ZTOP+ZUMO

Review: Lenovo ThinkPad T430u

Considerado o  primeiro Ultrabook mainstream da casa para o mercado corporativo, o Lenovo ThinkPad T430u é uma alternativa interessante — e até mais em conta — que o badalado X1 Carbon.

Intro e Outros:

Apresentado pela primeira vez durante a CES 2012, o Lenovo ThinkPad T430u é um dos primeiros Ultrabooks corporativos que impressionam mais pelo lado racional do que o emocional das pessoas.

Isso porque ao contrário dos ThinkPad X1 Hybrid (que nunca veio para o Brasil) e o seu sucessor — o X1 Carbon — que além de desempenho,o  T430 é um produto mais mainstream voltado para produtividade, durabilidade e desempenho — o que não significa que ele não tenha um certo charme pessoal, com um design elegante com um acabamento esmerado:

Medindo 34,0 x 2,1 x 23,6 cm (LxAxP — fechado) e 1,8 kg de peso, o ThinkPad T430u é um Ultrabook de segunda geração (codinome Chief River) cuja principal diferença em relação a geração anterior é o uso do atual processador Intel Core ix de terceira geração “Ivy Bridge” e a exigência de já incorporar as interfaces USB 3.0 e/ou Thunderbolt. Tivemos acesso a um modelo de avaliação (não final) baseado no modelo 3352-22U equipado com tela de 14″ processador Intel Core i5 3427U de 2,8Ghz, 6 GB RAM e 128GB de disco SSD.

Seu acabamento externo é o tradicional preto fosco sendo que sua tampa superior é feita de alumínio e sua base de policarbonato reforçado com fibra de vidro (GFRP), um material leve e resistente que, combinado com uma chassi interno de liga de metal passa uma sensação de qualidade e solidez na sua construção muito apreciada nesses modelos leves e finos.

T430U_fechado

De fato, fora a sua espessura notável…

T430U_espessura_aberto

… o T430u pode ser facilmente confundido com outros modelos da linha T atual, como o  ThinkPad T430 “padrão” e o ThinkPad T430s “slim”.

T430U_opened_flat2

Mas quão diferente são esses modelos?  Com a ajuda de nossos chapas lá na Lenovo Brasil, tivemos a oportunidade de comparar fisicamente esses três modelos: O T430u (acima à esquerda), o T430s (acima a direita) e o T430 (embaixo):

T430U_compared

Com apenas 2,1 cm de espessura, o T430u (em cima) é de fato bem mais fino que o T430 (embaixo).

T430U_compared_dir_TxU

Observe porém que essa economia de espaço foi conseguida por meio da eliminação de alguns recursos, em especial do gravador de DVD, a entrada para cartão ExpressCard…

T430U_compared_esq_TxU

… e até a trava de abertura da tela:

T430U_compared_frente_TxU

Note também que o T430 permite o uso de baterias de maior capacidade que podem saltar pela parte de trás do portátil. A cor amarela do conector USB (= powered) indica que pode ser usada para alimentar outros dispositivos móveis — como um smartphone — mesmo com o computador desligado.

T430U_compared_tras_TxU

Já com o T430s (embaixo) a diferença de espessura realmente existe, apesar dela não ser tão grande quanto no T430. Note que o T430s tem um perfil na forma de cunha (ou frente rebaixada)…

T430U_compared_esq_SxU

… o que pode passar a impressão de que ele (embaixo) é mais fino do que realmente é. Curiosamente, o T430u não tira proveito desse recurso muito explorado pela concorrência em alguns modelos.

T430U_compared_frente_SxU

Um dos motivos para o T430s ser mais alto que o T430u é que ele ainda incorpora um gravador de DVD.

T430U_compared_dir_SxU

Outra maneira encontrada pelo T430s para contornar a falta de espaço foi reposicionar diversas das suas portas de comunicação para a parte de trás, abrindo assim mão da possibilidade de usar baterias de maior capacidade.

T430U_compared_tras_SxU

Assim podemos que cada modelo atende a uma necessidade específica, sendo que o T430 ainda é a melhor opção em termos de versatilidade e produtividade enquanto que o novo T430u seria mais indicado para aqueles que valorizam acima de tudo a mobilidade. Sob esse ponto de vista, o T430s seria um meio termo entre essas duas soluções mas que, por causa disso (e por ser importado), pode chegar a custar até mais caro que a versão Ultrabook.

Isso a primeira vista pode até parecer estranho, mas isso é porque ainda paira no ar a impressão inicial de que Ultrabook é sinônimo de modelos topo de linha obscenamente caros — o que não precisa ser o caso. Prova disso é a própria linha IdeaPad S400u que chega ao nosso mercado com preços na faixa de R$ 1.900 ~R$ 2.100.

Entradas e saídas:

Como dissemos anteriormente, o gabinete do T430u não adota o estilo “cunha” preferindo linhas mais retas com exceção da sua frente levemente curva, feita deste modo para melhorar a sua pegada quando o carregamos na mão como se fosse um livro ou pasta.

T430_T430u_interfaces

Na lateral esquerda podemos ver o slot para trava anti-furto padrão Kensington e saída de ar do portátil…

T430U_interfaces_esq1

… e mais à direita um slot para cartão de memória Fash padrão SD, SDHC, MMC e SDXC (uia!)

T430U_interfaces_esq2

No lado direito temos as saída de som combinada com microfone, duas portas USB 3.0, uma porta de rede Gigabit Ethernet e a entrada da fonte de tomada…

T430U_interfaces_dir

… que ainda segue o tradicional padrão cilíndrico está entre nós desde 2006 — época da chegada do T60/X60 — que pode ser facilmente identificado pela sua cor cinza e a ponta na cor amarela. Existem indícios que esse plug será gradualmente substituído por um novo padrão de desenho retangular, mas este será retro-compatível com o seu antecessor por meio de adaptadores comercializados pela própria Lenovo. Mais sobre isso aqui.

T430U_power_conn1

Interessante notar que existe um pequeno LED indicador de carga ao lado da entrada de energia.

T430U_power_conn2

Na parte de trás do T430u podemos ver um conector Mini DisplayPort:

T430U_interfaces_back1

Mais ao centro, uma porta HDMI padrão e um pequeno compartimento…

T430U_interfaces_back2

… que abriga um slot para cartão SIM de celular nos modelos equipados com modem 3G:

T430U_interfaces_back2a

E no canto direito fica a entrada de ar (fresco) do portátil.

T430U_interfaces_back3

Tela e Teclado:

Seguindo uma tendência iniciada com o ThinkPad Edge de 2011, a área de trabalho do T430U é bastante simples, acessível e descomplicada. Longe vai o tempo dos botões de atalho, LEDs azuis e indicadores luminosos que mais pareciam decoração de natal.

T430U_overall

Sua tela é do tipo LCD/LED de 14″ de 200 nits e 1.366 x 768 pontos, resolução meio baixa para meu gosto mas que é amplamente adotada pelo mercado. Curiosamente, todos os ThinkPad X1 Carbon saem de fábrica com tela de 14″ de 1.600 x 900 pixels e que também equipa algumas versões do  T430/T430u mais topo de linha. Seu acabamento é do tipo anti-reflexivo, ainda o preferido no mundo dos negócios.

T430U_tela

A tela se fixa à base por meio de uma articulação de metal sem pintura. Mais do que uma solução estética, a idéia por trás disso é de reforçar a mensagem de solidez na construção dos ThinkPads.

T430U_dobradica

Outro toque de requinte que já vimos em alguns modelos do passado é a iluminação do ponto vermelho do “i” do logotipo do ThinkPad tanto na tampa do portátil…

T430U_tela_red_dot

… quanto no canto do teclado. Note que essa luz também faz o papel de indicador de estado do sistema ou seja, quando ele estiver aceso/apagado ele indica que o PC está ligado/desligado. E quando ele estiver piscando rapidamente ele informa que o sistema está entrando no modo de dormência e a piscada lenta diz que ele está hibernando.

T430U_reddot_teclado

A espessura total da tela LCD é de apenas 6 mm.  Note que, ao contrário dos concorrentes, a Lenovo não tira proveitos de bordas finas ou qualquer outro subterfúgio que passe a impressão de que o portátil é mais fino do que realmente é.

T430U_tela_espessura

Um dos pontos de destaque do T430u é seu suporte para videoconferência, vindo equipado com uma webcam com resolução HD (720p) e um array de microfones que ajudam a melhorar a qualidade da captação do som filtrando os ruídos do ambiente, podendo até ser programado para priorizar a captura da voz de uma ou de várias pessoas. Some se a tudo isso o sistema de som Dolby e temos um sistema bastante elaborado para videoconferências ou fazer ligações de VoIP com o Skype.

T430U_webcam

Para a nossa surpresa, o T430u ainda vem equipado com o ThinkLight…

T430U_Thinklight_off

… um curioso sistema que utiliza a luz de um LED branco para iluminar o teclado.

T430U_Thinklight_on

Se comparado com os atuais teclados retroiluminados — incluindo o usado no X1 — o Thinklight não é uma solução mais eficiente ou de melhor desempenho, mas acredito que a Lenovo continua a usar essa solução devido a sua simplicidade, menor custo e até menor consumo de energia. E cá entre nós, antes isso do que nenhuma iluminação, né?

T430U_Thinklight_teclado

O teclado em si segue o atual desenho Accutype com suas teclas isoladas e levemente curvas (= smile keys), o que resulta no teclado mais macio e confortável do mercado, por sinal uma marca registrada dos ThinkPads. O modelo que recebemos para testes ainda era um modelo preliminar com teclado padrão US-Internacional, mas a versão comercializada por aqui já vem com layout padrão ABNT-2 nacional.

T430U_teclado

Existe toda uma ciência por trás do desenho desse teclado que vai do maior espaçamento na parte de cima da teclas — para evitar que o usuário pressione mais de uma tecla ao mesmo tempo — até o formato levemente côncavo das teclas, o que faz com que os dedos tenham a tendência de pressionar o centro das mesmas, aumentando ainda mais a sua precisão.

T430U_accutype

Um detalhe que nos chamou a atenção é que a tecla de Função  (Fn) deixou de ser ser da cor azul claro, passando agora para um tom de cinza que…

T430U_Fn1

…apesar de sóbrio e até combinar com o estilo monocromático do sistema, reduz o contraste entre os ícones em cinza e o fundo preto, o que pode dificultar o seu uso em locais mal-iluminados. Curiosamente, ao contrário dos modelos de consumo, as teclas de função continuam a seguir o padrão tradicional que dá preferência para os comandos F1~F12.

T430U_Fn2

E falando sobre teclas de função, alguns podem ter notado que nesse novo layout foram eliminadas algumas que não tinham uma utilidade clara (caso do [SysReq]) e outras que ainda serviam para algo como o [Pause].

T430U_special_keys

A boa notícia é que apesar da Lenovo ter eliminado essas teclas, as suas funções ainda podem ser acessadas por meio de combinações de tecla. A saber:

[Fn] + [B] — Tem a mesma função da tecla [Break] num teclado convencional.

[Fn] + [P] — Tem a mesma função da tecla [Pause] num teclado convencional.

[Fn] + [S] — Tem a mesma função da tecla [Sys Req] num teclado convencional.

[Fn] + [K] — Tem a mesma função da tecla [Scroll Lock] num teclado convencional.

E o [Print Screen]? Bom, ele foi para o canto inferior do teclado,  se escondendo entre as teclas [Alt-gr] e [Ctrl].

T430U_printScreen

Já a tecla de liga/desliga com seu tradicional ponto branco foi para o canto superior direito, logo acima do teclado. Note a direita do mesmo uma pequena luz indicadora de acesso ao disco rígido (yaaay!) um recurso que anda meio em desuso entre os modelos mais estilosos/moderninhos, mas que aparentemente continua em alta entre os usuários corporativos.

T430U_Liga_HD

Na borda direita numa posição bem discreta fica o sensor biométrico (opcional) que incorpora um recurso super bacana que é a capacidade de ligar o portátil e autenticar o seu acesso ao Windows com apenas uma passada de dedo no sensor (uia!). Para isso, o sensor fica sempre ativado esperando por essa ação, o que agiliza em muito o acesso e uso do sistema no menor tempo possível — simples, prático e genial.

T430U_sensor_biometrico

Já o sistema UltraNav incorpora o tradicional Trackpoint com um touchpad sem botões. Reza a lenda que a textura de bolinhas em relevo deste último foi inspirado no piso tátil (ou mais exatamente no piso tátil de alerta) que ajuda as pessoas com deficiências visuais a caminhar nas calçadas poe meio de marcas em relevo no chão.

T430U_Ultranav

A direita do touchpad vemos  os selos de indicação do processador, do Windows 7 (que agora deve ser trocado pelo do Windows 8) e o Lenovo Experience 3 uma tecnologia de otimização de hardware e software que permite acelerar o processo de boot do sistema em até 40%.

T430U_selos

Por dentro do Hardware:

Como é comum nos Ultrabooks a parte de baixo do T430u é limpa e sem nenhuma conexão adicional para docking stations e coisas do tipo.

T430U_bottom_closed

A grande surpresa é que ao soltar a trava abaixo…

T430U_bottom_closed2a

… é possível remover a tampa de protege sua base, revelando assim todo o seu interior.  Note o grande chassi (ou placa) de metal onde se fixam a  placa-mãe e os outros componentes do sistema e que garante a rigidez estrutural do portátil. Note que, por causa disso, alguns componentes que costumam vir encaixados em outros modelos (como a bateria e o disco) são fixados a essa base por meio de parafusos, o que foge um pouco do conceito de sistema Toolless.

T430U_bottom_opened

Assim, depois de desconectar o plug abaixo e soltar alguns parafusos…

T430U_battery1

… é possível remover a sua bateria interna.

T430U_battery1a

Trata-se de um modelo prismático de três células de lítio-polímero de 11,1 volts x 4,22 Ah…

T430U_battery2a

… Part Number 45N1089. Segundo a Lenovo a autonomia estimada dessa bateria é de aproximadamente 7 horas.

T430U_battery_specs

No canto oposto fica a sua unidade de disco SSD de 2,5″ de 128 GB com SATA 3.0 …

T430U_SSD_remove

modelo MZ7PC128HAFU produzido pela Samsung, que fica montado dentro de uma gaiola para discos de 2,5 mm x 7 mm de espessura.

T430U_SSD_Samsung

T430u_HDTune_Info

Para ter acesso aos outros componentes, é preciso remover e desconectar o teclado:

T430U_top_opened

Note que boa parte da placa-mãe fica protegida sob uma segunda placa de metal com diversas janelas que dão acesso as memórias e mini-placas de expansão. Algo como “você só pode mexer nisso, ok?”

T430U_top_opened2

Daqui temos fácil acesso aos dois slots para pentes de memória DDR3 de 1.600 MHz. No nosso caso, ele veio equipado com dois pentes: o original de 4 GB e um adicional de 2 GB, totalizando 6 GB de RAM.

T430U_SODIMM2

A direita, vemos o cartão Wireless WAN padrão PCIe mini 2 x1. no nosso caso um Sierra Wireless MC8355 – Gobi 3000 um modem 3G/HSPA+ de 21 Mbp que trabalha com as frequências de HSPA 850/1900/2100 MHz e EDGE/GPRS/GSM de 850/900/1800/1900 MHz.

T430U_3G_Modem

Como testamos uma versão preliminar do T430u não temos certeza se esse componente será oferecido aqui no Brasil (opcional talvez?). Observamos que esse cartão pode ser substituído por um segundo disco SSD de baixa capacidade (24~32 GB) que pode funcionar como um cache de disco para acelerar o acesso aos dados de um disco convencional (tecnologia Intel Rapid Storage).

Já a interface Wi-Fi é um é um Intel Centro Wireless-N 2230 padrão PCIe 1 x 1 compatível com os padrões 802.11 b/g/n:

T430U_wifi_card

Em uma outra abertura, temos acesso a sua bateria de backup da BIOS.

T430U_backup_batt

Suporte de Software:

Apesar de todo o oba-oba em cima do Windows 8 , a versão analisada ainda veio equipado com o Windows 7 de 64 bits. Isso pode parecer estranho mas tem sua lógica já que o seu público alvo — o mercado corporativo — costuma ser mais conservador na adoção de novas tecnologias, em especial na adoção de um novo sistema operacional.

T430u_Windows

De fato nas negociações de licenças com grandes empresas a Microsoft costuma incluir uma opção de “downgrade” ou seja, a autorização do uso de uma versão anterior da atual, o que permite que o dono da licença migre para o novo SO só quando decidir que é a hora.

Ao contrário do portáteis voltados para o varejo, o T430u não vem com muitas aplicações/demos/ofertas pré-instaladas. Destaque apenas para as tecnologias ThinkVantage um conjunto de utilitários voltados para otimizar o sistema e reduzir o seu TCO.

Sob Testes:

Como dissemos anteriormente, a versão que recebemos para testes foi um modelo de avaliação baseado no sub-modelo 3352-22U equipado com um processador Intel Core i5 com Intel HD Graphics, 6 GB de RAM, disco SSD de 128 GB, tela de 14″, Wi-Fi 802.11n, Bluetooth 4.0, porta de rede Gigabit Ethernet, chip de segurança TPM 1.2, leitor biométrico, bateria de três células e Windows 7 Pro de 64 bits.

T430u_speecy

O modelo analisado veio equipado com um processador Intel Core i5 3427U — um chip “Ultra” de baixo consumo (apenas 17 watts) baseado no Core ix de terceira geração (Ivy Bridge) de 22 nm equipado com dois núcleos de processamento com HT (= quatro threads)  que rodam a 1,8 GHz  ou até 2,8 GHz no modo turbo e 3 MB de cache.

T430u_CPUZ

Sua aceleradora gráfica integrada é um Intel HD 4000 uma versão bem melhor e mais performática que o HD 2500 oferecido em algumas versões do Ivy Bridge. Se comparado com o HD 3000 usado no Sandy Bridge, a nova GPU é compatível com DirectX 11 e DirectCompute 5.0.

T430u_GPUZ

Aqui podemos ver o seu nível de compatibilidade com os diversos decodificadores de vídeo acelerados por hardware (via DXVA):

T430u_DXVA_Checker

No Índice de Experiência do Windows, cuja escala de desempenho vai de 1,0 até 7,9 pontos, o T430u bateu 6,4 pontos, o que é um excelente resultado para um portátil voltado para produtividade. Note o desempenho do disco SSD da Samsung que bateu no teto da escala com 7,9 pontos.

T430u_Winexp

Já no Sysmark 2012,  um programa que avalia o desempenho de um PC a partir de diversos aplicativos de mercado — nosso sistema bateu 120 pontos, um resultado 20% acima do que a BAPCO consider um bom sistema (= 100 pontos).

T430u_sysmark2012

Esse bom desempenho também pode ser visto no PCMark Vantage de 32 bits — 12.292 pontos:

T430u_PCMarkVant_32

E na versão de 64 bits — 13.052 pontos.

T430u_PCMarkVant_64

Já no PCMark 7 o sistema bateu 4.460 pontos no modo oficial e 4.391 pontos no modo Lightweight:

T430u_PCMarkVant_7

Para medir a capacidade de um sistema para processar e converter vídeos, utilizamos o DVDFlick 1.3.0.6, que cria uma imagem de disco de filme em DVD a partir de um arquivo de vídeo (no nosso caso, três vídeos combinados numa única imagem em ISO). Neste caso, o T430u levou 2h15m49s utilizando apenas um thread do processador e 1h45m34s com todos os quatro threads: um bom resultado se levarmos em consideração que um netbook com Atom leva algo em torno de 10 a 12 horas para realizar essa mesma tarefa.

E para converter filmes em DVD para um arquivo em AVI usamos o Freemake Video Converter, um utilitário gratuito que tira o máximo proveito do hardware (incluindo distribuir a carga de trabalho por diversos threads e passar tarefas para a GPU). Com esse programa foi possível converter nosso mesmo filme de referência em 1h24m15s.

Para analisar o desempenho gráfico da HD4000 usamos o 3DMark 11 em diversos cenários (que demandam mais ou menos da GPU) como no chamado modo Entry — onde medimos 1.222 pontos:

T430u_3DMark11_E

E 641 pontos no modo Performance:

T430u_3DMark11_P

Aqui os resultados com o Cinebench 11.5, um programa que avalia o desempenho do processador em OpenGL e a capacidade da CPU de trabalhar imagens no modo de multiprocessamento. Ele também pode ser executado no modo de 32 e 64 bits:

T430u_cinebench_32

Para medir o desempenho do disco SSD usamos o HD Tune Pro 4.01, novamente com resultados bem interessantes:

T430u_HDTune_Bench

T430u_HDTune_File

T430u_HDTune_Random

T430u_HDTune_Other

Para medir o desempenho da bateria, estamos deixando o bom e velho Battery “comedor de farinha” Eater em favor de uma ferramenta mais moderna, neste caso o MobileMark 2012 que permite a análise da descarga da bateria sob diversos cenários. Estamos aos poucos homologando essa ferramenta de modo que desta vez estamos publicando apenas o modo Office Productivity que simula a execução de tarefas de escritório, com direito até a pausas para o cafezinho:

T430u_Mobilemark2012_prod

Nossas conclusões:

No geral ficamos bastante impressionados com o desempenho do T430u que recebemos para testes, mas precisamos deixar claro que essa versão pode não ser aquela que será comercializada em nosso País. Fora isso, é comum no mercado corporativo que o cliente defina a configuração que melhor atenda as suas necessidades e a fabricante monte exatamente aquilo que foi pedido.

De fato recebemos recentemente a informação de que o modelo “padrão” que será comercializado por aqui virá equipado com um processador Intel Core i5 3317U um dual-core com HT de 1,7~2,6 GHz + 3 MB de cache),  4 GB de RAM e o disco SSD de 128 GB foi substituído por um disco convencional de 500 GB acelerado com um SSD de 32 GB PCIe mini (que funciona como um cache para o disco principal) que como dissemos antes, ocupa o slot do modem 3G.

Seu preço sugerido é de R$ 4.499 mas acreditamos que esse preço possa até melhorar dependendo da configuração/quantidade negociada e a medida que o T430u comece a ser montado no Brasil, como já e o T430.

A primeira vista esse preço pode parecer alto, mas se levarmos em consideração que um X1 Carbon está na faixa de R$ 6 a 8 mil achamos que o T430u é uma alternativa que atende muito bem ao seu público alvo: executivos de médio escalão, road warriors, profissionais liberais, engenheiros, educadores e acadêmicos em geral e até universitários interessados num Ultrabook discreto, resistente, confortável e sem muita frescura para ralar o dia inteiro na escola ou no trabalho.

E tenho dito!

(Esse post foi originalmente escrito e publicado por este Editor de Testes durante seu exílio no ZUMO.)

 

ztop-indica-novo-selo

Resumo: Lenovo ThinkPad T430u

O que é isso? ULtrabook de uso geral voltado para o mercado corporativo.
O que é legal? Excelente padrão de construção e acabamento, uso confortável, bom desempenho, fácil upgrade de memória/disco.
O que é imoral? A resolução da sua tela LCD poderia ser maior (mesmo se oferecido como opcional), ícones de funções da tecla na cor cinza tem leitura ruim. O ThinkLight é legal, mas não se compara aos novos teclados retroiluminados.
O que mais? Empresa oferece três anos de garantia on site (um para a bateria).
Avaliação: 8,5 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: A partir de R$ 4.499
Onde encontrar: www.lenovo.com.br

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.