ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Uma mão lava a outra (e as duas ajudam a HP)

retorno_hp_1.jpgComecei a trabalhar em uma análise e de uma impressora da HP quando topei com um curioso pacotinho colado no cartucho de tinta.

Ao remover a proteção de plástico, descobri tratar-se de um envelope franqueado para os usuários retornarem seus cartuchos vazios para reciclagem na HP. Basta colocá-lo no envelope, lacrá-lo e botar no correio (dos EUA, que fique bem claro).

O usuário não paga nada pelo serviço mas também não ganha nada com isso. Apenas a satisfação de saber que, com sua atitude, ele ajuda a preservar os recursos naturais da terra. A HP também deve ficar muito agradecida, já que isso representa um cartucho a menos na mão dos recarregadores.

Fico imaginando se essa iniciativa daria certo no Brasil. No passado me lembro que a Lexmark chegou a criar um programa que trocava seus cartuchos vazios por entradas de cinema.

Henrique comenta: É, aqui com certeza cairia na mão dos recarregadores/recicladores rapidinho… e dane-se a ecologia, infelizmente.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • A iniciativa é legal… Agora, será que o CO2 gerado pelo envio por avião ou marítimo do pacotinho com o cartucho já não é um problema? Será que deixar em um reciclado no Pão de Açúcar já não seria uma boa? Abraçon

  • Luciano Pacheco

    Não entendi a colocação do Zumbi Caipora.

    1 РO pacotinho nunca ̩ transportado sozinho, logo o CO2 vai existir da mesma maneira, para transportar outras cargas.

    2 РSe depositarmos no P̣o de A̤̼car, como sugerido, o cartucho vai aparecer como na HP ? (ou num lugar para reciclar ) ? Emitindo CO2, id̻ntico.

    🙂

    Até mais.

  • Dorival

    Nossa, que confusão!

    A emissão de CO2 não é “on-off”, ou seja, não adianta os cartuchos “pegarem carona” com outras cargas. Quanto maior a carga, maior o peso e maiores serão as emissões. Além disso, o fato de se criar as embalagens para retorno já gerou emissões adicionais.

    Antigamente, as impressoras custavam uma fortuna e os consumíveis eram bem baratos até que os fabricantes perceberam que o negócio era popularizar a impressora e ganhar nos suprimentos. Logo não interessa a eles que você prolongue a vida de cartuchos e toners. Por isso temos cartuchos e toners c/ chip, para dificultar ao máximo a reutilização. Por isso temos impressoras a laser que vem com os toners com 1/3 ou 1/4 da carga.
    Some o preço dos 4 toners de uma laser colorida e você vai descobrir que é mais caro que a impressora. Se você imprime pouco, é melhor comprar outra, novinha e com garantia…

    Até este ponto, deve parecer que eu não me importo com o impacto ambiental, mas eu me importo, sim. Só devemos diferenciar o verdadeiro intuito das atitudes. Ao que parece, esta é uma atitude verde, mas não um verde-Terra e sim um verde-dólar.

    Em tempo: Existem cartuchos remanufaturados (feitos a partir de um original vazio) que custam mais caro que o original. É ou não é um negócio que vale a pena?

    Uma pergunta que não quer calar: Qual será o destino dos cartuchos devolvidos? Serão incinerados, triturados ou jogados em aterros? Ah, existe uma outra opção: Reutilizados…

    Abraços e até mais.

  • Essa semana foi saber o preço da recarga em um loja e encontrei uma caixa preta e branca de cartucho da HP. Notei que tinha o selo original da HP, mas o vendedor pegou uma caixa colorida informando que é de cartucho original e a outra era de cartucho recarregado pela própria HP.

    Ele tentou me vender o original dizendo que a HP usa uma tinta fraca na recarga. Não comprei nenhum, mas com uma diferença de R$10 poderia comprar o recarregado e a tinta pra eu mesmo encher.

  • Não tem um envelope maior para colocar a impressora??

  • Marcelo Augusto

    Se eles fabricassem cartuchos com mais tinta, o problema seria ainda menor: menos cartucho indo de lá para cá e de cá para lá! 🙂