Tagipad

5 minutos com Nokia N1

5

No MWC 2015, o antigo estande da Nokia foi substituído pelo da Microsoft. Mas, porém, todavia, entretanto, a “velha” Nokia vive em outro pavilhão, demonstrando soluções de rede, mapas (o adorável Here Maps) e… o tablet N1, que roda Android.

(mais…)

Review: Apple iPad mini

R

O iPad inaugurou a categoria dos tablets como produtos de consumo. O iPad mini, mesmo não sendo uma grande inovação em formato, muda bastante coisa nos tablets com telas menores de 8″. E é um grande concorrente do seu irmão maior, algo curioso para um produto Apple. (mais…)

Gadget low-tech do dia: Speck iGuy (capa de iPad)

G

Crianças com iPads podem ser motivo de profundo estresse e ansiedade. Não pelo o que fazem com o tablet, mas pela forma como tratam o aparato. Um tombo e a tela já era.

Até pouco tempo atrás, meu “campo de força” era uma capinha de silicone, daquelas bem baratinhas.

A capa fez seu serviço quando o iPad da minha pequena, que tem 5 anos e começou com o iPad aos 3, beijou o solo frio.

Mas aí descobri o iGuy, da Speck.

(mais…)

Hands-on: novo iPad (2012)

H

Enquanto não chega de forma oficial via Apple (previsto para 11 de maio, de acordo com a operadora TIM), os amigos trazem o novo iPad na mala. Tenho um iPad original e a diferença na tela é monstruosa, confirmando o monte de relatos que já li sobre o tablet. E, por mais que a concorrência no mundo Android esteja maior hoje em dia (e sem nada que tire o fôlego e cause algum tipo de empolgação), volto a repetir: o novo iPad está um ano na frente dos demais tablets.

Update: O comunicado da TIM diz o seguinte:

“A TIM é a primeira operadora a lançar o novo iPad no Brasil. A terceira geração do tablet da Apple já tem data para chegar: a partir do dia 11 de maio estará à venda nas principais lojas da empresa, incrementando ainda mais o portfólio da TIM para o Dia das Mães. 

Informações sobre preços e disponibilidade serão divulgadas em breve.”

E a Apple, por e-mail, diz: “A Apple não fez nenhum anúncio sobre o novo iPad no Brasil”

O modelo que a @marinalang comprou e trouxe pra mostrar pra gente é um novo iPad de 16 GB com 4G (que não funciona no Brasil)/3G (que funciona aqui). Se você tem um iPad 2, não vai ver nada muito diferente por aqui além da tela.

Visto por trás:

O conector do cabo e ainda o alto-falante embutido (Apple, por que não faz um iPad estéreo?)

O módulo superior que indica que é um aparelho 3G/4G:

A saída para fones de ouvido padrão 3,5 mm e o slot para microSIM:

E a câmera de 5 megapixels em ação, fotografando… o iPad 1:

Lado a lado com a primeira geração. Na foto não dá para perceber direito, mas de perto você vê que a tela do novo iPad tem mais pixels. Ou melhor explicando, no novo iPad você não vê os pixels (em especificações técnicas, são 2048 x 1536 pontos com 264 pixels por polegada, contra 1024 x 768 e 132 pixels por polegada nos dois primeiros iPads).

Mais um exemplo da tela: o teclado virtual. É mais denso na nova tela (acima), mais fácil de ler.

Ou em ícones: acima, o novo iPad, abaixo, o iPad original – menos serrilhados nas fontes, textos mais legíveis. Impressionante.

Leia MAPAS  nas duas imagens abaixo: no iPad novo, não dá para ver o serrilhado na palavra.

Esse foi só um hands-on rápido mesmo com o iPad novo. A impressão geral é que, pelo design, se você tem um iPad 2 não vale muito o upgrade (veja a comparação entre as duas versões no site da Apple). Se você tem um iPad original (ou nenhum), o novo iPad é o tablet a escolher. Até o fim do mês devo ter o meu em mãos para um review completo 🙂 (e obrigado Marina!)

Números enormes: 3 milhões de novos iPads vendidos em um final de semana

N

Três milhões de novos iPads foram vendidos no primeiro final de semana. Três milhões de tablets, ou um milhão a menos que o iPhone 4S após sua estreia nos EUA, em outubro do ano passado.

O número enorme foi divulgado agora pela Apple e se refere às vendas desde a última sexta-feira (16), quando o tablet começou a ser vendido nos Estados Unidos, Austrália, Canadá, França, Alemanha, Hong Kong, Japão, Porto Rico, Singapura, Suíça, Reino Unido e Ilhas Virgens. No comunicado oficial, Phil Schiller, vice-presidente mundial de marketing da companhia, diz que “o novo iPad é um blockbuster com três milhões de unidades vendidas – o lançamento de iPad mais forte até agora. Os consumidores amam os incríveis novos recursos do iPad“.

Nas especificações técnicas, o grande destaque do iPad é a sua tela de 9,7 polegadas com tecnologia Retina Display e resolução monstro de 2048 x 1536.Pra que tudo isso? filmes e jogos em alta definição, editar fotos e vídeos (agora tem iPhoto para iPad, por sinal) e dar uma impressão visual muito mais precisa e nítida para quem vê – como se fosse ainda mais real.

O iPad usa um novo chip A5X dual-core, com GPU quad-core e vem com câmera de 5 megapixels capaz de gravar vídeo Full HD (1080p) com estabilização de imagem. A bateria mantém o padrão dos iPads anteriores, com média de 10 horas de uso, e o preço sugerido é o mesmo do lançamento das versões antigas: o modelo só com Wi-Fi sai por US$ 499 (16 GB) / US$ 599 (32 GB) / US$ 699 (64 GB) e a versão 3G/4G sai por US$ 629 (16 GB) / US$ 729 (32 GB) / US$ 829 (64 GB). Vale lembrar que a versão 4G não vai funcionar com as frequências a serem adotadas pelas operadoras no Brasil.

O iPad 2 continua a existir apenas em versão de 16 GB, mais barata – nos EUA, US$ 399 (Wi-Fi) e US$ 529 (Wi-Fi + 3G), no Brasil, a partir de R$ 1.399 (16 GB, Wi-Fi).

Não há previsão da Apple Brasil para lançamento do novo iPad por aqui ainda. O tablet chega às lojas de mais 24 países na próxima sexta (23).

 

ZTOP explica: o 4G do novo iPad vai funcionar no Brasil (quando tivermos 4G, claro)?

Z

Com a licitação das licenças de uso para o 4G no Brasil confirmada para maio pela presidente Dilma Rousseff, dá para pensar em uma questão importante: se eu comprar, na semana que vem, um novo iPad nos Estados Unidos com 4G habilitado, estarei preparado para quando essa tecnologia aportar no Brasil nos testes previstos para 2013 durante a Copa das Confederações e em 2014 na Copa do Mundo?

A resposta é simples e direta: não, por conta da frequência usada para o 4G nos Estados Unidos ser totalmente diferente da que será adotada no Brasil (e na Europa também, mas isso é outra história, a não ser que você more no Uzbequistão). 

Se comprar um aparelho 4G lá, vai funcionar apenas no 3G aqui (e também nas redes HSPA+, mais rápidas e já em funcionamento pelo menos em São Paulo). Não é um investimento para o futuro pensar no 4G agora.

Lembra no começo da tecnologia 3G no Brasil, que nem todo aparelho comprado lá fora (principalmente na Europa) funcionava aqui? É uma situação similar.

A imagem abaixo resume a questão, e vem da própria página de especificações do novo iPad na Apple americana (na página brasileira, o 4G nem é citado, já que ainda estão no ar as especificações do iPad 2):

Leia bem: o modelo LTE para a operadora AT&T usa as frequências de 700 e 2.100 MHz, o da Verizon usa apenas 700 MHz. Nas observações de pé de página, a Apple diz com todas as letras: “4G LTE é compatível com as redes da AT&T e Verizon nos Estados Unidos; e redes da Bell, Rogers e Telus no Canadá”.

No Brasil, a principal frequência que será leiloada é a de 2,5 GHz (entre outras faixas de espectro menores), que (setudodercertoquerovernaCopa) estarão em pleno funcionamento na Copa de 2014, como comentou Erasmo Rojas, diretor para América Latina da 4G Americas, em um papo que tivemos durante o Mobile World Congress 2012, em Barcelona.

E, óbvio, as operadoras de telefonia estão chiando por conta do prazo da licitação (mas se a Dilma disse que vai ter leilão em maio, vai ter leilão em maio, certo?)

Claro que em 2013 veremos um novo novo iPad, e até 2014 teremos um novo novo novo iPad, mas não custa nada pensar no futuro, né? (tks Jesper!)

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos