Tomtom Go Brasil: Um app de GPS (realmente) gratuito

T

Disponível apenas para Android, novo Tomtom Go Brasil não limita mais seu uso gratuito para apenas 75 km por mês.

Mais conhecida pelos seus sistemas de GPS para carros, a Tomtom BV lançou uma nova versão do seu app de navegação Tomtom Go Brasil que difere da atual versão “internacional” o Tomtom Go World por ser realmente gratuito.

Como assim? — Para quem não sabe, o grande atrativo desse app da Tomtom é que ele faz o download local e utiliza os mesmos mapas usados nos seus aparelhos de GPS…

… o que significa que ele também pode funcionar off-line, ou seja, é possível navegar mesmo sem estar conectado na internet.

De fato,a única coisa que perdemos são as informações de tráfego (que dependem da conexão com a rede), o que cá entre nós, não diferencia muito da experiência que usar um aparelho de GPS de carro:

Mas como dizem por ai — o diabo mora nos detalhes — de modo que no meio das letras miudinhas da descrição do Go World, existe um tópico chamado “Quilômetros Grátis” que fala sobre “obter 75 km de navegação gratuita todos os meses“.

O que isso significa é que, ao contrário do que aparece na chamada do Google Play…

….o Tomtom Go World não é exatamente uma aplicação gratuita, e sim que ela oferece uma franquia mensal de “75 km gratuitos” de modo que — caso o usuário dentro de um mês passe desse limite de 75 km rodados — a app se auto-bloqueia e só volta a funcionar se o usuário fazer um “Upgrade” e comprar um pacote mensal avulso ou anual para navegar de modo ilimitado.

Isso provocou uma certa ira de alguns usuários desse sistema por que passou a impressão de que eles caíram numa pegadinha. Outros reclamaram da necessidade de baixar um mapa de 1 GB o que pode ser muito para um smartphone de entrada com 8 ou 16 GB de armazenamento interno.

Acreditamos que a empresa também percebeu esse deslize, ao ponto de anunciar no início dessa semana, uma versão realmente gratuita do Tomtom cuja descrição não fala mais em “Quilômetros Grátis”:

Pelo que pudemos ver, fora a ausência da opção de “Upgrade” a grande diferença dessa nova versão é que ela só baixa o mapa de todo o Brasil ou apenas partes dela na forma de regiões que podem ser apagadas e recarregadas a qualquer momento, o que pode otimizar o espaço de armazenamento no smartphone de acordo com a necessidade do usuário:

Mas como dizem os americanos “não existe almoço de graça” de modo que começamos a pensar como é que a Tomtom está ganhando dinheiro com esse produto?

Levamos essa dúvida para a assessoria de imprensa da Tomtom no Brasil e a resposta que tivemos é que os negócios da empresa vão muito além de GPS para carros, já que ela fornece diversos produtos e serviços na área de mapeamento, produtos automotivos, gerenciamento de frotas, sistemas telemáticos, gerenciamento de tráfego, etc. tanto para empresas quanto para o usuário final.

Sob esse ponto de vista, ao fornecer um app de navegação de graça para qualquer interessado, este se transforma numa estação de monitoramento remoto capaz de fornecer diversos feedbacks para a empresa, como a lentidão ou mesmo a interrupção do trânsito em algum ponto da cidade fora o informe de acidentes, a presença de novos radares, mudanças na direção das ruas, endereços errados, etc. ou seja, a Tomtom dá uma coisa e recebe outra de volta:

Isso de um certo modo não deixa de ser uma aplicação de IoT + Big Data capaz de produzir análises precisas sobre o tráfego ou até mesmo da vida de uma cidade, o que pode valer uma fortuna para a Tomtom se ela souber encontrar o cliente certo.

E sob esse ponto de vista, quanto mais gente usar o app deles (especialmente agora que é di grátis) melhor ainda né?

Ainda em tempo:

Essa nova versão “freeware” do Tomtom Go Brasil viabilizou um velho desejo: A de transformar o meu bom e velho tablet Mororola Xoom 2 Media Edition num GPS de carro + Media Center:

Lançado em 2011 ele vem equipado com uma tela de 8,2″, processador Texas OMAP 4430 dual core de 1,2 GHz, 1 GB de RAM, 32 GB de armazenamento interno, GPS, Wi-Fi, Bluetooth, 3G e Android 4.4 o que faz dele uma configuração até que bem respeitável — mesmo para os dias de hoje — só que ele é passado para a Motorola Mobile, principalmente depois dela ter sido vendida para a Google e depois para a Lenovo.

Mas o que esse exemplo realmente mostra é que é tecnicamente possível transformar qualquer tablet (ou mesmo um smartphone) que esteja sem uso/encostado num GPS com Tomtom Go, desde que ele disponha de um GPS interno.

Se o usuário desejar informações de trânsito, ai é necessário que o tablet se conecte via Wi-Fi com um smartphone 3G/4G com tethering ativado.

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos