ZTOP+ZUMO 10 anos!

Sony sai na frente com seu Centrino 2

Como noticiamos ontem, a Sony Brasil anunciou ontem a nova linha VAIO da série FW, baseada na nova plataforma móvel Centrino 2. Acho que depois da Apple, a Sony seja a empresa que melhor cuida da imagem da sua linha de computadores e, por mais genérica que possa ser a sua plataforma, a linha VAIO sempre foi mais tratada como um produto e sim como um conceito.

Desde a sua concepção, os computadores VAIO fazem parte do ecossistema de entretenimento da Sony funcionando como uma central de armazenamento, processamento e direcionamento de mí­dia (VAIO = Video Audio Integrated Operation) e isso numa época em que termos como “Midia Center” ou o “Centro de seu mundo digital” ainda não eram chavões do mercado. E com a chegada da linha FW a própria Sony redefine o conceito do VAIO, descrevendo o produto como um organizador inteligente de audiovisual (Visual Audio Intelligent Organizer).

Com isso o inventor do Walkman deseja enfatizar algumas caracterí­sticas de seus portáteis e como seus recursos podem interagir com seu público-alvo: usuários avançados que gostam de ver e criar conteúdo digital, agora em full HD. Segundo Francisco Simon, gerente de marketing e vendas para a linha VAIO no Brasil, muita gente não sabe, mas qualquer foto tirada com uma câmera digital de 4 megapixels já pode ser considerada Full HD.

Essa visão também mostra um forte direcionamento da linha VAIO para o mercado de consumo, ao contrário de outras empresas que procuram ficar num meio termo ou mantém linhas especí­ficas de portáteis para casas e empresas. Até cheguei a perguntar para os executivos da Sony qual é a sua estratégia de apresentar sua linha de computadores para o mercado corporativo e eles reconheceram que o foco nesse momento é o usuário final, mas que nada impede que alguma empresa interessada compre equipamentos da Sony.

Para quem não sabe, apesar da predominância dos ThinkPads entre os funcionários da Intel, os VAIO também são homologados pela empresa para algumas aplicações especí­ficas.

Entre as novidades da linha FW, além de adotar a nova plataforma Centrino 2, suporte para conteúdo em Full HD, Blu-Ray e alguns detalhes de design, o que mais chamou a atenção desse produto é sua nova tela LCD XBRITE de 16,4″ com resolução nativa de 1.600 x 900 pixels na proporção 16:9 – a mesma usada pelo padrão HDTV.

Se comparado com a tela padrão de 1.280 x 800 pixels (16:10), no caso de ví­deos em 16:9, a nova tela de 16,4″ ocupa todo o espaço disponí­vel eliminando as notórias faixas pretas que tanta gente diz abominar (não sei por que, diga-se de passagem). Mas esse espaço extra (cerca de 40% a mais) também pode ser aproveitado em aplicações profissionais e no dia a dia, na forma de mais linhas e colunas na planilha eletrônica, mais widgets na tela ou até mesmo mais conteúdo no seu navegador web:

Por volta de 15 de agosto, os primeiros modelos da nova linha VAIO FW devem chegar í s lojas em três versões: o VGN-FW140AE, VGN-FW160AE e o VGN-FW180AE. Todos já montados no Brasil e, ao contrário do que pode parecer, a plataforma em si é praticamente a mesma, com diferenças na quantidade de memória, capacidade do disco rí­gido e na unidade óptica:

Como podemos ver, a variação de preço é bastante considerável, principalmente se o usuário optar pelas unidades de disco Blu-Ray. Mas esse é o preço que se paga pelo uso de tecnologias muito novas. Alguém se lembra da época em que se pagava algo em torno de mil reais por um gravador de DVD 1x ou 2x e ainda se arriscava a perder a mí­dia por engasgos na interface de dados?

No final da apresentação, a Sony ainda deu uma canja do seu próximo lançamento nacional: o VAIO série Z, um modelo leve e fino com tela de 13,3″ e Blu-Ray integrado que deve vir para brigar com outros “mata-MacBook-Air” do mercado, como o ThinkPad X300 da Lenovo, XPS-1330 da Dell e o Voodoo Envy da HP.

Preparem suas carteiras…

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • O maior problema do Sony Vaio é o preço, que apesar influencia bastante na hora da escolha de um notebook.