Review: Monitor TV LG M228WA (22″)

R

lg22_intro.jpg

Como já comentei em um post anterior, eu nunca fui muito fã das telas LCD wide (tela larga) em PCs por não ver muita vantagem em abrir mão do número de linhas (altura) em favor do número de colunas (largura).

Apesar disso, nesse mesmo artigo eu expressei meu interesse nos novos modelos de 22″ wide que começam a chegar ao mercado por um preço mais atrativo e que, pelas suas caracterí­sticas técnicas, parecem oferecer um ganho real de imagem se comparado com meu tamanho preferido – o LCD de 17″ ou 19″ convencional (4:3). Veja o exemplo abaixo, onde vemos a mesma tela do Excel visualizada numa tela de 1.280×1.024 pixels e em outra de 1.680×1.050 pixels:

lg22_combined.jpg

Analisando as ofertas disponí­veis no mercado, me chamou a atenção o Monitor TV LCD M228WA da LG, que combina as funções de monitor de PC e TV no mesmo equipamento. Por ser um feliz usuário de um monitor LG L173SA, resolvi dar uma olhada nesse modelo para ver como anda essa linha de produtos multifuncionais.

lg22_m228wa.jpgAntes de mais nada, é interessante deixar claro que o monitor LCD M228WA não é uma TV com funções de monitor, e sim um monitor com funções de TV (nada de TV digital, para não confundir mais ainda as coisas). Isso pode até causar alguma confusão, já que a própria LG também comercializa a TV LCD 22LS4R (í  direita), cujas especificações são muito parecidas com o M228WA, exceto nas funções: enquanto o 22LS4R possui porta HDMI, Progressive Scan e sintonizador de canais, o M228WA vem com porta DVI no lugar do HDMI e o sintonizador externo (TN-300) é vendido como opcional.

Sob esse ponto de vista, assistir TV deve ser visto como uma função secundária do M228WA e, mesmo a aquisição do sintonizador externo TN-300 pode ser até questionável, já que o Brasil ainda vai mudar lentamente para o padrão de TV digital.

Como monitor, o M228WA possui resolução nativa de 1.680 x 1.050 pixels, brilho de 300 cd/m², relação de contraste de 3.000:1 e tempo de resposta de 5 ms. O tamanho de seus pontos de tela (pixel pitch) é de 0,282 mm, ligeiramente maior que os 0,264 mm do L173SA, proporcionando assim a visualização de textos e elementos gráficos maiores e, conseqí¼entemente, gerando uma leitura mais confortável. Destaque também para o acabamento anti-reflexivo da tela, mais indicado para esse perfil de uso.

O produto mede aproximadamente 52,5í—43,9í—23,0 cm (LxAxP) e tem 5,8 kg de peso. A tela fica apoiada sobre um pedestal simples e relativamente estável, cuja base pode girar para os lados, facilitando o acesso í s suas conexões traseiras. Ao contrário de outros monitores, suas conexões ficam alinhadas na horizontal, o que facilita a conexão dos cabos. Também é possí­vel retirar a base do monitor e montá-lo na parede segundo a norma VESA.

O sistema de som é formado por dois alto-falantes de 3 watts (cada) embutidos na base da moldura da tela, o que dispensa o uso daquelas inconvenientes caixinhas acústicas que costumam ocupar espaço ao lado do PC.

lg22_remote.jpgComo é comum nos atuais monitores da empresa, seu visual é limpo e elegante com um novo tipo de acabamento black piano “com listas” bastante discretas. Com exceção do botão de liga/desliga, a maioria de seus controles ficam escondidos na parte de cima do monitor. Nesse caso, talvez seja mais fácil usar seu controle remoto incluso, que reproduz todas as funções do painel e a maioria das funções mais usadas como TV, como controle de imagem (APC), som (DASP), soneca (SLEEP – 10~240 min) etc. Curiosamente, o controle possui algumas funções como TV, FCR, REVIEW e MEMORY/ERASE que não funcionam nesse equipamento.

lg22_4í—3a.jpgEm contrapartida, o controle possui algumas funções realmente interessantes como o A.PROG, que faz o auto-ajuste fino do sinal analógico do PC no monitor e o ARC/* que permite simular o formato de tela padrão (4:3) na tela wide (16:9), preenchendo as laterais com faixas pretas. Isso elimina as distorções da tela tanto na TV analógica, quanto nos jogos de PC que não oferecem modos de tela wide (í  direita).

Os menus de configuração do M228WA lembram mais uma TV do que um monitor de PC. Por causa disso, algumas funções clássicas como ajuste de brilho e contraste ficam escondidas dentro da opção “Pessoal” ao lado dos ajustes “Ní­tida”, “í“tima” e “Suave” do APC. Se você estiver í  procura de algum controle especí­fico, mais fácil consultar o manual do usuário.

O monitor ainda dispõe de relógio interno com função de timer e a função XD, um algoritmo de processamento de imagem em tempo real que melhora a qualidade da imagem.

O processo de instalação e configuração do monitor não foi tão simples quanto esperava, principalmente usando a porta SVGA, que não entrava na resolução nativa de 1.680x 1.050 pixels nem com reza brava.

Depois de consultar o pessoal técnico da LG, entendi que o problema não está apenas na placa de ví­deo, mas também no reconhecimento correto do monitor pelo PC. Isso ocorre porque, no geral, os PCs estão configurados para reconhecer um monitor padrão ou plug-and-play que, até onde eu saiba, não aceita o modo de tela de 1.680 x 1.050 pixels.

Não se trata de uma solução simples, de modo que vamos por partes:

Primeiro…

Entre no menu de opções da tela do Windows e verifique se a resolução de 1.680×1.050 está disponí­vel. Caso afirmativo, selecione a mesma e teste o modo.

Se tudo der certo, meus cumprimentos e considere-se uma pessoa sortuda (yay!).

Porém…

Mas se esse modo de tela está presente, mas o monitor não entra nessa resolução (boo!), pode ser que o driver do monitor não reconheça essa resolução. No meu caso, isso ocorreu nos monitores descritos no menu de opções como “Padrão” ou “Plug and Play”.

Nesse caso, é aconselhável (para não dizer mandatório) que o usuário primeiro instale o driver do monitor M228WA que, curiosamente, não acompanha o produto, mas pode ser encontrado no site da empresa – clique na opção LG MNT Drivers(071112.zip). Note que esse arquivo incorpora dezenas de drivers de monitores, sendo que o usuário deve procurar e usar a pasta M228WA.

Instalado o driver, o usuário pode tentar entrar novamente no modo 1.680×1.050 e se tudo der certo, o problema estará resolvido (ufa!).

Entretanto…

Existe a possibilidade de que o driver da sua placa de ví­deo simplesmente não ofereça o modo de tela de 1.680×1.050 pixels (uia!). Nesse caso, a primeira coisa a ser tentada é baixar o driver mais recente da sua placa de ví­deo. Caso o problema persista (boo!), pode-se tentar implementar manualmente esse modo de tela no atual driver de ví­deo, com o utilitário PowerStrip 3.7 que permite criar modos de tela customizados. í€s vezes funciona, outras vezes não.

Mas se tudo der certo, o novo modo aparecerá na tela de configuração e o monitor poderá ser instalado corretamente (yay!).

Caso nada disso funcione…

Se sua placa de ví­deo dispõe de uma porta DVI, utilize essa conexão (com o cabo especí­fico que já acompanha o monitor) e esqueça o que SVGA existe.

De fato, esse modo é até preferí­vel já que o DVI é uma conexão é totalmente digital, oferecendo até melhor qualidade, já que o SVGA tem imagem (digital) gerada e convertida para um sinal analógico (para trafegar pelo cabo) e novamente desconvertido para digital no monitor.

Então, como ia dizendo…

Passado esse contratempo, o M228WA se comportou muito bem como monitor de PC tanto no modo digital quanto analógico.

Com relação ao uso como monitor de ví­deo, fiz os testes utilizando um reprodutor de DVD ligado ao monitor via S-Video e ví­deo-componente e, como já vi no passado, a qualidade da imagem – principalmente num monitor de 1.050 linhas – depende muito da fonte de sinal, ou seja, quanto menor o número de linhas (como ví­deos domésticos) maior a tendência de notarmos efeitos de pixelização. Algo que raramente vimos em mí­dias totalmente digitais, como as animações da Pixar. O mesmo pode ser dito do mecanismo XD que realmente procura melhorar a qualidade da imagem, mas o resultado final varia de acordo com o tipo de sinal de entrada.

lg22_dead_pixel.jpgAlgo que me chamou a atenção é que o monitor que recebi para teste apresentou três subpixels defeituosos (um verde e dois vermelhos) em diferentes partes da tela, sendo dois deles lado a lado formando um “cluster”. Essa ocorrência não é rara em telas LCD e, em muitos casos, nem é considerado um defeito de fabricação que justifique sua troca, já que as empresas consideram um certo número de defeitos (entre milhões de subpixels) como algo “normal” e “dentro” de seus padrões de qualidade.

Acha isso estranho? Veja o que a sua arqui-rival Samsung tem a dizer sobre isso.

Trata-se de um assunto delicado que talvez mereça um post especí­fico no futuro. Se o usuário não quiser passar por essa experiência desagradável, aconselho que teste o monitor na loja, antes de pagar e retirá-lo da loja. Um bom programa para verificar a existência de pixels defeituosos num LCD é o UDPixel 2.2, disponí­vel para download na web.

No geral, minha impressão do MW228A foi positiva, já que ele cumpre bem seu papel básico de monitor de PC, além de ser útil em outras aplicações como monitor multifunção. Se comparado com seu antecessor – o L173SA – ele perdeu certas funções como PIP e seu controle remoto é bem mais simples. Porém, o ganho de tela é algo que literalmente enche os olhos daqueles que passam muito tempo na frente do monitor.

Também vale a pena relembrar que esse produto pode ter problemas de configuração devido í  sua resolução ainda pouco usual, e a sua solução pode não ser tão simples quanto clicar num box ou instalar um arquivo. Nosso conselho é que o usuário tenha certeza de que seu computador ou placa de ví­deo sejam compatí­veis com esse monitor para não descobrir da pior maneira.

Resumo: LG M228WA
O que é isso? – Monitor multifuncial para PC com recursos de monitor de ví­deo e TV (opcional).
O que é legal? – Grande área de visualização, bom desempenho como monitor.
O que é imoral? – Não é dos mais simples de ser configurado no modo SVGA analógico. Seu driver de dispositivo nem acompanha o produto.
O que mais? – Sintonizador de TV deve ser adquirido í  parte. Se possí­vel, utilize a conexão DVI.
Avaliação: 3,0 (de 5,0).

Preço sugerido: R$ 1.399.
Onde encontrar: www.lge.com.br

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos