Review: Moto G7 Plus

R

O Moto G7 Plus, da Motorola, segue a clássica linha honesta e confiável da fabricante: tem bom desempenho, boa câmera, uma interrupção na tela e, com uma atualização recente, quer te desconectar um pouco do mundo.

Ah sim, e um carregador que você vai guardar para a vida (enquanto não tiver um melhor).

Usei o G7 Plus por duas semanas antes dos grandes eventos de fevereiro (S10, MWC) e nos últimos dias como smartphone secundário, para checar umas coisas adicionais. O Moto G7 (e o G7 Plus) acabam entrando na categoria de não sabe qual comprar por tanta opção? vai não tem erro” que discutimos outro dia no podcast Sem Filtro.

O Moto G7 Plus é o modelo mais avançado da família G7 (especificações completas de todos aqui). Tem tela de 6,2″, processador Qualcomm Snapdragon 636 de 1,8 GHz, 4GB de RAM, bateria de 3.000 mAH e uma câmera traseira dupla de 16 + 5 megapixels. Em resumo, o desempenho é bom, sem travamentos/interrupções. A bateria dura o dia inteiro (30% no final de um dia de uso completo após 12 horas).

Moto G7 Plus: precisamos falar sobre a gota

A Motorola passou longe das telas com notch/entalhe na linha G (somente o Motorola One teve um) e passou direto para modelos com tela com maior área de uso com uma gota no meio – apenas no G7 e no G7 Plus -, encobrindo a câmera frontal para selfies.

Aqui entra uma discussão filosófica que tive com o Nagano e interrupções sobre a tela. O notch/franja incomoda, mas é algo simples de acostumar pelo formato e, na maioria dos smartphones com essa coisa na tela, é possível desativar e deixar uma barra preta no topo (exceção, claro, aos iPhones com notch).

Tem a opção do buraco na tela, que pode seguir dois caminhos: o furo no canto da tela, como no Galaxy S10 (ou duplo no S10+) – e a Samsung abraçou muito rápido a turma que está fazendo wallpapers que brincam com o “O” (ou “O O”) do display. De certa forma, o furo no canto da tela é mais fácil de ser ignorado.

Já o furo no meio da tela com uma forma de gota em cima não tem como ignorar (insira aqui a piada do Austin Powers com a verruga). A Motorola abraçou a gota central e, diferente do que ocorre com o furo lateral, seu olho vai automaticamente para o centro. De certa forma, chama mais atenção. A tela, no final das contas, tem boa nitidez e cumpre seu papel (mesmo levando o olhar ali pra cima).

Nagano comenta — Ao ver aquela “bolinha” no topo da tela, o Henrique pode até ter se lembrado no Number Three. Eu já lembrei da Sabrina Sato! ?

O Moto G7 Plus é um aparelho bonito. Recebi a versão em vermelho metalizado (“Rubi”) e é um dos acabamentos mais bonitos que a Motorola já fez (tem uma versão em azul escuro também, ops, “Indigo”). A parte traseira tem a câmera dupla e o leitor de impressões digitais…

…no lado direito estão o botão de liga/desliga e o controle de volume…

…embaixo, o conector USB-C, alto-falante e a entrada pra fone de ouvido…

… e em cima a gaveta do SIM card/cartão microSD. Note que a câmera tem um belo calombo (seguindo a tradição de design da Motorola nos últimos anos).

gaveta do SIM card duplo com cartão microSD

A outra coisa questionável no design do Moto G7 Plus é o logotipo da Motorola na base da tela. Quase mais nenhum fabricante faz isso na frente do smartphone, e é um espaço que poderia ser ocupado… por mais tela.

A câmera

É um grande motivo para comprar o Moto G7 Plus. Excelente durante o dia/condições boas de iluminação. A Motorola diz que é a “foto perfeita em qualquer luz” no seu material de marketing e é quase isso (quase – veja as fotos com vela embaixo).

O bem-estar digital

O Moto G7 Plus roda Android 9 “Pie” e um dos recursos mais interessantes dessa versão do sistema operacional é o app Bem-Estar Digital. Apesar de integrado ao OS, o Bem-Estar Digital está presente em poucos aparelhos hoje no mercado (notadamente, os Google Pixel e o Galaxy S10).

Durante o MWC, o Google e a Motorola anunciaram a chegada do recurso aos Moto G7. É um grande monitor de quanto você usa seu aparelho e percebe, ao usar depois de um tempo, que perde minutos demais do seu dia com coisas desnecessárias (como redes sociais).

O recurso mais interessante para mim é ativar o modo Relaxar, quando a tela se torna monocromática e, por consequência, chata de ficar olhando – e te força a deixar o telefone de lado. Participei de uma mesa redonda no MWC sobre o tema e, bem, deu a entender que esse tipo de recurso ainda é algo novo para o Google e para os fabricantes (e que no Google I/O deve ser divulgado algum estudo etnográfico sobre o tema – sempre com dados genéricos não-identificados dos participantes/consumidores).

Ainda falando do software, a interface do Moto G7 Plus é bastante limpa e com pouca intromissão externa nos apps (vem com os Google-padrão, Facebook, App Box (com links para outros aplicativos) e o já conhecido Moto, que permite customizar ações dentro do sistema – como a chacoalhada para ligar a câmera, por exemplo.

Os adicionais

O Moto G7 Plus vem com uma capinha de plástico. Minha crítica a todos que fornecem esse tipo de capinha é que elas ficam engorduradas muito fácil, dá uma sensação esquisita. Entre usar essa capinha e ficar sem, eu fico sem (ainda mais que o G7 Plus é muito bonito).

Os fones de ouvido, do tipo in-ear, me surpreenderam. Graves notáveis, muito boa nitidez de som.

Mas na caixa do Moto G7 Plus vem o melhor carregador rápido (que vem na caixa do produto, ouviu Apple?). É um modelo TurboPower de 27W que é capaz – segundo a Motorola – de levar a bateria do 0 a 100% em menos de uma hora. Funciona rápido mesmo (prefiro não imaginar o custo de tantas cargas rápidas em um ano na capacidade da bateria… mas daqui a um ano tem modelo novo, né?).

Repetindo: é muito rápido mesmo (quando seu G7 Plus sair de cena e você comprar outro aparelho, mantenha o carregador!)

O carregador é do tipo USB-C para USB-C (teoricamente carrega um iPhone XS rápido, mas eu não tenho um cabo USB-C para Lightning comigo).

Resumo: Moto G7 Plus

O que é isso? Smartphone intermediário com tela grande.
O que é legal? Design, desempenho, bateria, câmera
2O que é imoral?  Posição do furo na tela para a câmera frontal leva atenção demais… para o furo; preço próximo a modelos mais avançados da marca (como o Moto Z3 Play).
O que mais?  Carregador de 27W é a melhor coisa do pacote.
Avaliação: 7,5 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação
Preço sugerido pela fabricante: R$ 1.899
Onde encontrar:  Motorola

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos