Como a VAIO lida com a quarentena

C

Vendo a epidemia de Covid-19 na Ásia se expandir fez a VAIO antecipar lançamento no Brasil e ajustar estratégia para 2020.

Conversei na semana passada em um “café da manhã virtual” (tempos modernos, a gente precisa se adaptar) com Cynthia Ermoso, Gerente de Desenvolvimento de Novos Produtos, na categoria de Computadores e Tablets, incluindo notebooks da marca VAIO, na Positivo Tecnologia.

Linha de produtos

VAIO FE 14

A VAIO teve dois lançamentos recentes, os notebooks FE14 e FE15, no começo de abril. Só que, segundo Cynthia, a chegada desses produtos ao varejo estava prevista para junho. “Estávamos com o projeto adiantado. Estratégia de lançamento, evento, tudo desenhado. Mas vimos que começou a epidemia e o isolamento na China, porém ainda em fevereiro não tínhamos como imaginar o impacto real de tudo”, afirma a executiva.

A solução possível no momento foi conseguir antecipar a importação de peças para o lançamento, e “em 15 de março já tínhamos os novos VAIO prontos para faturamento ao varejo”. Segundo a executiva, devemos ver novos lançamentos da VAIO no segundo semestre.

Impacto nos negócios

“Tanto para VAIO como para Positivo, vimos um volume maior de vendas de computadores nesses últimos meses, o que nos surpreendeu. Durante maio, se tivéssemos mais produtos para vender, venderíamos. Quem tiver produto em estoque até o final de julho ou agosto vai faturar”, afirma. Faturar, no caso, é o ato de a fabricante vender para um varejista (sell-in) – a venda para o consumidor é o “sell-out”, para ser didático.

“Mas percebemos que já em fevereiro percebemos um crescimento de 20% sobre a Black Friday de 2019. Tivemos muita reposição de pedido, tentando antecipar entrega com fornecedor, tínhamos estoque até março”, comenta.

Porém um momento de sorte corporativa (ou puro planejamento) foi a antecipação de embarques de peças da China prevendo o Ano Novo Chinês, quando o feriado para quase tudo por lá”. Hoje, conta a executiva, “a Ásia já voltou ao normal, com Taiwan e Shenzhen funcionando normalmente”.

“Como as peças embarcaram para o Brasil antes do feriado chinês, o impacto posterior da parada foi menor que imaginávamos. Seguimos com nossos escritórios – Shenzhen, na China, e em Taipei, Taiwan – acompanhando de perto. Os dois escritórios lidam com compras de componentes e engenharia/desenvolvimento de produto com parceiros. Shenzhen é mais estratégico.”

Para o segundo semestre, a VAIO vê uma linha de manutenção de volumes até agosto, mas já prevê uma queda nos números a partir de setembro. Afinal, o dólar disparando começa a quebrar as pernas de toda a indústria de eletrônicos brasileira.

Quem compra VAIO hoje?

Além dos dois novos modelos FE14 e FE15, a VAIO conta com o Fit 15S, o F15 (com acabemento em metal) o C14 e o SE14 (voltado ao mercado corporativo). “O consumidor de VAIO é aquele que carrega o legado da gestão anterior da marca no Brasil”. Para quem não se lembra, a VAIO era a linha de notebooks da Sony, e voltou para o Brasil em 2015 licenciada para a Positivo Tecnologia. 

“Fizemos uma pesquisa com consumidores que indica que a marca VAIO segue remetendo aos conceitos de qualidade e tradição. O comprador é, em média 65-70% comprado pelo público masculino, com idade média de 45 anos e que é muito exigente, se preocupa com detalhes nos produtos”. 

Notebooks pós-pandemia

Uma preocupação com o Coronavírus é como a indústria de tecnologia vai se adaptar a novos materiais antivirais ou mesmo mais fáceis de desinfetar e limpar. A gerente da VAIO diz que isso está a caminho: “já estamos trabalhando em novos recursos que levem a esse tipo de precaução. Estamos vendo o que está acontecendo na China, mas é preciso saber filtrar o que é real e o que é tranqueira. Mas já notamos produtos por lá com itens anti-bactericidas ou lâmpadas UV integradas para desinfetar”. 

Mundo dos negócios pós-pandemia

A Positivo deve retomar a volta ao escritório de Curitiba em junho, de forma escalonada. “A gente se habituou a trabalhar em casa”, diz. Porém uma mudança radical foi percebida pela Positivo Tecnologia (e por demais empresas de qualquer setor): dá para fazer negócios “acontecer” sem gastar com viagens.

A Computex, que costumava acontecer no final de maio em Taipei, foi transferida para junho. “Toda Computex tenho reuniões com a VAIO e os demais parceiros globais da marca. Esse ano vai ser virtual, economizamos a viagem e seguimos rodando a operação”, afirma. 

A VAIO tem poucos parceiros licenciados no mundo – dois na Ásia, um nos Estados Unidos, um na Europa e a Positivo por aqui. “Eles acompanham nosso crescimento, temos o maior faturamento entre os parceiros e isso nos permite desenvolver produtos adaptados ao mercado brasileiro. Nesses cinco anos, a relação é de confiança e até de amizade, com processos mais rápidos e ágeis”, conclui.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o criador do ZTOP e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

+novos