ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Sony traz Blu-ray player ao Brasil

Blu-ray vs HD-DVDA Sony decidiu se juntar í  LG, Samsung, Panasonic e Philips e está lançando no Brasil o BDP-S1E, um player Blu-ray que já está disponí­vel há algum tempo no mercado europeu.

O aparelho é capaz de reproduzir imagens em Full HD (1080p) e também toca discos DVD-Video, DVD+R/-R/-RW/+RW, CD-R/RW, arquivos MP3 e imagens em JPEG. Também faz “upscaling” de discos DVD para as resoluções 720p/1080i/1080p, o que permite que você assista aos filmes de sua coleção já existente em uma TV de alta definição com mais qualidade do que teria ligando diretamente um DVD Player comum.

Outras funções são a Bravia Theatre Sync, para operação conjunta da TV (Bravia, claro) e do player com um único controle remoto, 24p True Cinema, para exibir a imagem a 24 quadros por segundo, como no cinema e x.v Color e Cinema Tuned Picture, para reforçar a precisão das cores e ajustar a imagem de acordo com as caracterí­sticas de iluminação do ambiente. O BDP-S1E tem saí­das de ví­deo via HDMI, Ví­deo Componente, Ví­deo Composto e S-Ví­deo, e saí­das de áudio HDMI, í“ptica Digital, Digital Coaxial, Analógica para 5.1 canais e Analógica estéreo para áudio. O aparelho já está í  venda na loja online da Sony, a Sony Style, pelo “preço-padrão para alta definição” de R$ 3.999.

Blu-ray Sony BDP-S1E

Se estivesse procurando um player de alta definição, eu esperaria mais um pouco. A LG já tem um modelo hí­brido no mercado, o BH100 (“apenas” R$ 4799), que toca Blu-Ray e HD-DVD, mas tem algumas limitações neste último formato (como a falta de interatividade). Entretanto, a Samsung está prometendo para o fim do ano um outro player hí­brido, chamado BD-UP5000, que terá compatibilidade total com ambos os formatos. Assim como os drives “Super Multi” acabaram com a guerra entre DVD-R e DVD+R, player hí­bridos vão colocar a escolha nas mãos do consumidor: compre os filmes que mais gosta, no formato que tiver mais conteúdo pelo melhor preço.

Quem sabe na próxima geração as empresas não aprendem a unir esforços e apoiar um único formato? Ah, esqueci. Não vai haver “próxima geração”. Acredito piamente que o disco óptico, como forma de entretenimento doméstico, está com os dias contatos, e será substituí­do em breve por sistemas digitais de distribuição de conteúdo. Como a iTunes Store, mas em escala maior. Contanto que não repitam o fiasco do finado DIVX (o player, não o formato de ví­deo), estou nessa.

  • Hm… Dá pra explicar porque você acha que os players de DivX foram um fiasco?

    BTW, eu não concordo. Tenho um LG em casa que roda todo e qualquer tipo de vídeo que eu baixo da internet (menos 720p, claro).

  • Opa, com certeza!

    Não estou falando do tipo de player DiVX que você (e eu também, um Philips DVP642K) tem em casa. Estes são uma excelente idéia (e o começo da mudança para distribuição digital de que falei no post). Estou falando do finado DIVX, um formato de vídeo em disco ótico concorrente do DVD. Clica no link no post e você vai cair na página da Wikipedia com tudo o que sempre quis saber sobre ele, mas nunca teve a quem perguntar.