Sony Ericsson Xperia X1: abrindo a caixa (e outras surpresas)

S

Aqui neste Zumo já vimos o Sony Ericsson Xperia X1 na mão (e só na mão) de executivos da empresa e até falamos de outros blogs abrindo a caixa do aparelho, mas agora chegou nossa vez – o smartphone com tela sensível ao toque e Windows Mobile 6.1 chegou ontem no fim da tarde, junto com outra surpresa que eu só conto no final do vídeo a seguir.

Primeiras impressões: sua interface sensível ao toque é tão rápida quanto a do Nokia 5800 e é bem mais veloz que um equivalente Windows Mobile 6.1, o Samsung Omnia.

A “X Panel”, interface de widgets desenvolvida pela Sony Ericsson para “enganar” o consumidor que ele está usando um aparelho com Windows funciona bem (melhor que o TouchWiz do Omnia). Sem SIM card, o X1 se conectou com facilidade à minha rede Wi-Fi e, como o aparelho da Samsung, vem com o Opera Mobile 9.5 como navegador padrão (tem até manual de instruções pro browser). E vem até com um widget pro Google.

Precisa da caneta stylus? Sim, pra tocar nos cantos da tela, por conta de ícones minúsculos do sistema operacional. Mas dá pra usar o dedo numa boa – é só ter cuidado.

O X1 é um aparelho grande e pesado (110,5 x 52,6 x 17 mm; 158 gramas). Gostei bastante da resolução da tela. O teclado QWERTY tem bom espaçamento entre as teclas, mas elas são muito “planas” (pouco espessas em relação à base de alumínio escovado). A câmera de 3,2 megapixels me pareceu meio lenta em comparação a outros modelos da fabricante.

Não, eu não sei o preço do X1 ainda. Vai ser caro, isso é fato. Bem caro.

Finalmente, o vídeo da abertura da caixa, com o Xperia X1 em funcionamento e, no final, uma surpresa com outro aparelho da Sony Ericsson que também veio pra testes (nota mental para Jô Auricchio e associados do chi-Link: apaguem as imagens do telefone antes de devolver… tem coisa comprometedora ali!).

Observação: vídeo atualizado com som completo

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos