ZTOP+ZUMO 10 anos!

Você compraria um disco com estas marcas?

seagate-maxtor.jpg

Se você respondeu “sim!” para a marca da esquerda e “Ah, sei lá...” para a marca da direita, pode ser hora de você revisar seus preconceitos já que as diferenças entre um atual disco da Segate e da Maxtor, está mais no campo das aparências do que no hardware propriamente dito.

Essa foi uma das interessantes informações reveladas por Carlos Valero, engenheiro de campo e gerente de tecnologia da Seagate no Brasil, que participou hoje de um encontro com alguns jornalistas técnicos onde se discutiu um pouco de tudo, de grey market até a maneira correta de chamar a tecnologia SATA de segunda geração.

Entre os assuntos abordados estava a estratégia de uso da marca Maxtor, depois de ter sido adquirida pela Seagate. Como no caso das impressoras Phaser da Tektronix, que se tornaram nome de uma linha de impressoras em cores da Xerox, a Maxtor se tornou uma segunda marca para a empresa, voltada para atender o segmento de valor, com uma linha de produtos com preços mais competitivos e garantia menor: apenas três anos contra cinco dos discos Seagate.

Isso causou uma certa confusão no mercado já que muitos (até com uma certa razão) associaram preço menor e garantia menor com falta de qualidade, ou seja, teria a Maxtor se tornado um produto de “segunda linha” que não mereceria a confiança do usuário?

Valero foi bastante enfático em afirmar que os discos Maxtor produzidos pela Seagate utilizam as mesmas matérias primas, são montadas com os mesmos componentes nas mesmas linhas de produção dos discos Seagate. A diferença fica apenas no nome da etiqueta.

Dai, como explicar que dois discos “idênticos” podem ter diferenças de preço e garantia?

Segundo a Seagate, a diferença fica no campo da logística e no suporte técnico, já que existe um certo “valor agregado” ao produto para manter uma infra-estrutura capaz de garantir um produto por cinco anos, valor que pode ser menor se o prazo for mais curto. A grande sacada é que essa diferença pode ser passada para o mercado na forma de um preço mais competitivo, o que pode ser até uma proposta interessante.

O grande risco — segundo o executivo da Seagate — é que essa estratégia pode levar a equívocos e até mesmo problemas comerciais, já que ele testemunhou casos de clientes fiéis dos discos Seagate recusarem-se a comprar discos Maxtor na falta do outro. Nesses casos, a solução foi fazer um trabalho de educação e esclarecimento com o canal sobre essa nova estratégia.

Fora isso, ele afirmou que, apesar de alguns integradores e revendas oferecerem uma garantia de 3 a 12 meses, a Seagate realmente garante seus produtos por três ou cinco anos, desde que adquiridos legalmente no Brasil, e a troca pode ser feita pelo usuário diretamente com a empresa diretamente no Brasil via Flextronics.

Para isso, o usuário pode visitar o site da empresa no Brasil (www.parceiroseagate.com.br), verificar se seu disco está dentro da garantia informando o seu número de série e até abrir um chamado de RMA diretamente no site. Feito isso basta enviar o disco via SEDEX para o endereço indicado onde a análise/reparo será feita e o custo do retorno pago pela Seagate.

Mais informações sobre garantia aqui.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Dorival

    Caro Mário, A Maxtor já havia adquirido a Quantum anteriormente e a Seagate ficou com as duas (ou três). Os programas de diagnóstico da Seagate ainda atendem as 3 “marcas”.
    Concordo com a tese da menor garantia reduzir o preço final, mas não entendo como nos benchmarks os modelos da Maxtor sempre ficam (muito) atrás dos Seagates…

    A propósito, o link p/ http://www.parceiroseagate.com.br não está redirecionando corretamente; leva a uma página (do Zumo) “Não encontrado Desculpe, mas você esté procurando algo que não está aqui.”

    Abraços.

  • Oi Dorival,

    Chegamos a levantar essa dúvida com Valero, e ele nos disse que essa estratégia vale a partir dos modelos produzidos pela Seagate e cujo part number começa com “STM…”. Será que você não estaria se referindo aos discos Maxtor produzidos pela Maxtor?

    Por questões de suporte aos modelos anteriores, a Seagate realmente mantém em seu site alguns aplicativos e utilitários específicos para cada marca como o DiskWizard e o MaxBlast, que fazem essencialmente a mesma coisa.

    Ah sim, consertei o link. Brigadão pelo toque.

  • Dorival

    Olá, Mário.

    Obrigado pelo esclarecimento. Realmente os discos não começam com “STM”, embora sejam discos relativamente recentes (300GB/SATA-II)…
    Mas, tá entendido.