ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Sony em alfa

A Sony vai lançar ainda em agosto sua primeira câmera D-SLR, a A100, no mercado latino-americano – incluindo o Brasil. Com preço estimado em US$ 900 nos Estados Unidos (apenas o corpo), a A100 utiliza tecnologia desenvolvida pela Sony após a compra da divisão de câmeras da Konica Minolta.

A A100 é o primeiro modelo da série a (Alpha), com resolução máxima de 10,2 megapixels e CCD de 24 mm (APS), recursos de estabilização de imagem (Super Steady Shot), proteção do CCD contra poeira e um novo processador de imagens, denominado Bionz. A tela LCD é de 2,5 polegadas, bastante ní­tida. A câmera é compatí­vel com cartões de memória padrão Memory Stick e Compact Flash.

A Sony vai lançar 19 lentes e dois teleconversores para a linha Alpha, porém a câmera aceita lentes com foco automático de outros modelos produzidos pela Konica Minolta. Apesar de não informar os preços para o Brasil, a Sony deve começar a vender a câmera em kits com lentes – um com lente de 18-70 mm (equivalente a 27-105 mm em câmeras 35 mm) – e outro com duas lentes (18-70 mm e 75-300 mm).

A fabricante estima que o mercado de câmeras D-SLR é de 5 milhões de câmeras vendidas anualmente (7% do mercado total de câmeras digitais em todo o mundo). Até 2008, a Sony tem a meta de conseguir 10% desse mercado das D-SLR.

Este blog teve acesso, em primeira mão, a uma versão preliminar da A100 com a lente 18-70 mm. Como qualquer D-SLR, é uma câmera com uma boa “pegada”, bastante firme para segurar. O local de testes foi uma cobertura na praia de Ipanema, no Rio de Janeiro. Para paisagens e retratos, o zoom de 18-70 mm é mais que suficiente. As imagens geradas í  luz do dia ficaram bastante ní­tidas e com pouquí­ssima aberração cromática aparente. Como foram testes apenas para “brincar” com a câmera, é melhor mostrar os resultados do que falar sobre a câmera – clique nas imagens para vê-las em resolução máxima. Algumas fotos que eu tirei estão aqui.

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

Próximo post: