Review: Aquário SmartBox STV-2000

R

Set-top box com Android da Aquário transforma qualquer TV “burra” numa smart TV (incluindo os modelos de tubo!)

Mais conhecida pelos urbanóides pela sua linha de conversores e antenas de TV digital, a Aquário é uma empresa paranaense fundada há quatro décadas que também atua nas áreas de radiocomunicação, telefonia celular fixa, Internet via rádio e coisas do tipo. Dessa mistura de tecnologias e competências surgem produtos como o SmartBox STV-2000, que recebemos para testes aqui na Zumo-caverna.

O que é o SmartBox STV-2000?

Tecnicamente falando, o STV-2000 é um pequeno computador com ARM que roda uma versão otimizada do Android 7.1.2Nougat” cuja função básica é de reproduzir conteúdo multimídia ou streaming de vídeo na tela da TV.

Só que para facilitar a sua operação e uso, ele tem o mesmo visual (ou “metáfora” como diria Mike Bell) de um receptor de TV a cabo operado por controle remoto, sendo que a principal é que o STV-2000 é meio que uma plataforma aberta (para não dizer anárquica) que permite que o usuário selecione e instale os serviços que mais lhe agrade direto do serviço Google Play ou mesmo explore novas possibilidades.

De fato, o grande atrativo desse produto é que ele permite transformar qualquer TV “burra” com tecnologia LCD ou Plasma em uma Smart TV. Para isso basta que ela tenha uma porta HDMI livre para receber o sinal vindo da STV-2000:

Porém, o mais bacana é que essa proposição também vale para as antigas TVs de tubo, desde que ela tenha uma entrada de vídeo composto:

Ah sim, vale e pena ressaltar que esse produto não é um receptor/conversor de de TV digital. Para isso a empresa fabrica e vende diversos dispositivos e antenas internas ou externas para todos os gostos.

O que vem na caixa?

O kit do STV-2000 é formado pelo SmartBox propriamente dito, controle remoto, fonte de alimentação (5 volts x 2 A), cabo de vídeo analógico, cabo de vídeo digital padrão HDMI e um pequeno guia de instalação e uso.

Na imagem acima não aparecem as duas pilhas AAA (também inclusas) e apesar desse SmartBox possuir uma porta de rede padrão Ethernet, este cabo não vem incluso, talvez baseado na premissa de que os usuários irão conectar o SVT-2000 na sua rede local via Wi-Fi.

Por dentro do SmartBox

Como já dissemos antes, o STV-2000 é um computador bem simples que parece ser um OEM do MXQ Pro P281 equipado com um SoC S905W da Amlogic que abriga um processador Cortex-A53 quadcore de 1,2 GHz mais uma GPU Mali 450 MP, 1 GB de RAM e 8 Gb de armazenamento interno sendo que ~3 GB estão livres para o usuário…

… apesar de que sua memória de armazenamento pode ser expandida por meio do seu slot para cartão SD/SDHC (até 32 GB) localizado no lado direito do dispositivo junto com 3 portas USB 2.0:

Já na parte de trás do aparelho encontramos (a partir da esquerda) mais uma porta USB 2.0, saída de som SPDIF, saída de vídeo analógico (video composto + dois canais de som estéreo), porta HDMI, porta de rede Fast Ethernet (10/100 mbps) e entrada de energia de 5 volts. O sistema ainda conta com uma interface Wi-Fi 802.11 b/g/n mas não vem com Bluetooth:

Notamos também que o STV-2000 não possui um botão físico de liga/desliga, sendo que a única maneira de desligá-lo (além de puxar a fonte da tomada) é por meio do seu controle remoto que funciona até que relativamente bem em tarefas básicas como navegar e selecionar opções …

Mas para ganhar em agilidade e até permitir a exploração de recursos mais avançados desse sistema, é possível ligar um mouse/teclado sem fio numa porta USB livre no SmartBox:

E dependendo do caso, outra alternativa mais elegante é baixar e usar o app Aquário Remote que se conecta com o STV-2000 via Wi-Fi e emula as funções do teclado, mouse, controle remoto e outras coisas diretamente da tela do seu smartphone.

