ZTOP+ZUMO 10 anos!

Sony: em ano de Copa, 4K é a aposta (bônus: Netflix em 4K)

CES 2014: A Sony fez sua tradicional conferência de imprensa na CES 2014 no modo mais cuidadoso possível: tudo em modo lento, muito ensaiado, com teleprompters visíveis por todos (era só olhar pra trás ou, dependendo do local, para o lado) e poucas demonstrações de produto ao vivo (contexto: ano passado, a abertura do evento – uma contagem regressiva em vídeo mostrando quão artesanal é o processo de criação da companhia – travou e teve de ser repetida, e tiveram problemas com demonstrações de TVs).

A palavra de ordem: diversão – segundo Kaz Hirai, CEO da Sony, os produtos da companhia seguem diversos mantras, e o do momento é “play” (seja um jogo ou uma música). Para isso, novas e lindas telas grandes 4K (o que é 4K?) e serviços relacionados às televisões de ultradefinição. O que é importante saber da Sony agora:

1) as telas grandes novas 4K (de 49″ a 85″, totalizando 9 modelos) têm melhoria de imagem em comparação aos modelos de 2013, graças a um novo engine para gerar imagens (e é bonito pacas).

2) já dá para produzir conteúdo 4K de forma amadora em casa: basta gastar cerca de US$ 2 mil em uma handycam Sony (e ver na sua TV da marca, claro). A própria Sony faz piada com isso: “é 2K para ter 4K”.

3) no meio do caminho, áudio HD pode ser interessante (igualmente para ricos). Aparelhos e álbuns (da Sony Music) estarão disponíveis.

4) Teve um telefone novo da Sony Mobile.

É o Xperia Z1 Compact, uma versão com o mesmo hardware/câmera do Xperia Z1, só que menor (tela de 4,3″ e com versões novas em rosa e verde-limão). Sem previsão de lançamento no Brasil ainda, segundo Joe Takata, gerente de produto da Sony Mobile Brasil.

Aqui ao lado do Z1, tomando um banho para mostrar que é à prova d’água:

SONY DSC

5)  teve um monte de “smartwear”, dispositivos pessoais conectados (preciso voltar lá para entender direito) – mas vão de “lifelogs” pessoais a uma bolinha que rastreia seu desempenho no jogo de tênis (!)

6) sem alarde, a linha de câmeras NEX morreu. Quer dizer, o nome NEX morreu. As câmeras sem espelho com lente intercambiável (e favoritas deste ZTOP) agora fazem parte da família Alpha de câmeras digitais. O primeiro lançamento é a Sony Alpha 5000 (20,1 megapixels, NFC, Wi-Fi):

SONY DSC

Mas, no fim das contas, de que adianta tanto 4K (e resolução sobrando) se não temos o que ver? Bem, para resolver isso, Reed Hastings, CEO da Netflix, subiu ao palco pra falar das suas séries produzidas em 4K (House of Cards e Orange is The new Black). Depois da coletiva, fui ver de perto: a sensação que deu foi “ooh, que incrível” à primeira vista. Depois, deu para perceber que cenas claras são muito boas, cenas mais escuras ficam granuladas.

De qualquer modo, é um primeiro passo para ver 4K sem precisar comprar um Blu-ray player compatível. Veja as fotos:

SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSCSONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

  • Leandro Pires

    Muito bom, 4k é interessante, já vi pessoas verem televisões 4k em lojas e falarem que é 3D sem óculos, pois acharam a imagem tão bonita tão perfeita que pensaram que era 3D.