ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Review: Placa-mãe ASUS P7H55D-EVO (Clarkdale + H55)

Na época do lançamento do processador Intel Core i3/i5 Clarkdale, tive a oportunidade de testar a placa-mãe Asus P7H57D-EVO, mais voltada para entusiastas de gamers que procuram uma placa Full-ATX completa  e cheia de recursos. Mas para aqueles que preferem algo no padrão ATX-mini e que não esperam ter mais do que uma placa de vídeo espetada, a empresa também oferece a P7H55D-M EVO .

Baseado no chip set Intel H55 Express (o mesmo da placa-mãe Intel DH55TC “Tom Cove””), o P7H55D adota o novo padrão visual que a Asus chama de Extreme Design, com sua base com verniz na cor marrom escuro e detalhes em azul.

Assim como sua irmã maior, trata-se de uma placa bem construída com seus capacitores de estado sólido  e controlador de energia de 8 fases + 3 e com seus diversos componentes dispostos de maneira lógica, ou seja, nada de entrada de conector da fonte no meio da placa ou conector USB atrás do soquete do processador. Tudo simples e prático.

Mas apesar da aparente simplicidade do seu layout trata-se de uma placa bastante rica em recursos, começando pela presença das novas interfaces USB 3.0 (x2) e SATA 600 (x2) e barramento de memória dual channel para até quatro slots para pentes de memória DDR3 16 GB, DDR3 1.066, 1.333 e 2.133 MHz (com overclock) com capacidade de até 16 GB.

Note a presença do botão MemOK! que analisa e reconfigura os parâmetros da memória automaticamente:

As interfaces de disco se concentram no canto inferior esquerdo da placa, com seus quatro conectores SATA 30o à direita e duas novas portas SATA 600 à esquerda. Para aqueles que estão pensando em fazer um upgrade na sua máquina a boa notícia é que a P7H55D ainda vem com uma porta EIDE para ligar uma unidade de disco óptico ou mesmo um disco rígido mais velhinho.

Falando ainda sobre dispositivos legados, logo atrás das portas SATA 600, ainda encontramos uma porta serial (COM 1) ao lado dos conectores com o painel frontal.

Na lateral esquerda ainda temos conexões para quatro portas USB 2.0 e uma Firewire:

Devido ao menor espaço disponível, o número de slots para placas de expansão se manteve realmente no mínimo necessário: uma PCI, duas PCIe x1 e outra PCIe x16 2.0.

Finalmente no seu painel traseiro um sortimento completo de interfaces novas e legadas: a partir da direita uma porta PS/2, duas USB 2.0, S/PDIF óptico out, HDMI, SVGA, DVI, mais duas USB 2.0, Firewire, e-SATA, rede Gigabit Ethernet, duas USB 3.0 (uia!) e saída de som HD de oito canais. Nada mal, mas ainda prefiria duas portas PS/2.

Sob testes:

.Para termos alguma base de referência, realizamos esses testes com os mesmos componentes utilizados na placa-mãe P7H57D-EVO, ou seja, utilizamos o processador Intel Core i5 661, 8 GB de SDRAM DDR3 1333 distribuídos em quatro pentes Kingston KVR1333D3N9/2G de 2 GB cada e um disco rígido Seagate Barracuda XT ST32000641AS de 2 TB. O sistema operacional utilizado foi o Windows 7 Ultimate de 32 bits.

Assim não era de se esperar alguma diferença no CPU-Z 1.52.2

… assim como no GPU-Z 0.3.8:

O que também resultou praticamente no mesmo resultado no Índice de Experiência do Windows 7.

Pouquíssima variação nos testes de criar conteúdo HD com o HDxPRT.

Em outros testes, o Clarkdale bateu 205 pontos no Sysmark 2007 Preview 1.05 7.549 pontos no PCMark Vantage e 5.417 pontos no 3DMark Vantage (modo Entry) e 487 pontos no modo Performance. No AutoGK 2.45, o sistema levou apenas 53m34s para transformar um filme em DVD para um arquivo AVI de 700 MB. O processo oposto (criar uma imagem de DVD a partir de um arquivo de vídeo)  feito com o DVDFlick 1.3.0.6 foi de 2h23m20s utilizando um thread e 1h55m01s com quatro threads.

Para avaliar o desempenho do processador rodamos o CINEBENCH R10 e os resultados foram os seguintes:

Rendering (Single   CPU): 3.873 CB-CPU
Rendering (Multiple CPU): 8.814 CB-CPU
Multiprocessor Speedup: 2,28
Shading (OpenGL Standard): 2.588 CB-GFX

O Super-Pi do David Lopes:

E segundo o EEcoMark 1.0.0 384 (sem considerar o uso do monitor) nosso sistema consumiu em média 66,64 watts em idle, 4,16 watts no modo sleep e 2,3 watts em off, segundo o Energy Star V4.


Para se ter um cenário de uso mais real, eu peguei meu medidor de energia e monitorei o sistema rodando o PCMark 2005. Na média ela consumiu em média de 72,5 watts com picos de 110,9 watts.


O que esses números dizem? Para mim a ASUS P7H55DM EVO está mais para um mini-P7H57D EVO do que um concorrente direto para a Intel DH55TC, e como na análise da sua irmã maior ainda acho que a P7H55D seja a uma melhor opção para gamers e enstusiastas que preferem uma plataforma mais moderna e com mais recursos — em especial as novas interfaces USB 3.0 e SATA 600 — o que pode ser considerado um interessante valor agregado que pode nem ter muita importância nos dias de hoje, mas que pode ser no futuro próxim0 quando a oferta de produtos com USB 3.0 aumente e se espalhe pelo mercado. Fora isso, a adição dessas interfaces ajuda a minimizar os possíveis transtornos trazidos pelo fato da P7H55D vir apenas com um slot PCI. É a placa certa para o momento certo.

De um certo modo, a DH55TC da Intel ainda pode ser uma opção interessante, em especial para aqueles que realmente preferem um PC com menor consumo de energia e que não esquentam muito a cabeça com upgrades.

Resumo: Placa-mãe P7H55D-M EVO
O que é isso? Placa-mãe de uso geral para entusiastas e gamers.
O que é legal? Praticamente do mesmo desempenho da P7H57D só que num formato menor, mas …
O que é imoral? … para isso ela abriu mão do suporte para SLI/Crossfire.
O que mais? Baseada no padrão ATX-mini, ele pode ser usado em gabinetes menores. Já vem com USB 3.0 e SATA 600.
Avaliação: 8,0 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: R$ 509
Onde encontrar: br.asus.com

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • walter

    porque ATX-mini? Não é microATX?

    E a placa parece ótima pelo review… A falta de CrossFire ou SLI é mais que compensada pelo slot antigo…
    O benefício de duas GPUs tá praticamente só em pares de placas topo de linha… Pro resto é sempre mais vantajoso comprar uma só pelo mesmo valor (e vai custar menos) pra quem já tem uma placa, é quase sempre mais negócio comprar uma melhor que caçar uma igual à atual.
    ah é, duas GPUs violentariam o consumo da placa.

    • Pode até ser q sim, já que a diferença entre um Mini-ATX e Micro-ATX é de apenas alguns cm.

      • walter

        miniATX é uma especificação diferente Nagano – retangular inclusive, enquanto a microATX é quadrada.
        A microATX se não me engano está de fato especificada, enquanto a miniATX é uma criação proprietária de uma marca.

  • dflopes

    ótimos testes. Parabéns pelo Review, MR. Nagano.

    E a diferença de preço deve ser considerável para justificar a saída da Dual-GPU… E se for realmente baixo, será um ótimo custo benefício para um HTPC ou para jogos mais comuns (e jga-los na tv da sala)

  • Porque 8GB de RAM num OS de 32 bits se ele não reconhece tudo isso?

