ZTOP+ZUMO 10 anos!

Hands-on: Samsung Galaxy Note 8

O Samsung Galaxy Note 8 representa uma redenção para a fabricante coreana. O novo smartphone (foblet!) anunciado hoje em Nova York aprimora recursos apresentados no aparelho principal da marca (Galaxy S8) e traz novidades, como a câmera dupla e novas funções para a caneta S Pen.

O aparelho será lançado nos Estados Unidos em 15 de setembro, e após essa data – em algum momento não definido até outubro – o smartphone chega ao mercado brasileiro.

O Galaxy Note 8 traz uma tela grande de 6,3 polegadas, um pouco maior que a do Galaxy S8+. De cara dá para ver que é um aparelho diferente dos irmãos apresentados em março, graças às bordas menos arredondas e um design com cantos mais definidos do Note 8. Tudo para encaixar a caneta S Pen e tornar o dispositivo mais ergonômico.

E, por ser o topo de linha da marca, tem especificações de hardware cheias de números enormes. Redenção? Sim. O Galaxy Note 7 era incrível, mas pegava fogo e sumiu do mercado. Entendo que a linha Note é a que testa novos recursos que serão implementados nas demais linhas a partir do ano seguinte.

Exemplo: o Note 7 tinha reconhecimento de íris para segurança/desbloqueio de tela. O Galaxy S8 veio com o mesmo recurso, o Note 8 também. O Note 8 tem duas câmeras, logo grande chance do Galaxy S9 em 2018 vir com duas câmeras. Apesar das inúmeras desculpas pedidas (e pelas correções de segurança na bateria), a Samsung deixou claro na apresentação que o Note 7 deixou muitos órfãos, e por isso vejo que o Note 8 é um aparelho redentor para a marca.

Na parte inferior do Galaxy Note 8, estão o conector para fones de ouvido padrão 3,5mm, o conector USB-C para recarga rápida e troca de dados com o computador e o slot para a S Pen.

Acima, apenas um slot para o SIM card e cartão de memória microSD. A versão brasileira do Note 8 terá o slot híbrido, capaz de aceitar um SIM card e o microSD ou dois SIM cards de operadoras.

Nas laterais, o Note 8 é similar a outros aparelhos da Samsung: botão de liga-desliga na direita…

E controle de volume e o botão dedicado para a assistente Bixby na esquerda. 

Na parte superior da tela, o leitor de íris, a câmera frontal e o alto-falante. Note como a tela curvada preenche as laterais, mas o aparelho tem ângulos mais agudos em comparação com o S8+ (na foto seguinte). Também seguindo o design do S8, o Note 8 não tem botão frontal físico, apenas um virtual.

E a S Pen, claro. 

Atrás estão as mudanças. A câmera traseira é novidade: são duas lentes – uma grande angular e uma com zoom – de abertura f/1.7 (grande angular) e f/2.4 (zoom) – com resolução de 12 megapixels e estabilização óptica de imagem nas duas lentes, que evita tirar fotos tremidas. O leitor de impressões digitais continua ali, ao lado do sensor de batimentos cardíacos e do flash integrado.

Zoom? Sim. Aqui na grande angular (oi Fogaça!): 

E aqui no zoom: Grande angular: 

Zoom:

Tanto a câmera frontal quanto a traseira também tiram fotos na proporção da tela do Note 8 (18,5:9) – e a tela ocupa 83% da parte frontal do aparelho. Outro destaque interessante das câmeras traseiras é o que a Samsung chama de Foco Dinâmico, nome besta para tirar fotos com o fundo desfocado (ótimo para retratos). Por software, é possível controlar o foco ou a nitidez de parte da imagem, mesmo após ter fotografado algo.

O Galaxy Note 8 vem com Android 7.1.1 instalado de fábrica.

Como no S8, o Note 8 tem o botão da Bixby instalado. O recurso de comando de voz para a assistente virtual da Samsung foi liberado recentemente, mas em inglês e coreano apenas, sem previsão para o português ainda.

As quatro cores de acabamento do Galaxy Note 8: preto, dourado, azul (o mais bonito, pra mim) e ametista (que é um prateado furta-cor). A traseira em vidro é um ímã de impressões digitais.

Recursos da S Pen

Qual a necessidade de uma caneta no smartphone? Pra muita gente, tomar nota. Por isso, a Samsung tornou a tela de descanso do Note 8 em um bloco de notas – de até 100 páginas, basta tirar a caneta do slot. Como toda geração nova de Galaxy Note, a S Pen tem cada vez maior nível de detalhe/pressão/sensibilidade (0,7 mm na ponta, 4096 pontos de pressão). 

Entre as demais funções da S Pen, criar GIFs animados, desenhar e rabiscar em telas e imagens e traduzir trechos de textos (em até 71 idiomas)  e converter moedas e medidas em tempo real (se estiver conectado, claro). O app/comunidade PenUP da Samsung virá com extras, como páginas para colorir (estilo livros “Jardim Secreto”) – legal, né?

Nos acessórios, poucas novidades: capas em couro “Alcantara”

E essa bizarrice em duas partes:

Híbridos de capas/apoios de aparelho:

Bases de recarga rápida:

O Galaxy Note 8 é compatível com o acessório Dex, que pode ser ligado a um monitor/teclado/mouse e amplia os recursos de produtividade do smartphone.

E até novas baterias portáteis.

Ah sim, quem tiver um Gear VR (óculos de realidade virtual) da Samsung compatível com o S7/S7 edge ou com o S8/S8+ terá de trocar de aparelho: o Note 8 requer um novo acessório de realidade virtual.

Bônus: o super palco/telão do keynote.

A apresentação da Samsung foi feita em um antigo prédio da Guarda Nacional norte-americana (hoje transformado em museu). E teve três, digamos, telões de altíssima definição: dois verticais e um horizontal, no chão. Os efeitos visuais foram incríveis:

Disclaimer: ZTOP viajou a Nova York a convite da Samsung. Todas as fotos, opiniões e piadinhas infames são nossas

  • Sou do tempo do PalmOs com stylus, necessidade da tela resistiva, passando por Windows Mobile e Symbian touch/UIQ
    Com a tela capacitiva do iPhone 1, veio a ruptura com o passado e a necessidade de se abandonar as canetas.

    Mas a linha Note veio consolidar a stylus como produto de nicho, seja no antigo Note 10.1 (que possuo mas se arrastando a cada abertura do photoshop), passando pelo Note 8 e Note smartphone – então surgiu o Tab A com caneta (p355 de 8″ ou P555 de 10″)

    Third Parties perceberam a importancia de atender um publico estranho nos iPad, e temos as canetas Jot ou Adonit, por exemplo.
    E a Apple viu que tem demanda e lançou sua própria caneta.

    Agora, o Note 8 vem como um verdadeiro Flagship e esta na minha wish list – poderia ter mais bateria, mas gato escaldado tem medo de água fria, pelo menos tem Slot mSD (que não tem no Note 5), Proteção IP68 e Conexão P2

    Sobre o foco, desde o S7 e Note 5 já tinha o Foco Seletivo, que bate foto com foco duplo (perto ou longe)
    mas como é via software, algumas fotos não “pegam” o efeito corretamente – com pessoas funciona melhor que paisagens.