E está disponível para os sistemas operacionais iOS e Android:

Seu gabinete mede aproximadamente 11,8 x 3,0 x 11,8 cm (LxAxP) pesa apenas 137 gramas (~350 com todos os acessórios) e como e como é de se esperar de um produto comercializado regularmente no Brasil já é certificado pela Anatel:

Instalação e uso

Colocar o STV-2000 para funcionar é um processo relativamente simples e direto. Conecte o SmartBox na TV (de preferência com o cabo HDMI) e na tomada de energia com o adaptador incluso…

… e o sistema já liga e entra em funcionamento. Simples assim:

Segundo seu manual do usuário, a conexão com a Internet pode ser feita de dois modos: A chamada opção 1 é conectando o SmartBox por meio de um cabo de rede padrão Ethernet. Já a opção 2 é via rede Wi-Fi. Neste último caso, o procedimento de conectar-se com a rede local é a mesmo de um smartphone com Android:


Como era de se esperar de uma solução voltada para TV, a tela principal do STV-2000 é formada por uma grade de ícones (ou quadros) de diversos tamanhos que até lembram a interface Metro do Windows 8 só que com menos frescura já que esses ícones são dinâmicos e o seu tamanho meio que reflete um tipo de hierarquia onde os apps principais ocupam os espaços maiores e os menos usados, os menores.

Esse visual limpo também facilita tanto a leitura quanto a navegação com o controle remoto já que, neste caso, o usuário essencialmente pula de um quadro para outro com os botões de seta e confirma sua opção pressionando OK.

Notamos que ao pressionar um desses quadros grandes por mais tempo faz com que ele entre num “modo de edição”, permitindo assim trocar o app atual por outro:

Já a carreira inferior também pode ser reconfigurada selecionando e confirmando o quadro verde com sinal de “+” e “ticar” os oito apps que ficarão acessíveis na tela principal:

O controle remoto possui um um layout simples e intuitivo, apesar de que alguns botões parecem que fazem uma coisa e na verdade fazem outra.

Por exemplo, os quatro botões coloridos da segunda carreira (pelo menos no menu principal) fazem o seguinte:

  • Amarelo / [WEB] — Chama o navegador Chrome (okay!)
  • Azul / [APP] — Abre uma nova janela com mais Apps (okay!)
  • Vermelho / [Media] — Chama o YouTube (huum… okay)
  • Verde / [TV] — Chama o Spotify (eita!)

Os botões de controle de som funcionam de acordo com o esperado, assim como [HOME] e [RETURN]. Já o botão de [MENU] invoca um curioso modo de teste de sistema com direito a duas animadas musiquinhas chinesas tocadas ao mesmo tempo em dois canais diferentes:

E apesar do controle remoto possuir um modo [MOUSE] achamos a sua operação meio morosa e errática, já que ela anda apenas na vertical e na horizontal:

Neste caso, é melhor usar um mouse/teclado ou o app da Aquário em especial para configurar o sistema com sua TV.

No geral, as opções de configuração lembram muito as encontradas nos tablets com Android, ou seja, o usuário de um smartphone com Android não terá dificuldades em configurar e adicionar novos recursos no STV-2000 já que o seu sistema é até mais simples do que o de um smartphone porque este incorpora menos recursos como recursos de telefonia celular, câmera, GPS, bateria, sensores e acelerômetros diversos, etc…

E como era de se esperar de uma aplicação de Smart TV, o sistema do STV-2000 incorpora ajustes específicos para ajustar a resolução da tela de acordo com os modos suportados por cada aparelho de TV…

…com direito a um ajuste fino de zoom para que a imagem encaixe na moldura da tela da maneira mais precisa:

Suporte para reprodução de mídia e streaming

Apesar de killer apps como Netflix e YouTube já virem pré-instalados de fábrica, outros serviços como Globo Play, HBO GO, Telecine Play, Facebook são até citados na caixa do produto, mas não estão presentes.

De acordo o que conversamos com o pessoal da Aquário isso poderia até ser feito, mas a empresa optou por não instalar muitos desses serviços para para não sobrecarregar o sistema com coisas que poderiam não ser do interesse do usuário (= bloatware?) deixando a critério do consumidor a escolha do que ele deseja fazer o assistir no seu SmartBox:

Fora isso o sistema é compatível com a tecnologoa Miracast e já vem com um reprodutor de áudio e vídeo próprio, o que permite reproduzir conteúdo gravado em cartões SD e memory keys.

Tanto a documentação quanto o próprio site da Aquário são meio vagos no se que se refere aos padrões de áudio, vídeo e imagem que são compatíveis com seu SmartBox, com exceção do suporte para vídeos em 4K que, segundo a Wikipedia, o seu processador Amlogic S905W é capaz de decodificar vídeos em 4K em até 30 quadros por segundo.

Mas se levarmos em consideração que a função básica desse produto é de
reproduzir conteúdo de mídia e fazer streaming de vídeo, o STV-2000 executa bem essas tarefas, apesar de que não devemos esperar muito do seu processador de 1,2 GHz em apps e jogos mais pesados, mas com a popularidade dos joguinhos casuais, a experiência de jogar no STV-2000 pode ser boa ou não dependendo das preferências e expectativas do usuário.

Suporte para TV de tubo

Graças ao sua sua saída de vídeo analógico é possível conectar o STV-2000 a aparelhos de TV de tubo proporção 4:3:

Neste modo o sistema assume o modo de tela com resolução 480p a 60Hz:

Fizemos alguns testes com uma TV Sony Trinitron de 20″, só que como o aparelho é bem antigo e os contatos dos conectores RCA estavam bem oxidados, a qualidade da imagem não estava muito boa…

…de modo que optamos por fazer os testes restantes na nossa TV Panasonic de Plasma que ainda tem entrada de vídeo composto um modo de tela que simula o 4:3:

O que deu para ver nos testes é que se a TV de tubo estiver em boas condições, a qualidade do sinal vindo do STV-2000 é muito boa, apesar de observamos que algumas serviços se adaptam bem ao modo de tela 4:3 como o YouTube, que percebe que a tela não é larga e insere automaticamente as notórias barrinhas pretas…

… enquanto que em outros como o Netflix isso não ocorre, o que faz com que o excesso de tela nas laterais seja sumariamente cortado:

Dai nossa a nossa tese é que a melhor ou pior experiência de uso desse SmartBox nesses equipamentos legados podem depender mais do software/aplicação do que da plataforma de hardware propriamente dita.

Nossas conclusões

Se a intenção é que ter algo simples e prático para assistir conteúdo digital (entenda-se vídeos e streaming) na sua TV “burra”, o STV-2000 atende bem a essa aplicação. A qualidade da imagem é boa e o sistema operacional é bastante estável, não travando nenhuma vez durante todo o tempo esses meses que ele ficou funcionando aqui na Zumo caverna.

Porém esse produto (ou pelo menos a versão que recebemos para testes) ainda tem um certo ar de beta final ou release candidate já que, como dissemos antes, ele possui algumas funções/comportamentos bem peculiares (como o botão de TV que abre o Spotify ou o de menu que invoca o modo de autodiagnóstico com direito a musiquinha chinesa!).

E isso sem falar que a documentação/suporte ao produto é no mínimo vaga e no máximo inexistente, como a informação de quais são os formatos de áudio/vídeo/imagem que ele é capaz de reproduzir, e a única maneira que podemos descobrir isso é com o bom e velho processo de tentativa e erro.

Sob esse ponto de vista esperávamos um pouco mais do STV-2000, já que acreditamos que um dos seus principais apelos desse Set-top box é de ser um produto local devidamente certificado e legalizado de acordo com as normas locais, com suporte, assistência técnica e garantia também locais.

E pelo que vimos a Aquário só precisa fazer alguns pequenos ajustes na sua documentação e no software/firmware do seu SetupBox para ter um produto bacana que ofereça realmente alguma vantagem sobre um similar importado da China onde la garantia soy yo!

Aquário SmartBox STV-2000

O que é isso? Set-top Box com Android para TVs digitais e analógicas
O que é legal? Funciona muito bem como reprodutor de mídia/streaming. Reproduz conteúdo em 4K. Pode ser ligado a uma TV de tubo com entrada de vídeo composto/RCA.
O que é imoral? O controle remoto demora para responder a alguns comandos. A documentação e informações mais técnicas são vagas ou inexistentes. Firmware é estável mas precisa de pequenos ajustes.
O que mais?  Algumas aplicações do Google Play podem não ser compatíveis com esse produto.
Avaliação: 7,5 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação
Preço sugerido pela fabricante: R$ 330
Onde encontrar: Loja Aquário

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

Por Mário Nagano

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos