ZTOP+ZUMO

Gadget do dia: Notebook VAIO Z com teclado limpo

Novo VAIO leve e fino com tela de 13 polegadas tem a opção de vir com teclas limpas, sem a indicação das suas funções.

Em meados de fevereiro, a VAIO do Japão iniciou as vendas da sua nova linha VAIO Z com tela de 13 polegadas nas versões com e sem teclado rebatível, agora equipado com os novos processadores Intel Core de sexta geração “Skylake” ou mais exatamente os Core i5-6267U e Core i7-6567U

VAIO_Z_131_clean_overall

… 8 ou 16 GB de RAM, tela LCD de 13,1 polegadas com resolução nativa WQHD (2.560 x 1.440 pixels) com touchscreen, SSD de 128/256/512 GB, duas portas USB 3.0, HDMI, leitor de cartão SD, Wi-Fi 802.11 ac, bluetooth 4.1, chip TPM e bateria com autonomia de aproximadamente 19 horas.

VAIO_Z_131_clean_top

Até ai, nada fora do esperado. Novidade mesmo é o fato da empresa oferecer uma versão limitada com teclado limpo!

VAIO_Z_131_clean_kb

Segundo nota publicada no The Wall Street Journal quando questionado porque a empresa decidiu lançar um recurso tão “ousado”, o porta-voz respondeu que alguns dos seus clientes disseram que eles não precisavam de letras e números impressos nas teclas. Fora isso, como dizem os faladores do idioma bretão — “it looks cool!

(Chupa essa Johnny Ive!)

Essa história de teclado limpo não é bem novidade, sendo que a primeira vez que vimos algo desse tipo foi em 2013 quando falamos do Happy Hacking keyboard, um curioso teclado criado pela PFU (divisão de imaging e sistemas embedded da Fujitsu)…

happy_hacking_keyboard

… que também está disponível numa versão com teclas limpas (também conhecido como Otaku version):

Happy_Hacking_keyboard_Pro_noprint

Esse teclado mede apenas 29,4 x 4,0 x 11,0 cm (LxAxP) e 530 gramas de peso e, segundo seus fãs, mantém as mesmas funcionalidades de um teclado padrão de 104 teclas. Fora isso, suas dimensões compactas fazem com que as mãos do usuário não se movimentem muito sobre o teclado — agilizando assim o seu uso.

E graças a mudança de algumas teclas no seu layout — como o reposicionamento do [Control] no lugar do [Caps Lock] — combinado com o longo curso das suas teclas (~3,8 mm) faz com que ele seja muito apreciado por digitadores habilidosos que passam horas na frente do computador e cuja fama talvez só chegue perto do teclado Model M da IBM:

Os praticantes deste esporte afirmam que digitadores realmente profissionais nem deveriam olhar no teclado, já que o layout deveria estar gravado no subconsciente do seu cérebro. De fato, a presença marcas na teclas chegam até a ser uma distração, já que a pessoa pára, olha para o teclado, pensa e continua a digitar, o que consome preciosos segundos comprometendo assim a sua eficiência.

Também vale a pena lembrar que, na época em que a datilografia era uma arte regularmente ensinada em escolas (com direito a diploma e tudo), entre as avaliações do fim de curso, existiam provas em que o aluno tinha que escrever na máquina com os olhos vendados ou numa máquina especialmente preparada com teclas limpas — ou seja — usar um teclado desse tipo não é obra do capeta nem coisa do maluco, é sim uma habilidade que pode ser aprendida com um pouco técnica, prática e determinação. Quem toca piano, concertina ou acordeon (com aquele monte de botõezinhos pretos) sabe do que estou falando.

datilografia

E cá entre nós, no caso do VAIO Z se a coisa ficar muito complicada existe uma colinha para download. 😉

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Adriano De Lima 11/04/2016, 08:56

    Certamente vai ter gente comprando.

  • dflopes 11/04/2016, 22:03

    poxa, esses designs querem ser tão hispter que ultrapssam os limite do bom senso
    😛

    Para se usar um teclado sem olhar, precisa estar acostumado a ele – não apenas as teclas alfa-numéricas, mas principalmente as teclas de função.

    Diariamente, uso 4 teclados diferentes, a saber, smartphone (swiftkey), tablet (padrão samsung), desktop no trabalho (teclado genérico 104 teclas) e desktop em casa (microsoft wireless 1000).
    Cada um tem layout, espaçamentos e teclas de função diferentes, e o cerebro precisa leva alguns minutos pra se adaptar e lembrar do que está usando no momento.

    Criar um sistema sem identificação só funcionará após o usuário se acostumar com o layout usando o adesivo – depois ele pode pregar peça nos amigos e familiares.
    😀

  • Alpha Delta Victor 12/04/2016, 16:31

    O coitado do meu teclado (Microsoft Digital Media Pro Keyboard) já está tão acabado que está praticamente limpo como essa novidade inusitada aí…rsrs Felizmente, já estou totalmente adaptado e não preciso olhar as teclas para digitar…

    Mas impossível comprar um laptop com teclado limpo…

  • Pablo Paiva 28/04/2016, 22:35

    Vamos trabalhar! =D

    http://www.pb7digital.com.br