Vem aí o “Natal dos Tablets” (oooh!)

V

No final de maio, o Governo Federal deu sinal verde para a produção local de tablets com menos impostos. Em primeiro de junho, saiu o PPB indicando as diretrizes que os fabricantes têm que seguir para conseguir a isenção. E, pela previsão do ministro Aluizio Mercadante (Ciência e Tecnologia), setembro é uma boa data para os primeiros produtos chegarem ao mercado mais em conta – e preparando o terreno para o “Natal dos tablets”.

Mercadante deu uma entrevista hoje ao programa “Bom Dia, Ministro” (baixe aqui o áudio), e o pessoal da Agência Brasil reproduziu trechos da conversa. Diz o texto:

Mercadante calcula que os tablets poderão custar até 40% menos se os descontos dados pelo governo federal e por alguns estados para incentivar a produção local chegarem ao consumidor. “No Natal vai ter muito tablet barato e em todas as opções para o consumidor. Acho que nós vamos ter um belo momento na indústria da computação no país”, disse Mercadante.

A questão do prazo tem lógica – já ouvimos falar em um prazo de três meses para fabricantes se adaptarem ao PPB. Se o PPB saiu em junho, setembro é a data mais correta mesmo. Será que vamos ter que esperar o Samsung Galaxy Tab 10.1 até lá?

Agora 40% é forçar a amizade ou baixar a configuração pra níveis xinglingplusmaster com Android 2.1.

Mas o mais bacana está na lista de empresas atualizada:

Nove empresas já se inscreveram para produzir tablets no Brasil com incentivo fiscal (Samsung, Positivo, Motorola, Envision, AIOX, Semp Toshiba, LG, MXT e Sanmina-SCI) e mais seis estão com pedido em análise técnica (Itautec, Foxconn, Teikon Tecnologia, Compalead, Ilha Service e Leadership).

Samsung, Motorola, Positivo e Semp Toshiba eram esperados. LG, para mim é uma novidade, assim como Itautec e Leadership. E Foxconn, oras, pode muito bem produzir para Apple como para qualquer outra empresa (HP? Acer?) – e é um tanto curioso aparecer como “pedido em análise técnica”, não. (e quem souber quem são/para quem fazem Envision, AIOX, MXT, Sanmina-SCI, Teikon, Compalead e Ilha Service, por favor, comente!)

Para finalizar, o ministro Mercadante fez aquela clássica “viagem na maionese” envolvendo educação e tecnologia.

Segundo o ministro, o Brasil é o sétimo mercado para computadores e pode ser ainda mais atraente com a inclusão digital na educação. “Queremos levar [o tablet] para a escola pública e fazer como outros países já estão fazendo. Taiwan já acabou com o livro didático, só tem livro na biblioteca. O aluno lê toda a bibliografia por meio do tablet que também é um caderno eletrônico. A Coreia, em dois anos, não terá livro didático. É o próximo passo do nosso projeto”, disse Mercadante que esta semana esteve no Uruguai onde todos os alunos da rede pública têm um microcomputador portátil e todas as escolas têm acesso à internet.

O céu é o limite, né?  (dica do @augustocc)

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos