ZTOP+ZUMO 10 anos!

Ví­deo: Como é o debate sobre Open XML?


Acaba hoje em Genebra uma discussão da ISO sobre o padrão Open XML. Roberto Prado, gerente de estratégias de mercado da Microsoft, explica o que acontece durante e debate e quando sai uma resposta sobre o tema ODF x Open XML.

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

  • Renam

    Gostaria de ver outras opiniões sobre esse debate no blog. Parece estar pró Microsoft a cobertura. Sugiro, por exemplo, consultar a opinião de técnicos do Banco do Brasil, talvez o maior usuário brasileiro corporativo do ODF, que votaram na ABNT pelo ODF.
    Tenho contato de um deles se vocês quiserem.

  • Marcelo

    Esta discussão de open source é inútil. O mercado irá decidir qual padrão irá utilizar… pra ser sincero, ninguém dá a mínima se usamos o padrão do word ou outro padrão qualquer… o importante é não termos um governo nos patrulhando para decidir por nós o que teremos que usar. abraço

  • Sempre vejo o Zumo se mantendo neutro dentro da discurssão dando oportunidade aos dois lados para se manifestarem em relação a discurssão sobre o ODF e o OOXML. Não acredito na linha pró Microsoft dentro do blog.

    Aproveito para parabenizar o trabalho de todos que fazem o Zumo, pois para ser blog não precisa deixar o profissionalismo de lado e o que vocês fazem aqui é conteúdo de qualidade.

  • Marcelo, você pode até não se preocupar e para o usuário final isso realmente não tem muita importancia imedianta. Mas para áreas, como por exemplo o governo, o acesso a informação a longo prazo é essencial.

    Imagine milhares de documentos que não podem mais ser acessados por que suas especificações são fechadas, a empresa não existe há anos e as aplicações responsáveis por abrir estes formatos não rodam mais nos sistemas modernos. Imagine que estes documentos no momento são de importância vital como os documentos históricos em papel que hoje usamos para estudar o passado de nosso país (por exemplo o periódo da ditadura).

    Para isso nós precisamos de padrões com especificações abertas aprovadas pela ISO por exemplo. Você deve estar pensando: “Então o OOXML é bom, pois ele vai fazer isso”, mas não é bem assim. O OOXML tem problemas graves em sua especificação de mais de 6.000 páginas, principalmente com o legado binário. Só que o problema principal, pelo menos ao meu ver e que deveria ser o foco da discurssão, é que já existe um padrão para documentos que é o ODF. Para quê precisamos de mais um padrão com a mesma proposta? Não estamos falando de mercado para usarmos concorrência como argumento, o assunto aqui é padrões e se o ODF supostamente não atende a alguma necessidade específica que realmente é necessário para sua proposta ele pode ser melhorado.

    Se estas funcionalidades são muito específicas para serem colocadas no ODF, então o OOXML é mais um padrão para atender a própria criadora do formato, a Microsoft, do que a sociedade.