Review: Panasonic Lumix FZ18

R

Lumix FZ18Fotógrafos amam Nikon. Ou Canon. E, por que não, Panasonic? Apesar de não ser uma marca tradicional no mundo das câmeras convencionais (o velho e bom filme), a fabricante japonesa conta com um pedigree excelente no universo fotográfico: as lentes Leica, sonho de consumo de onze entre dez entendidos no assunto.

A Panasonic Lumix FZ18, sim, tem lentes Leica. Para deixar mais divertido, o “18” no nome dela quer dizer que a câmera tem um zoom óptico de 18x, equivalente a uma lente 28504mm em um equipamento com filme. Eu fotografo faz mais de dez anos e até então nunca tinha esbarrado em um zoom em uma câmera tão potente sem precisar trocar de lentes – e olha que minha câmera oficial é uma Canon PowerShot S3 IS com 12x de zoom óptico. Fotos que fiz dos meus gatos, por exemplo, dão para perceber cada detalhe dos pêlos no rosto. No modo 28mm, a lente tem uma excelente luminosidade (2.8-8).


Lumix FZ18A FZ18 tem como público-alvo aquela faixa que se define como “prosumer”, que quer resultados profissionais (ou quase) sem pagar o alto preço de uma câmera D-SLR, por exemplo. O corpo da câmera, todo em preto (existe uma versão prata também), tem um suporte emborrachado para as mãos. Pelo seu tamanho (117.6 x 75.3 x 88.2 mm), é uma câmera leve (407 gramas com a bateria). Eu não me incomodaria se a FX18 fosse um pouquinho mais pesada – acredito que mais peso, mais estabilidade para fotografar.

Na guerra dos megapixels, a FZ18 tem mais que suficientes 8,1 de resolução. O curioso é que ela é vendida como uma câmera de alta definição no exterior: tire suas fotos e coloque o cartão SD/SDHC em um monitor (plasma ou LCD) HD e pronto, aproveite todos os detalhes. Não é meu caso, mas na tela de 17 polegadas do meu monitor a resolução impressiona.

A FZ18 é daquelas câmeras que têm inúmeros de recursos distintos. Eu vou focar em um que achei muito interessante para o comprador de câmera digital que quer um modelo cheio de recursos, utiliza-os ocasionalmente (controles manuais, de exposição, ISO, velocidade), mas, na maior parte do tempo, deixa a câmera no automático (é o meu caso!).

No modelo da Panasonic, o modo automático se chama iA, Intelligent Auto, que une quatro recursos essenciais: estabilizador de imagem (excelente), detector de faces, detector de movimento e, o mais importante, o detector de cena: com rapidez incrí­vel, alterna sozinho entre modo de paisagem, retrato, macro (não precisar apertar um botão para ativá-la é uma ótima idéia), paisagem noturna e retrato noturno. Tudo que dá para perceber é que os í­cones na tela LCD se alternam em velocidade rápida, mesmo para macro (1 centí­metro de distância e ela faz foco sem precisar apertar um botão), em condições difí­ceis de luz (que tal fotografar um celular no escuro apenas com a tela dele acesa?).

Lumix FZ18 Quem quer mais controle pode usar o dial superior da FZ18, que permite fazer o ajuste fino de acordo com seu gosto.O resultado final são fotos bastante ní­tidas, com exposição bastante correta e um mí­nimo de ruí­do, que aumenta conforme o tipo de exposição – uma foto com ISO 800 (máximo 1600) e 4 segundos vai ficar invariavelmente cheia de ruí­do. No modo automático, as fotos são gravadas em JPEG. Nos demais, é possí­vel gravar em RAW e JPEG + RAW também. Para ficar pronta para uso, a FZ 18 leva menos de dois segundos após ser ligada. O mesmo tempo se aplica para a reciclagem entre uma foto e outra.

A bateria da FZ18, segundo a fabricante, atinge até 400 fotos sem precisar recarregar. Durante os testes, fiz mais de 250 imagens e só então a bateria começou a dar sinais de cansaço, mas mesmo enquanto escrevo este review ela não acabou ainda (está com um traço de bateria).

Uma coisa me incomodou bastante na FZ18: a tela LCD. Não que, em suas 2,5 polegadas, ela seja ruim – teLumix FZ18m ajuste automático de luminosidade, dependendo do ambiente, e pode ser vista de diversos ângulos. Mas comparo aqui com a Canon S3, que tem um visor LCD menor, porém móvel. Quando se acostuma com algo assim, é difí­cil mudar.

A caixa da Lumix FZ18 vem com o carregador de bateria, daqueles que basta plugar na tomada direto, sem fios compridos para atrapalhar; um pára-sol para a lente e os cabos para ligar no computador e na TV, além dos manuais e uma correia para pendurar a câmera. O preço sugerido pela fabricante está na faixa dos modelos prosumer no Brasil. Se você tem essa quantia para investir, a FZ18 vai, com certeza, te dar ótimas fotos. Com certeza uma câmera Leica original não sairia por esse mesmo valor.

Resumo

Panasonic Lumix DMC-FZ18
O que é isso? – Câmera digital de alto desempenho.
O que é legal? – Zoom poderoso, qualidade de imagem excelente.
O que é imoral? – A tela LCD não se move como em outras câmeras.
O que mais? – Bateria dura 400 fotos, resolução de até 8,1 megapixels,modo automático inteligente faz tudo por você.
Avaliação: 4,0
Preço sugerido pelo fabricante: R$ 2.299.
Onde encontrar: www.panasonic.com.br

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

Disclaimer: o ZTOP+ZUMO tem links de afiliados com a Amazon e pode ser
remunerado caso você clique em links neste artigo e compre algo.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos