Pocket review: smartphone Samsung Galaxy A80

P

O Samsung Galaxy A80 confirmou minhas suspeitas: é um bom teste para o futuro dos smartphones da marca coreana. Apesar de ser um teste, é uma ótima máquina de selfies (e stories em primeira pessoa no Instagram – não é o meu caso).

Desde seu anúncio, alguns meses atrás, falamos que a solução do Galaxy A80 para o “problema” do notch/entalhe/franja na frente dos smartphones é no mínimo genial: o aparelho tem uma tela cheia, sem interrupções e poucas bordas…

…o que o deixa com um aproveitamento enorme do espaço de visualização, sem precisar recorrer a truques para manter o entorno de software em uma câmera frontal.

OneUI do Android 9 no A80

E que a câmera frontal é, na verdade, a câmera traseira com um motor giratório que a leva para a frente, após subir uma peça móvel traseira?

Mas – e mas – tanto design em torno de uma tela gigante de 6,7 polegadas cria problemas (de primeiro mundo) para o consumidor: o Galaxy A80 é grande. Mede 165,2 x 76,5 x 9,3 mm, é um pouco mais alto que o Galaxy Note 9 (161,9 x 76,4 x 8,8 mm) e não necessariamente cabe no bolso da sua calça jeans.

A80 ao lado do Note 9: grandões

De qualquer modo, o design grande do Galaxy A80 traz algumas novidades. A melhor delas é a ausência do botão para ativar a Bixby no lado esquerdo do aparelho – apenas o controle de volume está lá…

….e o liga-desliga do lado direito.

No topo do aparelho, por conta da peça móvel da câmera, não temos entradas…

…E embaixo está o conector USB-C e gaveta para SIM card (duplo). Duas ausências aqui: o conector 3,5 mm para fone de ouvido e e expansão com cartões microSD (na bandeja do SIM card). Vale lembrar que o A80 vem com 8GB de RAM e 128 GB de armazenamento internos, rodando em um processador Qualcomm 730, que faz uma boa estreia como um “mid-high”.

A câmera

O Galaxy A80 conta com uma câmera de 48 megapixels com um sensor Time of Flight (presente no Galaxy S10 5G e no Huawei P30 Pro) que ajuda a medir profundidade nas imagens. Além disso, uma câmera grande angular de 8 megapixels completa o pacote. No modo “câmera traseira”, ele fica assim:

… Porém abra a câmera e ative a câmera frontal para a parte traseira subir um pouco e girar a câmera para a frente.

Galaxy A80 visto por trás com a câmera virada para a frente

E a câmera é boa? Opinião pessoal: excelente para selfies descabeladas… o sensor ToF ajuda a criar um desfoque muito bom no fundo.

Mas no dia a dia, os resultados são muito variáveis, tendendo a ter imagens (com a câmera ~ traseira ~) um pouco lavadas demais (as fotos do review do Kindle Oasis e da cobertura da Eletrolar foram feitas com o A80 – no caso da Eletrolar, ao editar as fotos vi que muitas estavam borradas/sem foco).

E outras com um ótimo balanço de branco e foco:

Algo muito interessante que percebi é que a câmera tem uma transição muito boa e suave quando você alterna entre traseira e frontal ao fazer vídeos (e stories pro Instagram) – o Rudy Caro tem uns exemplos no Instagram dele nos destaques.

A tela

Tá, a tela cheia, sem bordas tem proporção 20:9. Aí você pensa, oba, vou ver um vídeo de tela cheia em 16:9 no YouTube e…

Troca de vídeo, vai pro Netflix e…

E por aí vai. Então o “sonho da tela sem bordas” é mais ou menos com bordas porque a proporção da tela é fora do padrão. Talvez em games a coisa funcione melhor, mas eu – por motivos além da explicação neste blog – não jogo nada no smartphone faz uns 10 meses e não pretendo voltar tão cedo. Sério.

Até mesmo em fotos com resolução “tela cheia” na câmera.

Os extras

Fones de ouvido: a caixa do Galaxy A80 vem com fones USB-C. São melhores que os fones da série A em geral, mas não são AKG como da série S ou Note. Pro dia-a-dia (e para a falta de alternativas de fones USB-C no mercado), funciona bem. Vale notar que a caixa vem sem um adaptador USB-C para 3,5 mm (comprei um faz tempo nos sites ~ chineses ~ e paguei algo em torno de US$ 3, chegou 2 meses depois).

A bateria de 3.700 mAH aguenta o dia inteiro de uso (terminei um dia com 30%, o que está bom demais). O interessante é que a Samsung colocou um carregador USB-C de 25W na caixa para carga rápida na bateria. Não é a estupidez veloz do Huawei P30 Pro e seus 45W, mas é muito bom.

E a caixa também traz uma capa emborrachada protetora, que deixa exposta a câmera (e a parte móvel):

Conclusões

A série A permite à Samsung experimentar coisas novas em sua linha de smartphones – são tantos produtos e opções que o Galaxy A80 é o topo de linha desse monte de invenções, com sua câmera giratória – por enquanto, é o único smartphone à venda com “tela cheia” (o Asus Zenfone 6 também tem uma câmera que gira, mas não foi lançado ainda, e o Xiaomi Mi9T está para chegar com sua câmera pop-up). Gostei da bateria, do desempenho e, no geral, da tela, mas a câmera em muitos momentos deixou a desejar.

Samsung Galaxy A80: resumo

O que é isso? Smartphone com tela enorme sem notch/entalhe no topo do display.
O que é legal? A câmera giratória, principalmente para selfies com foco dinâmico e vídeos.
O que é imoral?  As imagens da câmera podem deixar na mão. Não tem conector de fone de ouvido 3,5mm ou adaptador na caixa.
O que mais?  Carga rápida na bateria, design lindo. É caro para a faixa intermediária.
Avaliação: 7 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação
Preço sugerido: R$ 3.499
Onde encontrar: Samsung

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

Disclaimer: o ZTOP+ZUMO tem links de afiliados com a Amazon e pode ser
remunerado caso você clique em links neste artigo e compre algo.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos