Embot: Um robô de papelão para ensino de STEM

E

Criado pela divisão de novos negócios da NTT DoCoMo, este robô educativo de baixo custo deixa de ser um projeto de P&D para se tornar um produto de fato pela Takara Tomy.

Como já comentamos neste ZTOP+ZUMO, em 2020 o governo japonês irá tornar compulsório o ensino de programação nas escolas primárias japonesas, cujo objetivo é de desenvolver aquelas habilidades necessárias para a nossa vida moderna como o pensamento lógico, a criatividade e, é claro, a tecnologia da informação.

Um conjunto de matérias e assuntos que ficaram popularmente conhecidas como STEM.

Isso fez com que diversas empresas como a Sony, Nintendo e até a Tamiya entrassem de cabeça nesse mercado com produtos até que bem interessantes, porém relativamente complexos e caros para uso generalizado nas escolas públicas:

Dai nos chamou a atenção um novo produto da nossa fabricante favorita de brinquedos — a Takara Tomy — que colocou recentemente no mercado o Omnibot EMBOT um kit de robô programável feito de papelão:

Pesquisa e desenvolvimento

Criado pela 39works (um programa de criação de novos negócios da operadora NTT Docomo) o プログラミング教育用ロボット (= robô educacional de programação) ou simplesmente “Embot” lembra vagamente o Nintendo Labo já que ele também impressiona pela sua simplicidade da sua concepção já que seu corpo é feito de peças de papelão complementado por coisas simples…

… como um par de motores e luzes, um buzzer e um microcontrolador programável (aparentemente algum tipo de Arduino):

Além de ser simples, barato e reciclável, o papelão já é um material bastante familiar para as crianças já que elas costumam usá-lo nas suas brincadeiras diárias para fazer desenhos, pinturas e outras “coisas” inclusive combinando com outros materiais como canudos, copos, garrafas plásticas, tecidos, o escambau..

… o que abre um imenso potencial criativo para o uso do Embot em atividades do tipo “faça você mesmo”:

Programando com fluxogramas

A grande sacada da plataforma Embot é que os programas são estruturados na forma de fluxogramas, ou seja, os comandos são orgranizados na forma de bloquinos que são conectados por meio de setas que indicam o fluxo do algoritmo…

… passando assim a idéia de que um programa pode se comportar como uma ferrovia — com paradas, desvios, retornos e voltas repetitivas — o que ajuda a desenvolver a lógica de programação baseado num modelo da realidade o que também ajuda na depuração e localização de erros.

E com o passar do tempo, o aluno pode evoluir para modelos mais tradicionais de programação visual como o uso de blocos permitindo asim uso de conceitos mais avançados como funções e outros argumentos:

Como é comum nesses casos, esye ambiente de progração já está disponível para download na forma de um app gratuito para iOS e Android.

Disponibilidade e preço

Como já dissemos acima, a Takara Tomy fez uma parceria com a NTT Docomo para colocar o Embot no mercado como parte da sua linha Omnibot / e-Craft Series:

Seu preço sugerido é de apenas 6.600 ienes (~R$ 245) e já pode ser encontrado na lojinha da empresa. Ele funciona com 4 pilhas AA (não inclusas) e é recomendado para crianças à partir de 8 anos apesar que nada impede que marmanjos também possam ter um. 😛

E é claro: o tablet para rodar o app também não acompanha o produto. 😛😛😛

Mais informações aqui.

Ainda em tempo:

Coincidência ou não, Embot me fez lembrar de Danbō (ダンボー) um personagem robô de papelão do mangá Yotsuba& de Kiyohiko Azuma que apareceu pela primeira vez no epísódio 28 (Yotsuba & Danbo) como uma fantasia de papelão criada por Ena Ayase e Miura Hayasaka como um projeto de férias, sendo que esta última foi flagrada (vestida de robô) por Yotsuba que passou a acreditar que ele era real.

O bizarro é que apesar dessa pequena aparição e não ser um personagem regular na série, Danbo é inexplicavelmente muito popular no Japão como item de merchandising

…com direito até a uma série de anime que misturou Danbo com gatos(!!!) chamada Nyanbo! o que é algo notável já que Azuma jurou de pé junto que Yotsubato nunca vai virar desenho animado:

Kawaiii!!! 😍😍😍

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

Disclaimer: o ZTOP+ZUMO tem links de afiliados com a Amazon e pode ser
remunerado caso você clique em links neste artigo e compre algo.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos