Review: Sony Ericsson Xperia Arc

R

O smartphone Xperia Arc é o primeiro aparelho da nova geração de Androids da Sony Ericsson a chegar ao Brasil (ainda faltam o Play e seus irmãozinhos). Pontos positivos: design ultrafino, tela grande, nova interface para o Android 2.3 “Gingerbread” e uma ótima câmera (melhor que a do Xperia X10). Pontos negativos? Eu conto no final do texto.

>>> Galeria de fotos: Sony Ericsson Xperia Arc

A tela do Arc, de 4,2 polegadas, preenche quase toda a superfície do aparelho. Abaixo da tela, três botões de controle e, acima dela, o botão de liga/desliga e uma saída de vídeo mini HDMI (cabo incluso na caixa). O Arc usa um processador single-core Qualcomm Snapdragon de 1 GHz que roda aplicativos rápido (quais apps são prontos para dual-core hoje, por sinal?) e com efeitos 3D fluidos.

Na lateral direita, a porta mini-USB usada para recarregar a bateria e transferir dados para o computador e um botão para controlar a câmera na extremidade inferior. O design em “arco” do aparelho se adapta bem na mão, com uma curvatura natural (e bastante bonita, por sinal), e o Arc cabe em qualquer bolso: apesar da tela grande, tem apenas 8,7 mm de espessura – um pouquinho mais fino que o LG Optimus Black, um bom concorrente para o Arc, por sinal.

No Arc, a Sony Ericsson fez suas modificações de interface e inseriu seus programas próprios para gerenciar redes sociais. A interface é um destaque: diversos widgets animados e a ótima opção de organizar os aplicativos do seu modo, conforme importância ou nome, por exemplo.

O Mediascape, gerenciador de mídia presente no antecessor Xperia X10, foi embora com o Android 2.3 (aleluia!), que tem um novo media player, mas a central de redes e mensagens Timescape continua lá (nada que não possa ser substituído e melhorado com o uso de apps próprios das próprias redes sociais).

Um ponto muito importante no Xperia Arc é a qualidade de ligação. Um microfone na parte traseira do aparelho ajuda a filtrar o ruído ambiente, aumentando bastante a qualidade do áudio no aparelho, tanto no alto-falante interno quanto no viva-voz. A câmera, de 8 megapixels de resolução, é o grande destaque do aparelho.

A câmera gera imagens nítidas graças ao processador Exmor-R (uma variante para celulares do chip usado em câmeras fotográficas da Sony) e bons vídeos em alta definição (720p) – tem uma galeria de exemplos no Flickr.

Para assistir na tela grande, basta ligar na TV com o cabo miniHDMI. O recurso de disparo por sorriso – algo também presente em outras câmeras Sony – funciona muito bem. O botão de disparo da câmera na lateral do Arc parece ser um item sem sentido no smartphone: fica muito próximo à extremidade inferior do aparelho, tornando um pouco complicado clicar e segurar o aparelho ao mesmo tempo. É melhor usar o recurso de disparo por toque na tela, item comum no iPhone e outros Androids.

E o que o Xperia Arc tem de problemas?

1) Bateria: melhor que a do Xperia X10, aguenta um dia com 3G + redes sociais + e-mail + um pouco de música, mas no meu caso travou a tela diversas vezes quando a carga atingiu níveis abaixo de 20% (como se perdesse a sensibilidade).

2) Fragilidade da tela: uma imagem resume a história:

Talvez por ter uma borda mais fina, o Arc não resiste muito bem a encontros repentinos com o chão. Se você achava que só o iPhone era frágil assim, se enganou. O aparelho continuou funcionando bravamente após sua queda, sem perder desempenho. Mas um riscão na tela (ou vários) incomoda bastante.

Pergunta do milhão: Você compraria um Xperia Arc? Sim. Pela câmera, pelos novos recursos de interface customizados pela fabricante e se começarem a vender uma capinha protetora. Pelo preço oferecido desbloqueado, não – por R$ 300 a mais dá pra comprar um Samsung Galaxy S II, já com processador dual-core ou por R$ 100 a menos, um LG Optimus Black com tela menor e mais brilhante.

Resumo: Sony Ericsson Xperia Arc
O que é isso? Smartphone com sistema operacional Android 2.3 “Gingerbread”.
O que é legal? Câmera de 8 megapixels muito boa, design fino, tela grande.
O que é imoral? Gerenciamento de bateria ainda deixa a desejar, botão da câmera fica em posição ruim.
O que mais? Interface aprimorada com melhor organização de apps, media player nativo do Android é melhor que o Mediascape da Sony Ericsson.
Avaliação: 7,0 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: R$ 1.699 (desbloqueado)
Onde encontrar: www.sonyericsson.com.br

 

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos