Review: Nokia Lumia 710

R

O Lumia 710 é o segundo smartphone com Windows Phone a ser vendido pela Nokia no Brasil. Com seu irmão maior Lumia 800 roubando os holofotes por conta do design monobloco, o 710 poderia ser o patinho feio. Não é, assim como seu desempenho é praticamente igual – apenas em um corpinho mais simples e menos atraente.

Esqueça aqui o acabamento único (e lindo) do Lumia 800. O Lumia 710 é todo de plástico, com duas opções de cores para a frente (branco ou preto) e cinco opções de cores para a parte traseira (preto, branco, amarelo, azul e rosa). Nokia, você já foi melhor nisso: o 710 é um dos aparelhos menos atraentes vindos de Espoo. Sério. É feio mesmo – e o Lumia 610, mais básico ainda, segue a mesma tendência (ou eu que não sou o público-alvo desse aparelho, pode ser também).

>>>Reviews dos outros Windows Phones à venda no Brasil:  Samsung Omnia WHTC UltimateNokia Lumia 800

A Nokia me mandou a versão branco com branco, e acredito que as variantes coloridas estejam distribuídas entre as operadoras (enquanto escrevo este review, por exemplo, a loja online da Nokia tem apenas as versões em preto/preto e branco/rosa) – e isso pode ser um problema para o consumidor que não acha sua cor preferida (solução: vender a capa traseira como acessório?). 

Na parte de cima do Lumia 710 estão o botão de liga/desliga, o conector de fones de ouvido padrão 3,5 mm e a porta microUSB para recarregar a bateria e sincronizar dados com o computador (PC, via Zune, ou Mac, com o Windows Phone 7 Connector). A parte frontal superior, próximo ao alto-falante, tem dois sensores: não é uma câmera frontal, mas o sensor de luminosidade, para ajuste do brilho da tela Clear Black…

…e fazer os botões frontais se acenderem quando fica mais escuro.

Na lateral, o controle de volume e o disparador da câmera.

Na base, um raro espécime em smartphones: um encaixe para cordinhas, penduricalhos, amuletos e tralhas em geral.

E atrás, a câmera de 5 megapixels e a lanterna o flash LED:

No outro lado, uma ranhura que ajuda a remover a tampa traseira:

E ver a bateria de 1300 mAh instalada.

Removendo a bateria (algo que não dá para fazer no Lumia 800, por conta do monobloco), vemos o slot para cartão microSIM (um ponto negativo do aparelho, ao meu ver) e só. Detalhe: esse Lumia 710 foi fabricado na Coreia, não no Brasil (como alguns intrépidos leitores-compradores já tinham comentado no nosso tour da fábrica de Manaus). O encaixe para microSIM funciona bem para colocar o chipzinho, mas para removê-lo é necessário usar uma pinça ou muita paciência (claro que não é pior do que o slot de SIM card do velho e bom Nokia 5800).

Sem a tampa traseira, vemos de perto os botões de volume…

… e o disparador da câmera…

…assim como os contatos internos da capinha.

Em relação ao Lumia 800, quatro diferenças principais:

  • os dois têm a tela de 3,7″ com resolução 800 x 480 e tecnologia Clear Black, mas a do Lumia 800 é AMOLED (logo, mais brilhante, nítida e melhor), e a do Lumia 710 é TFT convencional.
  • o Lumia 800 têm câmera de 8 megapixels com lente Carl Zeiss; o Lumia 710 tem um sensor de 5 megapixels sem pedigree na lente.
  • a bateria: Lumia 800 tem bateria com 1450 mAH, Lumia 710, 1300 mAH – que na prática (hoje) dá quase na mesma.
  • armazenamento: 16 GB interno no Lumia 800, 8 GB interno no Lumia 710 – e 25 GB de Skydrive para ambos (nada de cartões de memória aqui).

Vendo os dois aparelhos lado a lado, o Lumia 710 é um pouquinho maior  (119 x 62.4 x 12.5 mm) que o Lumia 800 (116.5 x 61.2 x 12.1 mm), mas é mais leve (125,5 gramas x 142 gramas) que seu irmão mais parrudo.

A principal similaridade entre os dois Lumia à venda hoje no Brasil é o uso do chipset Qualcomm MSM8255 Snapdragon com processador de 1,4 GHz (single-core) e GPU Adreno 205, o que leva a resultados praticamente iguais de desempenho (mais sobre isso lá embaixo).

Vendo os dois aparelhos por trás, o 710 me lembra um smartphone-de-entrada-genérico (Samsung Corby, estou falando de você) e o 800 é um passo estético em direção ao futuro.

Não sou muito de falar de caixa de produto por aqui, mas o Lumia 710 tem alguns detalhes que valem menção, começando pela embalagem maior:

Que se justifica pelo maior (!) número de itens em comparação ao Lumia 800: o Lumia 710 vem com manuais, conector/tomada e cabo de dados (contra uma tomada USB e um único cabo para recarga/sincronia do Lumia 800).

E, heresia das heresias, os fones que vêm na caixa do Lumia 710 são do tipo in-ear, e ao meu ver melhores que os do aparelho mais caro Lumia 800.

No software, nada diferente do que já vi no review do Lumia 800: Nokia Mapas, Nokia Dirigir, Nokia Música.

Novidades disponíveis pra baixar no Marketplace são o Creative Studio, para gerar efeitos instagrâmicos em suas fotos:

com efeitos especiais

e filtros nas imagens:

Outro app ainda em fase muito beta (ao menos para o Brasil) é o Nokia Transporte. Na teoria é lindo: ele encontra sua localização em instantes (é rápido mesmo) e você diz para onde quer ir; como resultado, dicas de transporte público. Na prática, para São Paulo, o aplicativo sugere apenas rotas a pé ou por trem/metrô, ignorando ônibus – logo, deixa pra lá, por enquanto.

A câmera: não tem a grife Carl Zeiss, mas é rápida entre cliques (o que pode levar, na pressa, à perda de foco) e funciona bem em modo macro e com boas condições de luz.

A câmera faz fotos nas resoluções de 5 megapixels (proporção 4:3) e 4 megapixels (16:9). Um exemplo reduzido para 660 pixels de largura:

E um corte a 100% (achei que tem menos ruído que a câmera do Lumia 800). Mais imagens no álbum no nosso Facebook.

Olhando pra fora da janela, um dia lindo, uma foto também:

Mas à noite, nada que empolgue.

O mesmo vale para vídeo:

Em vídeo, nada excepcional também. Uma amostra:

Desempenho

Em nossos testes, os resultados do Lumia 710 foram quase os mesmos do Lumia 800, por conta do mesmo chipset/processador/GPU.  Na prática, isso difere muito pouco em desempenho dos seus pares da HTC e da Samsung, com resultados piores em alguns casos e melhor em outro.

  • WP Bench (desempenho geral): Lumia 710: 91,88 pontos / Lumia 800 – 90,64 pontos / Omnia W: 96,52 pontos / HTC Ultimate:  96,59 pontos.
  • WP Bench (stress de bateria): Lumia 710: 03:37:18 / Lumia 800: 03:20:11 / Omnia W: 03:54:12 / HTC Ultimate 03:15:52
  • PiBench (cálculo de Pi): Lumia 710: 10.349 ms/ Lumia 800: 10.849 ms / Omnia W: 10.587 ms / HTC Ultimate: 10.496 ms; número menor é melhor)
  • Benchmark Free (desempenho geral): Lumia 710: 38,7 pontos / Lumia 800: 38,7 pontos / Omnia W: 30 pontos  / HTC Ultimate: 34 pontos no HTC Ultimate

Na prática, o uso do Nokia Lumia 710 em um dia resultou, ao final do período de uso (7 horas com navegação na web via 3G, acesso a e-mail e redes sociais e ouvir pelo menos duas horas de música, com pausas) em 35% de carga de bateria. O número é inferior ao Omnia W (51%) e do HTC Ultimate (39%), mas maior que o Lumia 800 (29%) – que tem uma capacidade maior de bateria (!). Como telefone, é um Nokia clássico, com boa qualidade de ligações, com microfone para cancelamento de ruídos externos.

A aposta da Nokia com os Windows Phone foi alta. Se o Lumia 800 (preço sugerido: R$ 1.699) é a prova de que o design finlandês consegue conviver em paz com as funcionalidades da Microsoft, o Lumia 710 é um passo em direção ao mercado de entrada de smartphones: apesar de não ser belo como seu irmão maior, mantém as mesmas funções e o mesmo desempenho com a perda de um ou outro recurso (câmera mais básica e tela mais simples são dignos de maior destaque; armazenamento se resolve com SkyDrive e a bateria, por enquanto, está quase na mesma situação).

No cálculo custo/benefício/vontade de ter um Windows Phone, o Lumia 710 é uma boa opção de compra, somado aos apps exclusivos da Nokia (Dirigir, Mapas, Música etc). Seu concorrente direto no mercado brasileiro é o Samsung Omnia W (embora eu duvide das intenções dos amigos coreanos com futuros lançamentos na plataforma da Microsoft, por conta do seu envolvimento/liderança no Android).

Se você não se importa muito com design, vá de Lumia 71o sem medo – as promoções já começaram a aparecer (a TIM, por exemplo, oferece o aparelho pelo preço sugerido de R$ 799 em uma promoção de dia das mães – ou R$ 200 a menos que o valor oficial). Creio que quando o irmão-maior-ainda Lumia 900 (tela de 4,3″) aportar por aqui nos próximos meses (já passou na Anatel), os preços dos Lumia diminuam ainda mais.

Futuras atualizações devem polir e aprimorar a linha Lumia (rumor: Windows Phone 7.5 Refresh; capacidade de modem, te espero, assim como algumas das nossas sugestões para melhoria da plataforma), o que garante o investimento até a chegada do Windows 8 em outubro (onde computador + tablet + smartphone rodando a mesma variante de sistema operacional fará bastante sentido) – isso, claro, se os aparelhos forem atualizados (Microsoft não comenta o tema, por sinal). Acredito que sim – não tem lógica apostar na plataforma e matar os fones sem atualização em seis meses.

Resumo: Nokia Lumia 710

(update: até 20/06/2012, este produto tinha a recomendação ZTOP Indica. Por conta das mudanças de planejamento da Microsoft para o Windows Phone 8 e a falta de atualização para aparelhos antigos, retiramos o selo em 21/06) 

O que é isso? Smartphone com sistema operacional Windows Phone.
O que é legal?  Desempenho, facilidade de uso, câmera fotográfica (durante o dia), fones de ouvido bacanas.
O que é imoral? câmera fotográfica (à noite), duração da bateria.
O que mais?  desempenho quase igual ao do Lumia 800, software Nokia Mapas e Dirigir são excelente complemento.
Avaliação:  8,5 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: R$ 999 (desbloqueado)
Onde encontrarNokia

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos