Números enormes: câmera Sony α6400

N

A nova Sony α6400 é dona do recorde do autofoco mais rápido do mundo: apenas 0,02 segundo. E chega ao Brasil em março.

Por que importa?

A Sony α6400 entra na série de câmeras que trocam lente (sem sensor completo, é um APS-C) que são pequenas e portáteis. Já tive duas câmeras dessa família com encaixe de lente padrão E e são muito boas (e fáceis de carregar). Achava que a Sony tinha descontinuado as câmeras Alpha APS-C, mas estava errado.

a Sony NEX-F3 foi uma das primeiras câmeras APS-C com lentes intercambiáveis a chegar ao Brasil, lá em 2012

Principais tecnologias da câmera, muitas delas vindas das demais câmeras profissionais da Sony:

  • Autofoco mais rápido do mundo: 0,02 segundo (com detecção de fase de 425 pontos)
  • Sensor CMOS de 24,2 megapixels Sony EXMOR APS-C com processador de imagem Bionz X (também da Sony)
  • Tela traseira LCD móvel (180 graus)
  • Disparo de até 11 quadros por segundo (ou 8 no modo silencioso), mantendo o contínuo o foco automático/exposição
  • Gravação de vídeos em resolução 4K
  • Rastreamento em tempo real: um algoritmo baseado em inteligência artificial reconhece objetos e processa cor, distância do objeto (profundidade), padrões (brilho) e informação espacial para manter a precisão no foco. Diz a Sony que, ao fotografar ou filmar pessoas ou animais, dados de posição de rosto e olhos é reconhecido pela IA e monitorada / rastreada com grande precisão.

Quanto custa?

Nos Estados Unidos, a Sony α6400 começa a ser vendida em fevereiro pelo valor sugerido de US$ 900 (só o corpo), US$ 1.000 (kit com lente 16-50 mm) ou US$ 1.300 (kit com lente 18-135 mm).

A Sony Brasil informa que a α6400 será vendida no mercado local a partir de março, sem preço definido ainda.

Sony α6400: galeria de fotos

[Sony]

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

Por Henrique Martin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos