ZTOP+ZUMO

Review: Netbook Asus Eee PC T101MT Convertible

Formato ainda pouco explorado aqui no Brasil, o Asus eee PC T101MT é um netbook conversível com design e acabamento bem melhor que seus primos de capota fixa.

Digo isso, porque se comparado com outros modelos da casa, o T101MT não me parece ser um eee PC Seashell adaptado e sim um projeto completamente novo, mas que obviamente traz consigo o mesmo DNA dos produtos da Asus.

Medindo aproximadamente 26,4 x 3,1 x 18,1 cm (LxAxP — fechado) e 1,3 kg de peso (ou 1,6 kg com sua fonte), o T101MT é dono de um desenho elegante. Ele inclui uma tampa superior em metal com acabamento preto fosco (yay!), material que deve ter sido escolhido para aumentar a rigidez estrutural da tela LCD que, por sinal, é a única parte móvel desse portátil, além do disco rígido.

Ao abrir o portátil, podemos ver que o T101MT oferece a mesma experiência de uso de um netbook com seu layout simples e prático e sem muita frescura neste departamento.

Para quem ainda não sabe, o T101MT é descrito como um “Convertible” (= conversível) já que ele possui uma tela articulada que pode girar 180 graus na horizontal…

… o que transforma esse portátil num pequeno display, o que pode ser útil por exemplo para fazer uma apresentação numa reunião entre duas ou três pessoas.

Obviamente essa não é a função primária desse recurso e sim o fato de que a tela pode rebater por cima do teclado…

… transformando o mesmo num legítimo Tablet PC. Como o T101MT não possui sensor de movimento/acelerômetro, o giro da tela deve ser feito manualmente.

A grande sacada desse projeto é o fato dessa tela se unir ao portátil por meio de uma única articulação localizada na sua base e que permite tanto o movimento de giro quanto o de tombar a tela.

E para manter a tela firme no seu lugar depois de rebatida, notamos que existem dois pequenos ressaltos de borracha nos cantos do teclado…

… que se encaixam em dois ressaltos ocultos por um mecanismo de mola, presentes tanto na parte de dentro…

… quanto de fora do portátil. Isso faz com que a tela não gire/desalinhe do teclado quando estiver no modo tablet ou fechado.

Se comparado com seu principal concorrente — o Dell Inspiron Duo (já analisado por esse Ztop) — podemos ver que o modelo da Dell é ligeriamente maior (28,5 x 2,8 x 19,4 cm (LxAxP – fechado) e um pouco mais pesado (1,5 kg). Curiosamente,  apesar desse maior tamanho, o tamanho da tela (10,1 polegadas) e o espaçamento entre as teclas do T101MT é praticamente o mesmo do Duo, o que faz com que a experiência de uso seja praticamente igual.

Acreditamos que isso ocorre porque o modelo da Dell utiliza um sistema de giro da tela completamente diferente, o que obriga o equipamento a ser um pouco maior que a solução mais conservadora do T101MT.

Apesar de ambas as telas serem de 10,1″ polegadas, o modelo da Dell tem resolução nativa maior — 1.366 x 768 pixels contra 1.024×600 pixels do T101MT — o que faz uma grande diferença nas aplicações do dia a dia. A tela do Dell mostra mais linhas de texto do que o modelo da Asus.

Mas como já dissemos em outro review, é preciso que o usuário tenha em mente que esse equipamento não é um tablet com teclado, e sim um netbook que pode funcionar como tablet. Isso ajuda o consumidor a não ter falsas ilusões de que esse produto é algum tipo de iPad-killer.

Mas de volta ao que interessa, o eee PC vem com Windows 7 Home Premium pré-instalado. Chegamos a ver que a Asus também oferece (lá fora) uma versão com Windows Starter, mas a Asus Brasil optou pelo Home Premium porque essa versão oferece suporte para multi-touch na tela, algo que curiosamente a Starter não oferece.

Assim como o seu concorrente de Round Rock no Texas, um dos grandes desafios dos fabricantes de convertibles é de oferecer algum tipo de aplicação para Windows que permite ao usuário usufruir dos recursos do modo tablet. E no caso da Asus a resposta veio na forma do eee PC Touch, um gerenciador de aplicações para programas com suporte para touchscreen:

E como uma imagem vale mais do que mil palavras:

===

===

Apesar de todo o oba-oba em cima das telas de toque capacitivas, o T101MT ainda usa a boa e velha tela resistiva, o que pode parecer um antagonismo de um lado, mas que na minha opinião é uma decisão mais acertada do que a tomada pela Dell com o Duo. Detalhe é que isso não tem nada a ver com a tecnologia da tela em si, e sim pelo fato de a tela resistiva funcionar muuuito melhor com o Windows, já que o sistema exige uma boa precisão na hora de selecionar/clicar num objeto, o que é uma tarefa meio difícil de ser feita com a ponta do dedo numa tela tão pequena.

E por causa disso, ao contrário do Duo, o T101MT ainda vem equipado com um dispositivo apontador do tipo caneta (ou stylus) que fica guardado numa abertura localizada no canto inferior da tela.

Feita em metal com ponta de plástico, a stylus do T101MT é do tipo telescópico o que aumenta o seu comprimento de uns 7 cm…

… para 10,5 cm…

… o que torna o seu manuseio bem mais confortável.

Com relação ao teclado, o T1o1MT é do tipo “chiclete” com layout que ainda segue o padrão tradicional — sem teclas de função invertidas ou comandos a menos — ou o que para mim é uma boa notícia por sinal.

De fato, muita coisa está no lugar onde eu acho que deveria estar. Um bom exemplo são os LEDs de estado do computador que estão montados na tela num local bem visível…

… sendo que o mesmo pode ser dito das luzes de estado/recarga da bateria replicados na parte de fora do portátil.

Também na tela ficam dois comandos importantes: a chave de liga-desliga — que curiosamente é do tipo deslizante — e o botão de giro da tela, que também pode ser usado para invocar o Asus Express Gate.

Para quem não conhece, o Asus Express Gate é um pequeno ambiente de trabalho que pode ser carregado rapidamente com o computador desligado e que oferece algumas ferramentas simples para aqueles que precisam fazer algo rapidinho no seu PC sem ter que esperar a carga do sistema operacional.

No topo da tela vemos a webcam de 0,3 MP com seu pequeno microfone montado logo à esquerda.

Uma coisa que nos chamou a atenção nesse portátil é a reduzida presença de interfaces e portas de comunicação nas laterais. Do lado direito temos apenas uma porta USB 2.0…

… e do lado oposto as saídas de som e o leitor de cartão de memória Flash SD/MMC/MS.

Para nossa surpresa a maioria dessas portas se concentram na parte de trás do portátil, o que para mim faz muito mais sentido do que ter um monte de cabos e penduricalhos saindo das laterais. À partir da esquerda temos duas portas USB 2.0, rede Fast Ethernet (chip Atheros AR8132), SVGA, entrada de força e slot para dispositivo anti-furto padrão Kensington. Internamente o sistema ainda conta com uma interface Wi-Fi 802.11b/g/n (Atheros AR9285) e som HD da Realtek.

Ao contrário da sua tampa superior, a base do T101MT é de plástico fosco e possui apenas duas aberturas.

A maior delas é o compartimento da bateria de quatro células de polímero de lítio …

… modelo AP22 T101MT de 4.900 mAh e 35 Wh. Interessante notar que a bateria foi deslocada para frente do portátil, provavelmente para liberar o espaço de trás para o mecanismo de giro da tela. Suspeito que, por causa disso, a Asus talvez não ofereça alguma opção de bateria de maior duração para esse equipamento. Segundo o fabricante sua autonomia é estimada em 6,5 horas.

Em compensação seu adaptador de rede elétrica modelo EXA0801XA de 12 volts/3A é bastante leve e compacto.

O compartimento menor abriga apenas o slot para um pente adici0nal de memória SODIMM DDR2. Note que o T101MT já vem com 1 GB de SDRAM DDR2 1.066 MHz soldado na placa-mãe, o que faz com que na teoria esse sistema aceite até 2 GB de RAM.

Note que o modelo que recebemos para testes era uma versão preliminar com apenas 1 GB. Entretanto o pessoal da Asus Brasil já nos avisou que o modelo a ser vendido por aqui já virá com esse espaço já ocupado com pente de 1 GB — totalizando assim 2 GB de RAM —  e um HD de 250 GB e 5.400 rpm.

