Review: Linux no Positivo Mobile W98

R

Positivo Mobile W98. Core 2 Duo T5300 e 2 GB de RAM por R$ 3.499

Um dos costumes que tenho, adquirido em anos de uso do sistema, é tentar instalar o Linux em praticamente qualquer máquina que cai em minha mãos, basicamente para ver a quantas anda o suporte ao hardware que está no mercado. Algumas vezes fico decepcionado, em outras, como o caso do CCE LEVP-D10H120 ou do Asus W7F, fico agradavelmente surpreso ao ver que os componentes se entendem muito bem com o pinguim.

Esta semana estou com um Positivo Mobile W98. Os leitores mais atentos vão se lembrar dele como o “notebook branquinho” da Positivo, sobre o qual comentei em meu outro blog há algum tempo atrás. E lá vou eu com meu CDzinho do Ubuntu em mãos, ver o quão bem o W98 se dá com o Linux. Tenham em mente que este não é um review do micro (coisa que fica pra mais tarde), mas sim um “teste de compatibilidade” dele com o Linux.

O hardware é bastante interessante. Como outras máquinas da Positivo (e de praticamente a maioria dos fabricantes), ele é na verdade uma versão OEM do Clevo M520n, baseado em um processador Intel Core 2 Duo T5300 com 2 GB de RAM e 120 GB de espaço em disco. Inclui também um monitor LCD de 12,1″ (1280×800 pixels), gravador de DVD (+-R/RW), webcam de 1,3 megapixels, interface wireless Intel 3945A/B/G e um leitor de cartões SD/MMC/XD/Memory Stick. Um detalhe interessante é que a embalagem inclui duas baterias: uma para uso constante e a outra para backup, quando carregada.

Visualmente o W98 é muito atraente. A tampa é em branco brilhante, e o interior tem um acabamento perolado e mais fosco. A dobradiça do monitor, onde também ficam os alto-falantes, é coberta por uma grade metálica. A parte de baixo é em plástico cinza metalizado, e o teclado é cinza (o que é bom, encarde menos que branco). O gravador de DVD fica na lateral direita, junto com uma porta USB e as entradas/saí­das de áudio. í€ esquerda ficam a entrada para cartões PCMCIA, duas portas USB, uma porta FireWire, conector de rede, saí­da VGA e conector de força. Modem e saí­da S-Ví­deo ficam na traseira do aparelho, próximas í  bateria, e o leitor de cartões fica na frente da máquina, bem embaixo dos LEDs indicadores.

A máquina vem de fábrica com o Windows Vista Home Premium, mais o dicionário Aurélio e um trial de 30 Dias do Microsoft Office 2007 Home & Student. Mas o sistema que coloquei nela foi o Ubuntu 7.04 “Feisty Fawn”, instalado a partir de um CD oficial com todos os updates (180 MB) aplicados. A instalação em si foi bastante rápida, levou menos de 15 minutos.

Infelizmente o suporte ao hardware não foi tão bom quanto eu imaginava. A interface wireless funcionou de primeira: o Ubuntu detectou o chipset, ativou o gerenciador de drivers restritos e carregou o driver da Intel. Em questão de segundos, eu estava conectado í  minha rede sem fio. Já quanto ao ví­deo, precisei fazer ajustes. O chipset é um Intel 945GM, e para suportar a resolução nativa tive de instalar o utilitário 915resolution e alterar dois arquivos de configuração. No /etc/X11/xorg.conf tive de encontrar a seção que dizia:

Section "Device"
Identifier "Intel Corporation Mobile 915GM/GMS/910GML Express Graphics Controller"
Driver "i810"
BusID "PCI:0:2:0"
EndSection

E adicionar uma linha extra antes de EndSection. O resultado é:

Section "Device"
Identifier "Intel Corporation Mobile 915GM/GMS/910GML Express Graphics Controller"
Driver "i810"
BusID "PCI:0:2:0"
Option "ForceBIOS" "1280x1024=1280x800"
EndSection

Além disso, tive de modificar o arquivo /etc/default/915resolution e adicionar os seguintes parâmetros:

MODE=38
XRESO=1280
YRESO=800

Depois disso, bastou reiniciar o computador para o Xorg entrar na resolução correta de 1280×1024 pixels. O chipset é compatí­vel com o Compiz e seus efeitos especiais sem nenhuma configuração extra. Basta ir ao painel de controle em Sistema/Preferências/Efeitos no Desktop e ativar o recurso.

Apesar do layout um pouco fora do comum (as teclas / e ?, por exemplo, compartilham espaço com Q e W, e são acessadas com a combinação Alt+Letra), o teclado funcionou perfeitamente com o layout Brazilian. Fiquei surpreso de ver que até mesmo as teclas de função (como ajuste de volume, brilho do LCD, ligar/desligar wireless, troca de display, etc) já estavam pré-configuradas com suas respectivas funções. Até mesmo duas das três teclas especiais ao lado do botão de força funcionaram: a primeira abre o cliente de e-mail, a segunda o navegador.

O leitor de cartões funciona, mas no Linux lê apenas cartões SD. Isto de deve í  falta de suporte, no kernel, para os outros formatos. A webcam, uma eMPIA 2750, não é suportada por nenhum dos drivers disponí­veis, incluindo o pacote spca5xx/gspca.

O som (Intel HD Audio) funcionou de primeira, mas a saí­da de fone de ouvido estava “morta”. O problema pode ser corrigido com um novo driver, baixado do site da Realtek (que desenvolve o chipset), mas ele é distribuí­do apenas na forma de código-fonte para um módulo. Para usá-lo, é necessário instalar um pacote de ferramentas de desenvolvimento e compilar o módulo manualmente, tarefa nada fácil para quem não tem experiência com a linha de comando.

Por fim, o modem, um Motorola SM56, também não é suportado por padrão. Há um tutorial para sua configuração, no site da lista de discussão Dicas-L, mas para seguí­-lo é necessário, novamente, interagir com ferramentas de desenvolvimento e a linha de comando.

Resumindo a história, se você quer um notebook poderoso, com estilo e não tem medo de “fuçar” o sistema até tudo ficar a contendo, o W98 é a sua máquina. Mas se você quer o mí­nimo de intervenção, procure em outro canto. Pelo menos na versão atual do Ubuntu, fazer o W98 se entender com o pinguim dá um bocado de trabalho.

O Positivo W98 tem preço sugerido de R$ 3.499, muito bom para a configuração, na minha opinião. Mais informações no site do fabricante, em www.positivoinformatica.com.br.

ATUALIZAí‡íƒO: Atendendo a pedidos, está aqui o resultado de um lspci -vv na máquina, sob o Ubuntu 7.04

ATUALIZAí‡íƒO, 26/09/07: Atendendo a mais pedidos, segue um screenshot do IEW (3.0) da máquina no Windows Vista. Em breve, um review dela no Windows.

IEW do Positivo W98

Sobre o autor

Rafael Rigues

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos