Review: fones Sony WH-1000X M3 com cancelamento de ruído

R

Os fones de ouvido Sony WH-1000X M3 com cancelamento de ruído são uma pequena obsessão tecnológica pessoal desde a versão anterior (M2). O pessoal da Sony Brasil me emprestou um para usar na melhor situação de cancelamento de ruído: dentro de um avião, durante o vôo.

Sony WH-1000X M3: design

O Sony WH-1000X M3 vem em um elegante estojo rígido para transporte que combina com a cor dos fones (neste caso, prata. Há uma versão em preto também).

Dentro do estojo, os fones propriamente ditos e seus acessórios: um cabo 3,5 mm de 1,2 metro; um adaptador para plug duplo de algumas companhias aéreas (raros de encontrar hoje em dia, mas sempre aparecem quando você está sem o adaptador) e um cabo USB-A para USB-C para recarga da bateria interna de lítio. O fone pesa 255 gramas – é bem leve durante o uso.

O comando dos fones propriamente ditos é feito via aplicativo (mais sobre isso adiante) ou no corpo dos fones. No fone direito está o conector USB-C para recarga da bateria; no esquerdo, o conector 3,5 mm e os botões de liga/desliga tanto do aparelho como do cancelamento de ruído.

Porém a superfície dos cascos externos é sensível ao toque. No fone direito temos um sensor NFC para pareamento rápido com o smartphone (confesso que esqueci que estava ali) e no esquerdo, comandos de reproduzir/pausar músicas/atender ligações, aumentar/reduzir o volume e voltar/avançar faixa em reprodução. Simples e intuitivo de usar.

O fone é do tipo circumaural, que cobre todo o ouvido de forma bastante confortável e sem esquentar. As almofadas são recobertas em couro e dentro está um driver de 40mm.

Sony WH-1000X M3: o aplicativo

O controle do Sony WH-1000X M3 é feito pelo aplicativo Sony Headphones Connect, disponível no Google Play para Android e na App Store para iOS.

O app permite que o fone realize ajustes automáticos de controle de som, se adaptando ao ambiente que está sendo utilizado – como caminhando ou em um meio de transporte.

Porém o mais importante – e interessante – é a otimização do cancelamento de ruído…

Com os fones conectados, basta iniciar o processo (e ouvir alguns tons amigáveis) que ajustam o cancelamento de ruído, analisando itens como tamanho da cabeça do usuário, óculos e até mesmo penteado. E realmente muda a percepção do ruído bloqueado ao seu redor após passar por esse processo.

O Headphones Connect ainda tem um controle de posição de som (frontal, traseiro, lateral ou… desligado, que para mim era a melhor opção), ajustes de surround (sala de concertos, ao ar livre etc.) e equalizador com predefinições e ajuste manual.

Sony WH-1000X M3 na prática

Ao meu ouvir, o Sony WH-1000X M3 é um headphone sem fios para uso em situações de ruído maior que precisam de isolamento do mundo – ou seja, dentro de um avião. Eu considero esse modelo sofisticado demais para usar na rua ou no transporte público em São Paulo ou qualquer lugar público no Brasil (nesse sentido, fones do tipo in-ear com ou sem fio fazem mais sentido e são muito mais portáteis/seguros).

Mas dentro de um escritório barulhento ou em um avião a 39 mil pés de altura, o Sony WH-1000X M3 faz todo sentido do mundo. Já usei fones Bose durante vôos e eles são a referência em cancelamento de ruído dentro de aviões, e o modelo da Sony é melhor ou igual aos melhores da Bose (QC 35, estou falando de você). Você se isola em uma bolha de silêncio, ignorando o barulho dos motores lá fora e o zumbido do ar condicionado/ventilação do lado de dentro.

Usei o fone da Sony em três voos distintos, de longa duração. No primeiro, em um Boeing 787-9 da Aeromexico (GRU-MEX) indo para o concerto da sinfonia inacabada, um voo diurno de 9 horas de duração: sozinho na primeira fileira central, além do ruído do avião as fileiras laterais estavam ocupadas por três crianças de zero a cinco anos de idade. Não ouvi nada delas durante o voo todo.

No primeiro voo, consumi cerca de 30% da carga da bateria dos fones, mas os recarreguei antes do próximo.

No segundo, em um Airbus A380 da Air France (MEX-CDG) sentado no andar de cima em uma mini-cabine de classe econômica superlotada em 10h de voo, indo para o anúncio do Huawei P30. Nada de crianças chorando na área, era um voo noturno e o A380 é muito silencioso, que melhorou ainda mais a experiência de usar os fones.

Aqui, foram mais 30% da carga, porém esqueci (mesmo) de recarregá-los. Em stand-by, o Sony WH-1000X M3 dura 30 horas com o cancelamento de ruído ativado, e devo ter perdido um pouco de carga entre um voo e outro.

No terceiro, também na Air France voltando para casa, agora em um 777-200 (o avião com mais ruído dos três), de Paris a São Paulo, cheguei ao desembarque em Guarulhos após 11h de uso com 20% de carga.

Somando as experiências, não bate com as 30 horas de uso com cancelamento de ruído ativado prometidas pela Sony, mas é o suficiente para dois voos de longa duração (10+12 horas, 22 no total com alguma sobra), algo que o Beats Studio 3, da Apple, não aguentou (mas o submeti a dois seguidos de 9+15 horas, 24 no total, sem nenhuma sobra de bateria, e a Beats promete 22h de bateria com cancelamento ativo ligado).

Mas não basta apenas ter um cancelamento de ruído incrível, a qualidade do som precisa ser boa também, e o Sony WH-1000X M3 superou minhas expectativas: graves decentes (menos exagerados que no Beats Studio, mas isso não é ruim), médios envolventes, uma experiência sonora muito agradável.

Costumo brincar de separar e tentar identificar instrumentos/sons/ruídos mentalmente durante uma viagem e o fone da Sony funciona muito bem para isso também, seja ouvindo clássicos (obrigado playlist da Deutsche Grammophon 120 com som Master do Tidal) ou música eletrônica.

Dois detalhes adicionais melhoram o Sony WH-1000X M3: o recurso Quick Attention, que desliga o cancelamento de ruído quando você encosta na concha acústica permitindo conversar sem precisar remover os fones; e o fone permite usar assistentes virtuais com comando de voz, como Google Assistente ou Amazon Alexa.

Finalmente, o preço é outro item a ser considerado de forma muito positiva: no Brasil, o Sony WH-1000X M3 está à venda na loja online da marca pelo valor sugerido de R$ 1.749,99 com desconto enquanto escrevo este review, saindo por R$ 1.629,94. É um preço um pouco maior que o cobrado pelo aparelho em dólares nos Estados Unidos – US$ 349,99 (na cotação de hoje, 01/4, R$ 3,91 + IOF = R$ 1.451,66).

Nem passava pela minha cabeça comprar um novo fone de ouvido com cancelamento de ruído em breve, mas de repente o Sony WH-1000X M3 subiu de forma muito rápida na minha lista de prioridades.

Resumo: Sony WH-1000X M3

O que é isso? Fone de ouvido sem fios com Bluetooth e cancelamento ativo de ruído.
O que é legal? Qualidade do som, cancelamento de ruído é excelente, acabamento do produto, conector USB-C para recarga rápida.
O que é imoral? Nada. Sério. Não tem o que reclamar desse dispositivo.
O que mais?  O aplicativo Headphones Connect complementa a experiência com ajustes personalizados de som.
Avaliação: 9,5 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação
Preço sugerido pela fabricante (e sujeito a mudanças): R$ 1.749,99
Onde encontrar: Sony

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos