MB/s gravação

Muito desse ganho é devido a adoção de novas tecnologias que vão desde o desenvolvimento de um novo controlador de memória combinado com chips de memória com tecnologia 3D NAND  que combina maior capacidade de armazenamento com menor consumo de energia…

… além de proporcionar um grande potencial de evolução para os próximos futuros da casa, tanto na direção de produtos com maior capacidade de armazenamento e até menores no seu tamanho físico:

Vale a pena destacar que todas essas tecnologias foram desenvolvidas internamente pela própria Western Digital que até começou a fabricar seus próprios chips de memória depois que comprou  a SanDisk e que levou de brinde uma maior aproximação com a Toshiba ao ponto de construírem juntas uma nova fábrica de memórias e um centro de P&D inaugurados no mês passado em Yokkaishi no Japão.

Segundo Alexandre Zannoni, gerente geral da WD no Brasil, até por uma questão de estratégia de marcas, existe uma tendência natural de a SanDisk deixe de comercializar seus disco SSD, que ficará mais focada nas linhas de cartões de memória, armazenamento externo com porta USB e acessórios para mobilidade.

Para alavancar a sua participação no mercado gamer, a Western Digital também falou sobre a sua parceria com a paiN Gaming que, por sinal, teve início com um patrocínio com a SanDisk, mas que agora foi encampado pelo pessoal de San Jose que irá equipar os PCs usados pelo grupo assim como utilizar seus jogadores para promover os novos SSDs Black em vídeos promocionais.

O novo SSD WD Black NVMe já está disponível no Brasil (assim como outros produtos da casa) com preço sugerido que começa a partir de R$ 650 para a versão de 250 GB:

Mais informações aqui.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.