    • Oi Fábio,

      É que o fornecedor do hardware tem liberdade de enviar seu equipamento com toda memória que ele queira. Mas de acordo com nossa metodologia, todos os PCs com Windows (com exceção dos servidores) testados aqui no Zumo são normalizados e rodam com o mesmo sistema operacional — Windows 7 Ultimate de 32 bits que nós mesmos instalamos e configuramos.

      • PALUDP

        Mas ainda assim seria mais vantajoso utilizar um sistema operacional 64bits, porque hj até os porcessadores mais baratos(Celeron, Sempron, Atom) suportam 64bits. E um s.o. 64 suportaria gerenciar e utilizar a memória em sua totalidade e ainda não prejudicaria nos testes desses computadores mais incrementados com seus xGB de RAM, já que um s.o. 32 bits reconhece, mas não gerencia todos os xGB.

        • Oh really? Até onde eu me lembre o Atom N270 não tem suporte para 64 bits.

          Posso pensar nisso na próxima atualização de metodologia.

  • Barbosa

    Parabéns pelo review, completo e recheado de informações interessantes. Me parece que essa plataforma H55 veio para ficar, seria interessante comparar com as P55, pelo que tenho lido a performance é muito equivalente.

    • Oi Barbosa,

      Chegamos a fazer um review com uma P55 da ASUS mas o grande "problema" se é que podemos chamar desse jeito é que o P55 não oferece nenhum suporte para o sistema de vídeo do Clarkdale sendo mais indicado para os Core i5 Lynnfield e Core i7.

      http://zumo.com.br/2009/12/30/review-placa-ma

  • Pingback: Zumo Blog: Tecnologia. Opinião. Inteligência. » Review: Motherboard Gigabyte GA-H55M-UD2H()

  • Pingback: Review: placa-mãe Gigabyte GA-H55M-UD2H | Leandro Pintor :: Tecnologia, Dicas, Desenvolvimento, Redes, Java, Delphi()

  • Pingback: Zumo Blog: Tecnologia. Opinião. Inteligência. » Review: Placa-mae Asus M4A89GTD PRO/USB3()

  • Rodolfo

    pelo que li no site oficial esta placa NÃO tem duas portas SATA-600, quase que eu comprei essa placa por conta disso, e não tem!!!!

  • Everton

    Comprei essa placa e estou com um problema. Ela não salva as alterações no Bios depois que retiro o pc da energia. Já troquei a bateria e atualizei o bios para a última versão. Acredito que seja defeito. O que vocês acham?

    • Alexandre

      olá everton.
      estou com o mesmo problema. como você resolveu?

    • Alexandre

      Olá Éverton.
      Estou com o mesmo problema.
      Você conseguiu resolver?

    • Alexandre

      Olá pessoal.
      Consegui resolver o problema da minha placa-mãe. Lí muitos comentários que havia um lote dessa placa com defeito. Entrei em pânico porque meu fornecedor iria trocar a peça só daqui um mês!
      Então fui tentando de tudo.
      Atualizei a bios, troquei memória, retirei os hds, dvd e nada até trocar a placa de vídeo.
      Era a danada da GeForce 9800gt.
      De alguma forma ela estava gerando um conflito na placa-mãe. Talvez a memória… vai saber.
      Fiz o seguinte procedimento:
      1) Atualizei a BIOS
      2) Troquei a GeForce 9800 pela ATI 4670 (por sinal muito mas muito melhor que a GeForce)
      3) Ao ligar o micro, apertei o botão MemoryOK para ativar a compatibilidade
      Depois foi só alegria.
      Espero ter ajudado.

  • luis fernando

    Ola pessoal . Acabei de comprar uma , porém comprei um pente de 8 gb corsair 1333mhz . será que ela vai aceitar , reconhençer normal essa memoria ??