Sob testes:

O eee PC T101MT vem equipado com um processador Atom N450 de 1,6 GHz com HT e TDP de 5,5 watts mas que ao contrário do que o CPU-Z informa, ele é um chip da família Pine Trail

… cujo maior atrativo é ele já vir com sua aceleradora gráfica integrada ao núcleo do processador. No nosso caso um Intel GMA 3150 que atende bem o público alvo dos usuários de netbook, mas nada além disso.

Segundo o Índice de Experiência do Windows o sistema bateu 2,3 pontos, o que o coloca como um equipamento para as aplicações do dia a dia, como preencher documentos, navegar na rede, trocar mensagens: o perfil clássico do usuário de notebooks.

Com relação aos outros resultados, o T101MT bateu 1.221 pontos no PCMark Vantage. No AutoGK 2.45 a placa da Intel levou aproximadamente 4h50m6s para transformar um filme em DVD para um arquivo AVI de 700 MB. O processo oposto (criar uma imagem de DVD a partir de três arquivos de vídeo) feito com o DVDFlick 1.3.0.6 foi de 13h09m23s utilizando um thread e 11h39m37s com dois threads.

Ah sim, o Super Pi do David Lopes:

Nos testes de autonomia de bateria realizadas com o Battery Eater 2.7 — com sua bateria de 4 células — o sistema funcionou por aproximadamente 2h41m03s, uma autonomia até melhor que o Inspiron Duo com seu processador N550 dual core de 1,5 GHz.

Nossas conclusões:

Num segmento de mercado marcado pela mesmice de seus recursos o eee PC T1o1MT traz para o varejo uma categoria de produto considerado de nicho, e como tal era difícil de ser encontrado e normalmente (muito) caro. Sob esse ponto de vista, se ele não revoluciona (já que o conceito de convertible nasceu em 2005), pelo menos inova no sentido de popularizar o conceito além de trazer algum valor ao produto. Fora isso ele que pode até abrir um novo mercado para os desenvolvedores de softwares comerciais que poderão criar novos produtos e serviços baseados em tablets dentro do ecossistema do Windows com um custo bem menor de implementação.

Se comparado com o Inspiron Duo, o T101MT perde em resolução da tela e desempenho do processador, além de não oferecer alguns recursos extras como aceleradora de mídia da Broadcom, Bluetooth de linha e sensor de movimento. Em compensação o Atom N450 consome menos energia, proporcionando assim maior autonomia da bateria. Fora isso, o T101MT ainda oferece alguns itens que simplesmente sumiram do modelo da Dell (ou estão disponíveis apenas por meio de um acessório opcional) como porta de rede Ethernet, leitor de cartão de memória flash e saída de vídeo padrão VGA. O modelo da Asus ainda tem a vantagem de vir com três portas USB contra duas do concorrente.

Mas para mim, a principal vantagem do  modelo da Asus sobre o Dell é sua tela resistiva que apesar de ser considerada meio “antiquada” (só porque aquela empresa com nome de fruta não usa) ela funciona muito melhor com o Windows 7 do que a tecnologia de toque com dedo. Isso pode até mudar com o Windows 8, mas até que isso aconteça eu ainda acho que o T101MT oferece uma solução mais redondinha e pronta para usar com qualquer aplicativo seja ele com ou sem suporte para touchscreeen. Apesar disso, durante nossos testes sentimos falta de alguns botões de atalho que pudessem melhorar a usabilidade de aplicativos do Windows feitos para serem usados com mouse/teclado no modo tablet, como um botão de rolagem/confirmação (Jog) ou coisa do tipo.

Com o preço sugerido de R$ 1.899 o eee PC T101MT está  na mesma faixa do Inspiron Duo, o que faz com que a escolha por um ou pelo outro seja uma questão de gosto pessoal ou um exercício de fé no futuro — no sentido que você acredita que um dia irá surgir uma killer-app que por si só justificaria a compra do modelo da Dell.

Se você for um pouco mais pragmático e prefere viver o aqui e agora, o T101MT deveria ser uma opção a ser considerada.

Resumo: Asus eee PC T101MT

O que é isso? Netbook convertible para uso geral.
O que é legal?
Ótima apresentação e acabamento. Pode ser usado como tablet.
O que é imoral? Resolução modesta da tela. Não possui sensor de orientação.
O que mais?
Já vem com 1 GB de RAM soldado na placa-mãe.
Avaliação:
8,0 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido:
R$ 1.899
Onde encontrar:
br.asus.com

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • @guidoalves 11/04/2011, 12:13

    Parabéna pelo Review, completo e informativo. Na minha opinião o T101 inova pela sua capacidade de interagir com o Windows de uma maneira nova. Em um mundo empesteado por tablets com Android e iOS, esse traz uma opção muito legal para quem não pode viver sem o famigerado OS da Microsoft!

  • @marcelcampos 11/04/2011, 12:19

    Tem na FNAC, as vezes aparece em promoção. Ontem estava por R$ 1.499, acho que nos finais de semana fica mais barato, tipo liquidação de final de semana: http://www.fnac.com.br/netbook-asus-eee-pc-t101mt

  • Dino Magri 11/04/2011, 12:37

    Ótimo Review!
    Uma dúvida, quantos pontos simultâneos são reconhecidos?

    Obrigado!

  • Andelson Marcelino 11/04/2011, 16:28

    Vamos combinar, que o que é imoral mesmo, é o preço por um netbook, com essa resolução de tela, apesar de ser touch.

  • Rodrigo 11/04/2011, 17:20

    Na Kalunga ta a R$ 1,200 e ainda divide em até 3 sem juros ou 12 com juros, nos cartões – http://www.kalunga.com.br/prod/netbook-tablet-eee

  • rubens 11/04/2011, 19:29

    É impressão ou a etiqueta de licença é da Starter?
    É impressão também ou o ângulo de visão é muito bom?

    • henrique9469 16/04/2011, 11:43

      Na verdade, sim, a etiqueta é a do Starter. Mas dá para ver que é a Home Premium quando ele mostra o software da Asus, em que claramente se nota o efeito de transparência da barra de tarefas. Quanto ao ângulo de visão, eu diria que é bom, mas dá para notar que em algumas fotos, o ícone ZTOP fica levemente escurecido.

  • EMERSON VIER 11/04/2011, 20:40

    Tem um concorrente dele muito bom o LENOVO S10-3T.
    No caso do T101MT faltou um porta GIGABIT, nas fotos acima não vi teclado com "Ç".

    EMERSON VIER

    • mnagano 13/04/2011, 09:42

      Como disse, o modelo que recebemos é um modelo pré-série com 7 Starter mas já atualizado para Home Premium, 1 GB de SDRAM, disco de 160 GB e teclado US Universal. A versão que cheou no varejo já vem com 2 GB e HD de 250 GB.

      Com relação ao teclado talvez seja mais fácil olhar na loja.

  • EMERSON VIER 11/04/2011, 20:45

    La fora a ASUS lançando o ele com Intel ATOM N455 CPU e aqui com o N450.

    • henrique9469 16/04/2011, 11:45

      A diferênça de desempenho entre os dois é quase imperceptível. A ÚNICA diferença entre os dois é que o N455 suporta RAM DDR3 e o N450 não.

  • dflopes 13/04/2011, 23:25

    Mr. Nagano,

    o grande prejuizo de vir com o starter e não ter acesso às opções do "Touch Input Panel", cuja principal vedete é o reconhecimento de escrita – que consegui habilitar no meu viliv s5 mas perdi o hack da tela com a instalação do SP1… ¬¬

    E nao custaria nada vir com fusion…

  • henrique9469 16/04/2011, 11:47

    Gostei… Custo-Benefício razoável, mas o que eu gostei foi da interface da Asus!

  • henrique9469 19/06/2011, 20:59

    Só detalhe: A sensibilidade da tela funciona no Express Gate?

  • henrique9469 20/06/2011, 21:08

    Uma coisa tem que ser dita… A interface touch criada pela Asus é disparada (mesmo) melhor que a criada pela Dell. Gamei nesse netbook… Esperava um pouco menos na bateria, mas tudo bem… Só a Asus (com o T101MT) e a Dell (com o Duo) que até agora fizeram netbooks que fogem dos padrões tradicionais (mais ou menos notebooks de 10")… O legal que ninguém comentou é que o Windows 8 será melhor de ser usado em Tablets, e me parece que esse netbook viria bem a calhar pela sua tela sensível ao toque. Que que vocês acham?