ZTOP+ZUMO 10 anos!

Vista: um sucesso de vendas?

Os principais integradores de motherboards estimavam, para fevereiro, uma venda de 80% de placas-mãe mais antigas, que funcionam bem com o Windows XP, e 20% de placas mais premium, Vista-ready – isso foi o “sr. Fontes” que me contou.

Aparentemente, o negócio virou (20-80) com o lançamento do Vista, e não faz nem um mês que isso aconteceu. As placas entry-level estão vendendo menos e aquelas com um chipset um pouquinho mais compatí­vel com o Vista começam a decolar.

Tudo “culpa” dos pequenos varejistas/integradores que, sabendo que o Vista precisa de mais recursos, começam a mostrar os benefí­cios do sistema para seus consumidores finais. (Quer uma prova: liga no canal do ShopTime e veja os caras vendendo computador… XP aonde mesmo?).

E não é só máquina nova não: o mercado de peças para upgrade (memória e placas de ví­deo) também está “bombando”, mas isso era mais previsí­vel, né? (Falando nisso, eu preciso comprar memória…)

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

  • Windows Vista? “Tô fora”. Mesmo que estivesse com grana para comprá-lo ou “cara-de-pau” para baixá-lo, o meu XP querido ainda me serve muito bem e o Linux é o sistema “oficial” da casa. Isso sem contar que para usar o Vista aqui eu precisaria fazer um upgrade de placa mãe numa máquina que acabou de completar seu 1º ano de “vida”…

    A Microsoft só pode fazer isso propositalmente… só pode.

  • Fiz o beta teste do Vista a alguns meses atras e realmente ele não me deixou impressionado, com as características de um sistema inovador como tanto falado.
    Quase 50% do meu hardware não foi detectado, isso por que utilizei uma senhora maquina. A questão dos drivers é fundamental.
    O vista só deverá ser um sistema realmente instável a partir do sp1. O mesmo aconteceu com o XP.
    Quanto as vendas eu não iria estranhar que uma campanha de marketing que está gastando quase na casa dos bilhões não vendesse bem.