ZTOP+ZUMO

Review: Processador Intel Core i3 530 “Clarkdale”

Se computadores fossem carros, o Intel Core i5 “Clarkdale” seria algo como um motor 1.8 com turbo para veículos de linha. Mas como nem todos estão dispostos e/ou tem condições de pagar a mais ter um carro com turbo, os fabricantes costumam oferecer opções mais simples (e  sem turbo) como os motores 1.6 que podem até não inflar o ego do consumidor, mas também não fazem feio na hora de ultrapassar um caminhão na estrada ou subir um morro mais inclinado.  Baseado nessa analogia, eu diria que o novo processador Intel Core i3 seria o novo motor 1.6 da empresa, posicionando-se como uma opção mais em conta para aqueles que procuram num PC bom e honesto e que querem fugir de modelos mais “populares” com chips Celeron ou mesmo Pentium.

Ao contrário dos rumores que insinuavam que o Core i3 poderia ser um Core 2 Duo renomeado, o Core i3 tem praticamente as mesmas características do Core i5 série 6xx, abrindo mão de um pouco da velocidade e obviamente do Turbo Boost — uma tecnologia que acelera um ou mais núcleos do processador de maneira dinâmica e de acordo com o contexto — e, por causa disso, ele chega a ser de 43 a 63 dólares mais em conta que o Core i5 mais barato (preço de lançamento nos EUA para lote de mil peças).

Como o processo/custo de fabricação do Core i5 é praticamente o mesmo que o Core i3, não me surpreenderia em saber que este último não passe de um i5 com turbo desabilitado por software e que algum dia algum entusiasta/hacker/maluco não descubra um meio de reativá-lo, como já fizeram para destravar o quato núcleo do Phenom x3.

O chip analisado por este Zumo é o Core i3 530 de 2,93 GHz o modelo mais em conta da linha e que — por causa disso — talvez seja o que mais apareça nas lojas.

E atendendo a pedidos, a tradicionalíssima foto do processador que todo mundo põe quando faz um review:

E para aqueles que gostam de procurar pelo em ovo, segue abaixo uma vista inferior do Core i5 750 “Lynnfield” (à esquerda) e o Core i5 661 “Clarkdale” (à direita):

:

Para testá-lo chip utilizamos a mesma plataforma que usamos para testar o Core i5 661, ou seja, uma placa-mãe ATX-mini modelo DH55TC “Tom Cove” com chipset H55, 4 GB de SDRAM DDR 1333 MHz em dual channel e um disco rígido Hitachi Deskstar HDT721032SLA360 SATA 300 de 320 GB e 7.200 rpm. O sistema operacional utilizado foi o Windows 7 Ultimate.

Dando uma olhada no CPU-Z 1.52.2 podemos ver que o Core i3 é de fato muito parecido com o Core i5 661, ficando a diferença na velocidade do núcleo do QPI Link:

O GPU-Z 0.3.8 diz a mesma coisa: praticamente a mesma GPU do Core i5 o Havendale de 45 nm.

Apesar disso, é curioso notar que o desempenho gráfico — em especial para jogos — foi o item que definiu o Índice de Experiência do Windows 7 em 4,3 pontos, contra 5,2 pontos do Core i5. Vale a pena lembrar que o Core i3 530 é um chip de 2,96 GHz contra 3,33 GHz (~ 3,6 GHz no modo turbo) do Core i5 661.

A diferença no processamento fica mais evidente nos testes de aplicações. No caso do HDxPRT o Create HD Score que foca seus testes em programas de processamento de mídia apresentou um desempenho 13,2 % menor que o Core i5 661. Apesar disso,o Play HD experience apresentou a pontuação máxima o que fica dentro da proposta dos novos chips Clarkdale de oferecer um bom suporte para vídeo em alta definição:

Nos outros testes, o Clarkdale bateu 176 pontos no Sysmark 2007 Preview 1.05 5.629 pontos no PCMark Vantage e 4.643 pontos no 3DMark Vantage (modo Entry) e 390 pontos no modo Performance. No AutoGK 2.45, o sistema levou apenas  59m38s para transformar um filme em DVD para um arquivo AVI de 700 MB. O processo oposto (criar uma imagem de DVD a partir de um arquivo de vídeo)  feito com o DVDFlick 1.3.0.6 foi de 2h51m10s utilizando um thread e 2h31m39 com quatro Threads. No geral o Core i3 530 foi de 11~23% mais lento que o Core i5 661.

No CINEBENCH R10 e os resultados foram os seguintes:

Rendering (Single   CPU): 3.200 CB-CPU
Rendering (Multiple CPU): 7.591 CB-CPU
Multiprocessor Speedup: 2,37
Shading (OpenGL Standard): 2.175 CB-GFX

O Super-Pi do David Lopes:

E segundo o EEcoMark 1.0.0 384 (sem considerar o uso do monitor) o sistema consumiu em média 34,47 watts em idle, 2,37 watts no modo sleep e 1,54 watts em off segundo o Energy Star V4. No V5 o sistema mediu 34,25 watts em idle, 2,39 watts em sleep e 1,56 watts em off. Seu consumo fou um pouquinho menor devido ao uso de um processador mais lento mas de qualquer modo continua sendo um valor impressionante para um desktop.

Para se ter um cenário de uso mais real, eu peguei meu medidor de energia e monitorei o sistema rodando o PCMark 2005. Na média ela consumiu em média de 49,1 watts com picos de 76,6 watts.

Assim como o Core i5 661, minha impressão do core i3 540 é bastante positiva já que — no geral — ele oferece praticamente todos os recursos do Core i5 abrindo mão de um pouco de seu desempenho. Acredito que seu público alvo — consumidores que vão comprar (ou trocar) seu primeiro PC — ficarão satisfeitos com o Core i3 já que ele atende bem as necessidades do dia a dia como editar documentos e acessar a Internet e até mesmo assistir vídeos em HD, uma aplicação cuja demanda cresce à medida que os consumidores migram para as TVs de tela plana com tecnologia de Plasma/LCD. Os entusiastas e gamers podem até torcer o nariz para o Intel GMA HD, mas eles sempre terão a opção de usar sua placa de vídeo favorita, desde que a placa-mãe venha equipada com um slot PCI-E x16.  E tudo isso consumindo bem menos energia que um PC de uma ou mais gerações anteriores.

Se você procura um PC bom e honesto, acredito que o Core i3 seja uma opção a ser considerada. Só espero que os integradores locais também colaborem, oferecendo o Core i3 por um preço camarada e que, como nos carros não infle seu preço maquiando o mesmo com um adesivo transado, calota com cara de roda de liga ou mesmo colocando uma bolinha de câmbio com siri dentro.

Resumo: Processador Core i3 530
O que é isso? Processador com GPU integrada para desktops de entrada/mainstream.
O que é legal? Bom desempenho aliado à um menor consumo de energia, bom suporte para vídeo em HD.
O que é imoral? Sua aceleradora gráfica continua a não impressionar em 3D. Nenhum suporte para GPGPU.
O que mais? Alternativa interessante para quem quer ter um Clarkdale mas não está disposto a pagar um extra pelo Core i5.
Avaliação: 7,8 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: ainda não divulgado no Brasil (nos EUA ~ US$ 113 para lotes de mil peças)
Onde encontrar: www.intel.com.br

Veja também:

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Anderson Costa 26/01/2010, 13:29

    Pô Nagano, cadê a tradicionalíssima foto do processador que todo mundo põe quando faz um review? No mais, é um produto a ser considerado.

    • nilknarf 25/08/2010, 10:55

      ae galera, o meu pc tem as mesmas especificações do teste e a nota do windows pra gaming grafics no meu foi maior, pq isso acontece?

  • mnagano 26/01/2010, 13:33

    Urra meu carma!!!

    Deixa o processador esfriar para eu desmontar o PC… 😉

    • Pedro 27/01/2010, 18:35

      kkkkkkkkkkkkkkkkk

  • @culikr 26/01/2010, 15:35

    Buenas, cade os reviews de phenon, uso a muito tempo os processadores amd e nunca tive problemas ( atualmente com um phenom 9650 e um novo phenon 2 x4 955 a caminho)

    Atenciosamente
    Luiz

  • Eder 26/01/2010, 16:18

    Parece que este processador, será uma opção bem econômica. Mas em desempenho prefiro os quad core. Parabéns pelo teste ficou show de bola!

  • jose 26/01/2010, 14:34

    Coisa para países de 1ºmundo como Japão e EUA,mas,no Brasil,nem a tv digital HD comum implacou direito. Agora,imagine essa

  • @walter__mercado 26/01/2010, 23:06

    Nagano, o 661 possui um clock no GPU maior que as versões __0, por isso parte da diferença em avaliações só para o GPU. (900MHz contra 733MHz ou ainda 533 no Pentium G).

    Assim como da outra vez, continuo achando que o GPU é fraco demais pra fazer alguma diferença em aplicações GPGPU.
    Como GPU, até que o desempenho é bom (em teoria é equivalente ou superior aos núcleos da nvidia e AMD), os drivers, por outro lado, possuem muitos problemas de compatibilidade pra resolver ainda.

    Ainda acho que o modo turbo beneficia mais os processadores Quad que Duos, já que é mais comum ainda precisar de menos núcleos – deixando um par com clock mais baixo enquanto os que estão em utilização com mais margem pro over.

    Por isso – e pela diferença de preço – o i3 parece mais negócio. Pena que as placas mães ainda custem um pouco além de modelos equivalentes para Phenom/Athlon e Core 2.

  • GeeksBR 27/01/2010, 13:25

    Muito esclarecedor o teste!

  • OverNaVeia 29/01/2010, 19:53

    Compara um I7 920 @ 4.4Ghz, com carro……………Bugatti Veyron uhasuahushaus

  • Marcos 23/02/2010, 21:01

    Rapaz, a comparação com a motorização dos carros foi sensacional! Parabéns! Você é didático!
    Só pra confirmar se eu entendi mesmo, seria algo assim:
    1.0 -> Pentium, Phenom e outras merrecas parecidas. (ainda existe Celeron?)
    1.6 -> Core i3
    1.8 -> Core i5
    2.0 Turbo -> Core i7
    hehehe
    Fiquei curioso para saber como o i3 se comporta com placas de vídeo, e não com a GPU. Será q melhora o desempenho para processamento geral?
    Abraços!

    • Leandro Fiore 22/04/2010, 22:23

      Orra, mano. Sacanagem, hein?

      Na verdade, os AMD Phenom concorrem com Core i5, portanto o mais justo seria você comparar com motores 1.8.

      Celeron sim, seria comparável com carrinho 1.0.

      E acho que um Pentium seria comparável com um carro 1.4.

      • mnagano 22/04/2010, 22:32

        Acho q os Pentium 4 estão mais para aqueles primeiros Opalas de seis cilindros com câmbio de três marchas no volante ou quatro no chão e que faziam 800 metros com um litro de gasolina.

  • Deniel. 12/03/2010, 11:43

    Nagano,

    Basicas sobre o comentário::: “Ao contrário dos rumores que insinuavam que o Core i3 poderia ser um Core 2 Duo renomeado, o Core i3 tem praticamente as mesmas características do Core i5 série 6xx, abrindo mão de um pouco da velocidade e obviamente do Turbo Boost”

    Isso leva a crer q. o Core 2 Duo aposenta-se logo e/ou um i3 já o é melhor q. um 2 Duo ???

    Abração, deniel.

    • mnagano 12/03/2010, 16:16

      Oi Daniel,

      Sim, é fato que o Core i3/i5 é o sucessor do Core 2 Duo. Mas acho que ainda vai se passar um bom tempo até que o Core 2 Duo desapareça do mercado.

      [ ]s

      M.

  • LeandroCabral 24/03/2010, 14:24

    Vc utilizou memória DDR2 OU 3?

    • mnagano 24/03/2010, 15:47

      DDR3. Até onde eu me lembre a Intel não usa mais DDR2 nas suas plataformas mais recentes.
      [ ]s

      M.

  • cHucKy515 01/12/2010, 14:54

    Obrigado exelente materia