Review: Positivo Ypy 7

R

Primeiro tablet da Positivo Informática, o pequeno Ypy chega com pelo menos um ano de atraso ao varejo em relação aos concorrentes, com design desengonçado, hardware desatualizado, recursos bastante básicos e sistema operacional antigo. Vale, porém, reconhecer o esforço da fabricante em deixar o equipamento bastante amigável ao seu usuário. Pense nele mais como um media player caro do que um tablet Android.

A preocupação da Positivo em deixar o tablet amigável a um novo público de entrada nesse mercado é notável. Ao ligar o aparelho pela primeira vez, você encontra essa tela: configurar ou veja como funciona.

Ao escolher “veja como funciona”, a Positivo preparou 16 vídeos (na minha contagem) ensinando o básico do básico do básico de como fazer as coisas no tablet: destravar a tela, trocar ícones, mover aplicativos para a tela principal, ler livros, navegar na web e por aí vai. O ritmo da narradora não anima muito, mas, novamente, vale o esforço para ensinar o comprador a usar o tablet.

Hardware

O hardware do Positivo Ypy 7 não esconde grandes novidades: tela de 7 polegadas (768 x 1024) sensível a multitoque (até quatro toques simultâneos), processador ARM Cortex A8 de 1 GHz e apenas 2 GB de armazenamento interno (mais 8 GB no cartão microSD incluso no aparelho). A sensibilidade da tela, comparada a um iPad ou Galaxy Tab 10.1 ou 8.9, não é das melhores. O dedo “trava” ao deslizar.

Na parte superior do Ypy estão o botão de liga/desliga, o controle de volume e uma trava para a rotação da tela.

No lado direito, a saída para fones de ouvido padrão 3,5 mm, um conector miniHDMI (cabo não incluso na caixa) e um mini USB para carregar o tablet e trocar dados com o computador.

Logo abaixo, alto-falantes estéreo (yay!) e uma portinhola fechada e bem difícil de abrir.

Ali estão o slot para SIMcard (existe uma versão 3G do Ypy, aqui está lacrado) e o slot do cartão microSD de 8 GB.

Na parte traseira, apenas plástico. Nada de câmera, flash, nada. A bateria não é removível.

A única câmera é frontal, de 2 megapixels, indicada para usar com possíveis videochamadas via Skype ou Fring.

A câmera em ação (nada emocionante, a não ser que você queira tirar autofotos sempre). Note que a moldura do Ypy tem uma estranha borda, como se algo pudesse ser destacado dali (me perguntaram isso, sério).

Comparando telas: o iPad original ao lado do Ypy 7. Ambos com brilho da tela no máximo, ambos com a mesma resolução de tela, em um ambiente iluminado.

Comparando espessuras: o iPad original (13 mm) abaixo do Positivo Ypy (11,9 mm). Como o iPad fica mais espesso no centro, dá a impressão que o Ypy é infinitamente maior e mais grosso.

Comparando tamanhos de tela: Ypy (7″), Samsung Galaxy Tab 8.9 (8,9″) e iPad original (9,7″).

E as espessuras dos três empilhados (de baixo para cima: iPad, Galaxy Tab e Ypy).

Software

O Positivo Ypy roda Android 2.3.4. É sua única grande vantagem em relação ao seu principal concorrente, o Samsung Galaxy Tab de 7″, lançado ano passado e que ainda roda Android 2.2. Note também o número do modelo, que, para mim, tem mensagem subliminar.

A questão dos serviços básicos volta a ser destaque nas telas iniciais. A Positivo fez algumas adaptações no design do Android, como deixar ícones iguais aos do Android 3.o “Honeycomb” (veja os ícones de música e configurações, por exemplo). O tablet vem pré-configurado com cinco áreas de trabalho: Jogos e Educação, Comunicação, Principal, Ferramentas, Revistas e Jornais…

… que podem ser modificadas do jeito que o usuário quiser.

O Ypy 7, segundo a fabricante, já vem com 50 aplicativos instalados. A maioria, revistas em edição mobile, jogos simples e básicos. Vem com Angry Birds, que roda razoavelmente bem, assim como outras versões do game de passarinhos doidos.

Baixar novos apps pode ser feito pelo Android Market (yay!) ou pela Loja Positivo (cadastro rápido necessário – para mim só funcionou na segunda tentativa), mas também nada de muito destaque por ali.

Talvez um bom uso para o Positivo Ypy 7 seja o de leitor de e-books (Alguém tem notícias do Positivo Alfa, por sinal?). Dez títulos de domínio público já vêm pré-instalados no tablet.

Mas dá para comprar outros títulos na loja digital da Positivo (maioria em formato PDF) e ler no dispositivo, com pagamento via cartão de crédito.

O navegador do Ypy é o padrão do Android 2.3. Roda Flash sem problemas, mas não vem instalado de fábrica.

E minha grande surpresa foi ver que o Ypy 7 (com o incrível Mobo Player) pode ser um bom companheiro para assistir vídeos, tanto em 480p…

…quanto em 720p… (AVI)

… e 720p (MKV), com alguns engasgos no começo.

Desempenho e conclusões

Em comparação com outros tablets do mercado, dá para tomar um susto com a performance do Positivo Ypy 7.

Isso se explica, basicamente, por um único motivo: processador single-core versus dual-core nos demais produtos (Nvidia Tegra 2, certo?), que também rodam Android 3.0, otimizado para tablets. O desempenho de bateria do Ypy ficou em 49% de carga após uso durante oito horas, com reprodução de vídeos e sincronização de dados ativada – nada mal.

O Ypy é, em resumo, um smartphone com tela grande e com recursos básicos demais em comparação a qualquer outro tablet do mercado. Ponto para a customização da Positivo e a boa intenção de tornar o produto mais amigável para uma camada da população que  começa a enxergar o tablet como objeto de desejo.

Entretanto, com apenas 2 GB de armazenamento interno (+ 8 GB no cartão microSD), sem câmera, com tela sensível ao toque ruim, sistema não otimizado para tablets e um design nada atraente, só seria possível indicar a compra do Positivo Ypy 7 como media player ou leitor de se o preço fosse muito, mas muito menor que o sugerido pela fabricante (R$ 999/R$ 1.199). Se custasse R$ 300 no máximo, seria um ZTOP Indica. Mas não custa.

Com R$ 650 a mais, compra-se um iPad 2 com 16 GB, câmera traseira e uma tela muito melhor. Sim, eu sei que R$ 650 podem fazer diferença no bolso de um comprador de classes C e D que pagam em parcelas infinitas no varejo popular, mas antes gastar mais e ter uma boa experiência de uso que economizar e se frustrar com o produto.

Existem, porém, alternativas no mundo Android. O principal equivalente do Ypy 7 é um tablet à venda desde 2010, o Samsung Galaxy Tab original, que oferece uma câmera traseira e, dependendo do modelo, sintonizador de TV digital e a capacidade de realizar ligações telefônicas por um preço similar ao do Ypy.

Resta agora esperar o lançamento do Positivo Ypy 10, com tela de 9,7″ e Android 3.x, ainda este ano. Nesse dá para ter alguma esperança em ver a Positivo colocar nas lojas um produto um pouco mais atualizado.

Resumo: Positivo Ypy 7
O que é isso? Tablet com sistema operacional Android 2.3.
O que é legal? Sistema customizado para leigos.
O que é imoral? Falta câmera, tela ruim, design desajeitado.
O que mais? Tablet chega ao mercado com configuração atrasada em 1 ano, pelo menos, em relação aos concorrentes.
Avaliação: 3,0 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: R$ 999 (Wi-Fi) e R$ 1.199 (Wi-Fi + 3G)
Onde encontrar: Positivo

 

 

 

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos