ZTOP+ZUMO

Intel tem “contadora de histórias” para explicar tecnologia

Como a arte de fazer rabiscos notas e desenhos pode ajudar as pessoas a compreenderem o complexo mundo em que vivemos.

Sarah Moyle foi contratada pela Intel para trabalhar como generalista de recursos humanos, mas acabou sendo transferida para o UX (user experience) group graças à sua criatividade e a oportunidade de aproveitar os seus talentos artísticos como uma ferramenta educacional para seus colegas de trabalho.

Isso porque ela é muito boa numa atividade o que os anglicanos estão chamando de “visual storyteller” ou “visual practitioner” ou seja, um contador de histórias que utiliza imagens para enriquecer sua narrativa.

De fato, o que realmente chama a atenção no seu trabalho, é que Moyle tira proveito de ferramentas simples, como desenhos a mão que são, no máximo, registrados e editados em vídeo, o que ajuda na sua divulgação em veículos da moda como o YouTube.

Numa empresa como a Intel, sempre existe a necessidade de alguém capaz de desmistificar assuntos complexos como computação na nuvem

… ou o que é código aberto de uma maneira simples e didática:

Fora os programas de treinamento mais tradicionais, sempre existe a demanda por algo menor e mais nutritivo que possa ser consumido de maneira rápida e que satisfaça nossa fome por conhecimento, e é ai que entra o trabalho de Moyle.

Ela explica que as pessoas frequentemente parecer estar desinteressadas por novas informações, o que dificulta a tarefa de ensinar, por mais que um belo texto ou uma cabeça falante possa parecer num vídeo.

E talvez seja por causa disso que rabiscar num quadro branco ainda seja tão eficiente, já que ela chama a atenção das pessoas por causa da mudança de cenário, o que provoca novas sensações visuais o que é primordial nos dias de hoje onde as pessoas estão sempre a procura de coisas diferentes para estimular seus cérebros.

Inicialmente ela usava uma câmera Flip e um quadro branco na Intel para produzir seus vídeos. Atualmente, ela faz isso em casa, usando uma câmera HD. Ela prepara um script…

visual-storyteller… que depois é quebrado em cenas que são desenhadas no seu quadro branco. A trilha de áudio é gravada separadamente e serve como linha condutora da narrativa onde o vídeo é acelerado ou desacelerado para sincronizar com o diálogo. Ela estima que cada minuto de vídeo leva aproximadamente uma hora para ser produzido.

Sara estima de 25% do seu trabalho é desenhando mas 100% do seu trabalho na Intel está focado na parte artística e visual e no desenho de outros elementos visuais que ajudam a contar suas histórias, como infográficos.

Ela já completou mais de 40 vídeos para os mais diferentes departamentos da empresa, incluindo o RH e o grupo de software. Ela também faz palestras ao vivo usando um grande quadro branco para garantir que os principais assuntos da suas apresentações não se perca no meio do emaranhado de informações. Assim o quadro também funciona como um resumo visual do que foi dito de uma maneira que as pessoas acham mais fácil de ser assimilada. Veja mais vídeos no seu canal no Youtube ou visite o seu site em sarahmoyke.com

Ainda em tempo:

Outro exemplo bem bacana de Visual Storyteller é Annie Leonard, mais conhecida pela criação do vídeo The Story of Stuff (A história das coisas) onde ela faz uma crítica feroz ao que costumo chamar de o alto custo dos preços baixos ou seja, os custos sociais e ambientais do atual sistema de exploração dos recursos naturais, produção e consumo — em especial o americano — que não aparecem para o consumidor final mas que, no final das contas é pago por outras pessoas, normalmente algum trabalhador mal-pago trabalhando em condições que você nunca aceitaria em algum país do terceiro mundo.

Acesse o botão de “settings” deste vídeo para ativar e selecionar a legenda em português.

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Adriano De Lima 05/10/2016, 15:50

    It’s magic!
    Realmente um trabalho excepcional, que deve dar muito trabalho fazer, mas que certamente é muito gratificante também.