Gadget (retrô) do dia: The C64 Microcomputer

G

Dos mesmos criadores do C64 Mini vem agora numa versão em tamanho real com teclado totalmente funcional 😮

Na onda dos consoles “minis” como o NES / Super NES Classic Edition, PlayStation Classic ou o novíssimo Mega Drive Mini a empresa inglesa Retrogames lançou no ano passado o C64 Mini que, como seus pequenos concorrentes é uma versão em miniatura do venerado Commodore 64 que abriga um hardware baseado no processador ARM + Linux com que roda o interpretador Commodore 64 BASIC mais 64 jogos pré-instalados na sua memória:

Medindo apenas 13,4 x 36,0 x 13,4 x 10,6 cm e 372 gramas de peso…

… ele é uma réplica bem fiel do original apesar de que ele recebeu duras críticas (ou mais exatamente choradeiras e lamentos) dos usuários por dois motivos: A primeira é que o seu joystick é muito ruim e segundo que o seu teclado não é de verdade, ou seja, suas teclas não passam de enfeites, de modo que para operá-lo é preciso usar o seu joystick (horrível) para navegar sobre o seu “teclado virtual”

…ou plugar logo um teclado de PC numa das suas portas USB presentes na sua lateral direita.

Um microcomputador de verdade

A boa notícia, é que a Retrogames anunciou que vai lançar uma nova versão desse C64 só que no tamanho natural e com um teclado de verdade, ou seja, um moderno clone do Commodore 64 rebatizado como The C64 Microcomputer:

As informações disponíveis no site da empresa ainda são vagas e escassas, mas o que dá para entender é que aparentemente se trata da mesma plataforma de hardware do C64 Mini só que dentro de um gabinete maior que abriga um teclado de verdade e totalmente funcional:

Mas ao contrário do Mini que estaria mais para um console do que para um computador propriamente dito, o The C64 pode inicializar e operar de três maneiras diferentes: No modo Commodore 64 BASIC ou VIC 20 BASIC comportando-se assim como um micro…

… ou o no modo chamado “Games Carrousel” que lembra a interface gráfica dos mini consoles da Nintendo:

Fora isso, sua saída de vídeo HDMI gera imagens com resoluçào HD 720p a 50 ou 60 Hz compatibilizando esse sistema tanto para o sistema europeu quanto americano.

Joystick melhorado

Outra grande novidade desse lançamento é uma versão atualizada do seu joystick que, na versão do C64 Mini foi muito criticado por ser meio duro e não responder bem aos comandos.

Segundo a empresa, esse novo modelo além da alavanca na cor preta vem equipada com micro-switches que tornam o mesmo bem mais responsivo, melhorando em muito sua experiência de uso.

64 jogos inclusos (e mais outros via USB)

O games carousel dá acesso à 64 jogos pré-instalados, a saber:

Alleykat, Anarchy, Attack of the Mutant Camels, Avenger, Battle Valley, Bear Bovver, Boulder Dash, Bounder, California Games, Chips Challenge, Confuzion, Cosmic Causeway, Cyberdyne Warrior, Cybernoid II, Deflektor, Destroyer, Everyone’s a Wally, Firelord, Gateway to Apshai, Gribbly’s Day Out, Gridrunner (VIC 20), Heartland, Herobotix, Highway Encounter, Hover Bovver, Impossible Mission, Impossible Mission II, IO, Iridis Alpha, Jumpman, Mega Apocalypse, Mission AD, Monty Mole, Monty on the Run, Nebulus, Netherworld, Nodes of Yesod, Paradroid, Pitstop II, Psychedelia (VIC 20), Ranarama, Robin of the Wood, Silicon Warrior, Skate Crazy, Speedball 2, Spindizzy, Steel, Street Sports Baseball, Street Sports Basketball, Summer Games II (que também inclui o Summer Games events), Super Cycle, Sword of Fargoal, Temple of Apshai Trilogy, The Arc of Yesod, Thing Bounces Back, Thing on a Spring, Trailblazer, Uridium, Who Dares Wins II, Winter Games, World Games, Zynaps, além de dois novos títulos — o jogo de tiro Galencia que parece ser uma cópia sem vergonha homenagem ao Galaga

… e a aventura de texto ( tipo Zork ) Planet of Death que pode ser mais apreciado com o uso do novo teclado físico:

Fora isso, esse sistema também permite ler e até gravar dados (incluindo arquivos multi-discos) num memory key que faz o papel de um disk drive virtual.

Ztop in a Box:

Para quem não sabe, também houve no Brasil o desenvolvimento de Adventures nacionais, sendo que os mais antológicos (na minha opinião) foram aqueles criados na década de 1980 por Renato DeGiovani para a revista Micro-Sistemas como Aventuras da Selva

 

Aventuras_na_Selvaa

 

…que deu origem para a versão comercial Amazônia e — para mim a mais divertida — Aventuras em Serra Pelada cujo enredo era não linear, permitindo assim que o jogador decida como vai ficar rico, seja garimpando, aprontando alguma ou investigando o desaparecimento de uma enorme pepita de ouro chamada carinhosamente de “Dívida Externa”.

 

Para saber mais sobre esses pioneiros dos jogos de computador no Brasil, recomendamos (e muito!) baixar e ler um trabalho acadêmico intitulado Aventuras na Selva: Renato Degiovani, Divino Leitão e o pioneirismo no design de videogames no Brasil escrito por Alan Richard Da Luz.

Disponibilidade e preço

A previsão é que o The C64 chegue no mercado europeu ao fim deste ano (dezembro de 2019), com preços na faixa de £ 109,99 / € 119,99 (~R$ 520 / 534 respectivamente) e já pode ser reservado nos sites da Amazon na Inglaterra, Itália e Alemanha.

Por enquanto a empresa não falou nada sobre uma versão para o mercado norte americano.

Mais informações aqui.

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

Por Mário Nagano

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos