ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Review: Lenovo ThinkCentre M90z

Com a proposta de oferecer uma solução do tipo tudo-em-um para o mercado corporativo, o ThinkCentre M90z traz o DNA dos ThinkPads para o mundo dos desktops, porém numa leitura bem diferente.

Anunciado em setembro do ano passado, o ThinkCentre M90z traz para o mercado corporativo o seu primeiro all-in-one um padrão de formato que a empresa já vem trabalhando já a algum tempo no mercado de consumo desde o Lenovo 3000 C300 (já analisado por esse Ztop). Interessante notar que a linha Interessante notar que linha o ThinkCentre M90 não é apenas um modelo de computador e sim uma linha completa de desktops corporativos (imagem abaixo) que vai dos desktops convencionais padrão ATX até os modelos compactos também chamados de SFF (Small Form Factor):

Se comparado com esse conceito de gabinete + monitor + teclado (que data do primeiro IBM PC de mil novecentos e antigamente) o M90z é um animal completamente diferente no sentido que tentar oferecer o máximo de funcionalidade ocupando o menor espaço físico possível. Como é tradição na empresa o sufixo “z” é usado para descrever produtos equipados com telas widescreen.

===

===

Medindo aproximadamente 56,0 × 44,3 x 11,6 cm (LxAxP) e 11,5 kg de peso, o M90z é um equipamento graaande no bom sentido, já que ele vem equipado com uma graaaande tela LCD/LED de 23″ com resolução nativa de 1.920 x 1.080 pixels o que permite reproduzir vídeos em Full HD sem ter que reescalar a imagem.

O modelo analisado (P/N 0800-A5P) veio equipado com um processador Intel Core i5 650, um modelo dual core com HT de 3,2~3,46 GHz e 4 MB de cache L2, 2 GB de SDRAM DDR3, 320 GB de disco rígido de 7.200 RPM SATA, gravador de DVD, porta de rede Intel Gigabit Ethernet, leitor de cartão de memória Flash, Bluetooth, WiFi 802.11n, Webcam de 2.0 MP e Windows 7 Professional 32 pré-instalado. O sistema é construído ao redor do chipset Intel Q57. Por se tratar de um equipamento voltado para o mercado corporativo, dependendo da quantidade negociada o M90z pode ser fabricada sob medida (Build to Order) de acordo com o desejo do cliente podendo receber diversas opções de processsadores (de um Pentium G6950 até um Core i5 670), memórias, discos e alguns opcionais que não são oferecidos como acessórios.

Também com foco no mercado corporativo, o M90z incorpora a tecnologia Intel vPro que oferece sofisticadas ferramentas de segurança e gerenciamento remoto que facilitam em muito a administração de grande parque de máquinas. Como é comum nos modelos corporativos da casa, o M90z também conta com um chip TPM que gerencia chaves de segurança/criptografia por hardware e que trabalha em conjuto com o chamado ThinkVantage Client Security Solution. Já o Lenovo Enhanced Experience é uma tecnologia/certificação criada pela empresa em parceria com a Microsoft para otimizar o funcionamento do Windows 7 em seus novos equipamentos. Ela afirma por exemplo, que seus equipamentos iniciem até 33% mais velozmente e desligem 50% mais rápido, se comparado com um modelo similar sem essa certificação.

 

O processo de instalação do M90z não poderia der mais simples: basta retirá-lo da embalagem, colocá-lo na mesa de trabalho, ligar o mouse, teclado e o cabo de rede, ligar o equipamento na tomada e só. Observe que se o usuário optar por usar um teclado sem fio e se conectar com sua rede local via Wi-Fi (que já vem no M90z) o único cabo a ser ligado é aquele que vai para a tomada.

Felizmente, os designers da Lenovo colocaram um ressalto na parte de trás desse PC o que facilita em muito o seu manejo e transporte, já que o M90z com seus 11,5 kg não pode ser considerado um equipamento leve.

O modelo analisado veio equipado com um teclado (ABNT-2) e mouse óptico padrão da empresa ambos com porta USB. Se o usuário não gostar muito de fios a empresa oferece um simpático kit de teclado + mouse sem fio (P/N 57Y4705) que se comunica com o PC via um pequeno adaptador USB e que pode ser adquirido como acessório.

Outro grande atrativo dos all-in-one está na  economia de espaço principalmente no que se refere à profundidade. Como é comum entre os modelos da casa, o M90z no seu modo padrão adota o sistema “porta retrato” com a tela sustentada por uma sólida armação de aço e apoiada um supore metálico igualmente robusto que também controla a inclinação da tela.

Opcionalmente o usuário pode utilizar outros tipos de bases oferecidas pela empresa como opcionais e que também estão disponíveis aqui no Brasil.

Isso é possível porque o suporte traseiro pode ser facilmente removido, bastando para isso apenas remover os parafusos da sua base. Note que esses pontos de fixação seguem o padrão VESA de modo que é possível utilizar qualquer suporte, base, acessório que siga esse padrão.

E para aqueles que se sentirem incomodados com a presença do suporte da base, ele também pode ser removida sem bastando desparafusar a mesma da estrutura do sistema:

 

Um recurso muito interessante do M90z é que ele é um dos poucos All-in-one (se não for o único) a vir com uma entrada de vídeo VGA-IN o que permite usar esse PC como um monitor convencional, o que pode ser algo muito legal para os usuários de notebooks que de vez em quando precisam de uma tela maior:

Para fazer isso basta usar um cabo de vídeo SVGA (S-Sub de 15 pinos) e ligar a saída de vídeo no notebook na entrada de vídeo do M90z e pressionar no ícone luminoso abaixo:

Interessante notar que os comandos acima só aparecem na borda inferior da tela quando tocada e comandam os recursos da tela LCD como se ela fosse uma unidade independente com direito a telinha OSD e tudo:

 

Interessante notar que esse painel luminoso também pode ser usado para desligar os alto-falantes (primeiro à partir da esquerda) e indicar o estado da interface wi-fi, Bluettoth e do acesso ao disco (três primeiros à partir da direita) :

Outro recurso muito interessante presente no M90z é sua Webcam de 2 MP equipada com uma cortina de privacidade ou seja, caso o usuário não queira mostrar sua cara numa videoconferência ou tenha receio que sua câmera seja hackedada e alguém comece a monitorá-lo sem você saber, basta deslizar um ressalto localizado logo acima da câmera para a direita…

… que a portinha da lente se fecha mostrando um ponto vermelho informando que a câmera está indisponível. Simples e genial.

Mas como não podia deixar de ser, o grande destaque desse equipamento é o fato da tela LCD do M90z ser sensível ao toque, de modo que além do teclado e mouse, o usuário pode executar alguns comandos diretamente na tela.

Assim como os Smart Touch da HP a tela do M90z utiliza um sistema de sensores infravermelho montados ao redor da tela LCD que conseguem monitorar a posição e o movimento de qualquer objeto que toque na tela. Se comparado com outras tecnologias o sistema infravermelho apresenta duas vantagens: a primeira é que ao contrário do sistema capacitivo a tela não sente apenas o toque do dedo em sim de outros objetos como um stylus, a ponta de borracha de um lápis, etc. Fora isso como esse sistema dispensa o uso de uma camada resistiva sobre a tela, esta pode usar uma camada de material mais resistente à riscos — no nosso caso, vidro — o que aumenta a durabilidade e a boa aparência da tela. Ah sim, além de comandos de apontar, clicar, selecionar e executar essa tela também aceita comandos multitoque.

Para tirar proveito dessa tela, a Lenovo inclui no seu pacote de softwares pré-instalados o SimpleTap um utilitário que ao ser invocado dá acesso á um painel de comando com diversos ícones na forma de botões mais adequados para receber comandos de toque…

… além de alguns comandos padrão como ajustes de som, chamar a webcam, trancar o PC e colocá-lo no modo de hibernação, é possível adicionar novos botões e usá-los com atalho de programas.

Como é comum nesse tipo de equipamento, o gravador de DVD do M90z (que por sinal é do mesmo tipo usado em notebooks) fica montado na vertical no lado direito do all-in-one.

E como achar o botão que abre a gavetinha? No nosso caso os projetistas da Lenovo tiveram a brilhante idéia de colocar um ressalto na moldura de modo que o usuário só precisa por a mão na parte de trás da borda e e quado um dos dedos encaixar nesse espaço, basta esticá-lo para tocar o botão desejado. Novamente: simples e prático.

Logo abaixo do gravador de DVD vemos o leitor de cartão SD/MMC, duas portas de som e duas USB 2.0

Os conectores restantes ficam na parte de tras: (à partir da esquerda) a porta de rede Gigabit Ethernet, quatro USB 2.0, saída de vídeo DisplayPort (com suporte para até dois monitores externos via adaptador opcional) e a VGA IN.

Do lado oposto temos o slot para trava de segurança padrão Kensington, entrada de força e duas entradas opcionais que podem ser equipadas com duas portas PS/2 para mouse e teclado e porta serial. Observe porém que essas duas últimas opções só podem ser instaladas durante o processo de fabricação pelo sistema Build To Order, de modo que eles não são oferecidos como opcionais nem podem ser instalados posteriormente pelo usuário.

Seguindo a tradição dos ThinkPads e ThinkCentres o gabinete do M90z é do tipo tool-less ou seja, ele pode ser aberto sem o uso de ferramentas. Esse é o primeiro all-in-one que vemos que oferece esse recurso, e como é padrão da Lenovo, o usuário tem permissão de abrir o gabinete sem perder a garantia do produto o que nesse caso é de 3 anos com suporte on-site (para distâncias de até 100 km da assistência técnica mais próxima).

Interessante notar que quando movimentamos a trava da esquerda uma lingueta metálica deslizou para dentro do slot da trava Kensington. Isso mostra que, caso esse espaço estivesse ocupado por essa trava de segurança não seria possível mover o botão esquerdo impedindo assim que tivéssemos acesso ao interior do M90z.

Com as travas livres, basta empurrar a tampa traseira para cima que a mema se abre como uma caixa. Observe o generoso uso de metal tanto na sua estrutura interna quanto na parte de dentro da tampa o que garante um padrão de construção bastante sólido e bom isolamento contra radiações eletromagéticas.

Para um equipamento que visa a economia de espaço, o interior do M90z até que é bem organizado, o que permite um fácil acesso aos seus diversos componentes internos sendo que alguns deles podem ser até removidos sem o uso de ferramentas.

 

Interessante notar que sua placa-mãe ocupa apenas um terço da área disponível no computador e mistura componentes de desktop e notebooks. Apesar dos esforços da Intel de tentar adaptar o padrão ATX para os PCs  all-in-one, o modelo da Lenovo adota uma placa de desenho proprietário:

No canto superior direito encontra-se a placa que controla o sistema de touchscreen da tela.

Como já vimos em outros all-in-one, o M90z utiliza pentes de memória SO-DIMM DDR3 do mesmo tipo usado em notebooks. A boa notícia é que o sistema conta com dois slots o que permite instalar (na teoria) até 10 GB de RAM DDR3 PC3-8500 (1.066 MHz) ou PC3-10600 (1.333MHz).

No nosso caso, o sistema veio equipado com apenas um pente de 2 GB DDR3 de 1.333 MHz com espaço livre para adicionar mais memória.

Ao lado do banco de memória RAM podemos ver o slot PCIe Mini para a placa de rede Wi-Fi que pode receber tanto o modelo padrão de 5,09 mm quanto de meia altura de 26,8 mm. No nosso caso o sistema veio equipado com uma plaquinha Intel WiFi Link 1000 (112BNHMW). Note a presença de um cabinho de antena não usado que mostra que esse equipamento está preparado para receber placas Wi-Fi com suporte para MIMO.

Note a presença do suporte para a bateria CR2032, a mesma usada nos desktops.

Ao lado do suporte da bateria notamos a presença de um espaço vago que segundo o diagrama acima pode ser usado para receber um slot para cartão ExpressCard que pode estar presente ou não de acordo com modelo.

No lado oposto do M90z concentam-se as unidades de armazenamento de dados. Como dissemos antes, a unidade de disco óptico é do mesmo tipo usado em notebooks. Para retirá-lo, basta puxar a trava azul para cima que o leitor é ejetado.

O modelo que veio para testes é um gravador de DVD  da Hitachi-LG modelo HL GT30 (P/N 45K0433) com porta SATA.

Já o disco rígido é o bom e velho modelo de 3,5″ com porta SATA que apesar do oba-oba em cima dos SSDs ainda é o sistema de armazenamento que ainda oferece a melhor relação de custo x capacidade de armazenameto. Assim como os desktops da casa, o disco vem instalado numa espécie de berço (que absorve leves vibrações) que se encaixa na estrutura do computador. Para removê-la basta soltar sua alça/trava metálica e puxar o disco para fora.

O modelo que acompanhou nosso modelo é um WD Caviar Blue WD3200AAJS de 320 GB, mais indicado para uso geral/computação do dia a dia.

A fonte do M90z é um modelo PS-2151-VA de 150 watts (máximo) produzido pela Lite-On. Alguns entusiastas podem até torcer o nariz para uma fonte de “apenas” 150 watts mas é preciso entender que essa fonte foi feita sob medida para atender às necessidades do M90z sem mais nem menos já que, ao contrário dos desktops cujas fontes precisam ter uma reserva de potência para não abrir o bico caso seu dono decida instalar itens adicionais como um disco extra ou uma placa de vídeo mais fominha o que não é o caso do all-in-one da Lenovo.

E no nosso caso, uma fonte mais otimizada se traduz em um consumo de energia menor e mais eficiente, palavras que soam como música no ouvido dos administradores de sistemas. Fora isso essa fonte é cetificada com o selo 80 Plus Bronze que garante uma eficiência energética de 82~85% o que indica um componente de qualidade e boa procedência.

 

Finalmente o que parece ser uma aceleradora gráfica fixada na placa-mãe é na verdade o sistema de circulação de ar de resfriamento do processador.

Ao desencaixar capa de plástico preta, podemos ver um elaborado dissipador de calor de dois estágios que recebe o fluxo de ar da ventoinha principal que sopra o ar quente diretamente para fora do cabinete.

Interessante notar que ao remover esse ventilador podemos ver o chip set Intel Q57 montado sob um pequeno dissipador que dispersa seu calor graças ao fluxo de ar gerado pelo cooler do processador que coleta ar tanto por cima quanto por baixo.

Ao remover o dissipador de calor do processador pudemos notar que além de resfriar o processador ele também retira o calor dos reguladores de voltagem montados logo acima do soquete.

Interessante notar a presença de pequenas estruturas na forma de “pinos” no lado esquerdo desse componente, cuja função também é de fazer a troca de calor vindo de um segundo fluxo de ar…

… vindo do circulador de ar principal (uia!) que dá uma ajuda extra ao cooler do processador.

Finalmente ao remover o dissipador temos acesso ao soquete LGA 1156 …

Que no nosso caso abriga um processador Intel Core i5 650 segundo a empresa o M90z pode aceitar processadores Core i3/i5 com TDP de 73 watts.

O Core i5-650 “Clarkdale” de 32 nm é a opção mais “mainstream” oferecida pela Lenovo para o M90z já que acima dele a empresa oferece os Core i5-660 e i5-670 e abaixo dele os Core i3-530 e i3-540:

Sua aceleradora gráfica é uma Intel HD Graphics de 733 MHz mas que segundo o GPU-Z no nosso caso ele está rodando a 745 MHz.

Sob testes:

Nos testes realizadoso M90z bateu 4,3 pontos no índice de Experiência do Windows o que segundo a métrica da Microsoft permita que esse produto tire pleno proveito do Windows 7 o que inclui a execução de algunas tarefas de processamento intensivo como processamento de áudio e vídeo.

Isso também pode ser visto nos testes de HDxPRT onde o M90z bateu 169 pontos nos testes de criação de conteúdo — o que pode ser um desempenho dentro da média de um desktop com Core i5, mas bateu a pontuação máxima em reprodução de conteúdo HD. Nada mal para uma máquina mainstream.

Em outros testes, o all-in-one da Lenovo bateu  177 pontos no Sysmark 2007 Preview 1.05 6.261 pontos no PCMark Vantage . Para criar uma imagem de DVD a partir de um conjunto de arquivos de vídeo com o DVDFlick 1.3.0.6 o M90z levou de 2h29m17s utilizando um thread e 1h59m15s com quatro threads.

O teste com o Cinebench 11.5:

E o Super-Pi do David Lopes:

Esses números mostram que o M90z entrega o que promete ou seja, um equipamento de mesa voltado para o mercado corporativo e que por causa disso investe pesado em certas característisticas como otimização de espaço, baixo consumo, fácil gerenciamento e manutenção e o mais importante: boa capacidade de processamento e conforto de uso, o que contribui em muito na produtividade daqueles que passam longas horas na frente de PC. E eu garanto que uma tela de 23 polegadas full HD faz um grande bem para seus olhos.

Outra característica interessante do M90z como máquina de escritório é o fato dele já vir com Wi-Fi integrado, o que facilita em muito a vida daquelas empresas dinâmicas que vivem mudando as pessoas ou mesmo departamentos inteiros de lugar, já que ao invés na dependência da infraestrutura da rede cabeada para mudar uma mesa/funcionário de lugar, basta levar o M90z para o novo local, ligá-lo na tomada ele já está pronto para entrar em funcionamento.

Acredito que o único porém desse equipamento é o fato dele vir equipado com uma aceleradora gráfica integrada da Intel que apesar de atender bem as demandas do mundo corporativo e até na reprodução de vídeos em HD, sua GPU não é das melhores para aplicações em 3D o que pode afastar os jogadores mais entusiasmados. Mas novamente eu afirmo: este público não é o foco do M90z. E no caso dos profissionais das áreas de vídeo, engenharia, finanças e aplicações científicas, acredito que eles seriam melhor atendidos por uma workstation como a linha ThinkStation da própria Lenovo.

Com relação a tela sensível ao toque eu reconheço que fiquei muito impressionado com a qualidade do seu acabamento, boa resposta e em especial pelo fato dele funcionar bem tanto com os dedos quanto qualquer outros dispositivo apontador. A questão que precisa ser levantada nesse caso é saber o que fazer com essa tecnologia e a resposta nem sempre estará na cabeça da Lenovo e sim nos desenvolvedores de software que poderão criar aplicações mirabolantes à partir dessa nova tecnologia como terminais de consulta, sistemas médicos e de monitoramento de pacientes, programas didáticos, etc. Interessante comentar um relato feito pelo pessoal da Lenovo Brasil de que mesmo sem o suported de algum software específico, alguns usuários do M90z passaram naturalmente a usar alguns recursos de toque na tela como selecionar um objeto e arrastá-lo para uma pasta, girar e/ou expandir uma imagem com os dedos e coisas do tipo. Quando perguntados por que eles faziam isso a resposta era que fazer alumas coisas com as mãos diretamente na tela era algo mais natural, intuitivo e rápido do que usar o mouse ou seja, a tela touchscreen como complemento e não como substituto do mouse.

Sabe que eu nunca pensei nisso?


Resumo: Lenovo ThinkCentre M90z

O que é isso? Desktop de uso geral voltado para o mercado corporativo.
O que é legal?
Excelente padrão de construção e acabamento. Rico em recursos. Imensa tela LCD de 23″ Full HD sensível ao toque.
O que é imoral? Desempenho modesto em 3D. Não oferece tecnologias muito novas como USB 3.0 ou SATA 600. 
O que mais?
Oferece 3 anos de garantia on-site (dentro de certas condições).
Avaliação:
8,5 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido:
A partir de R$ 2.877,06
Onde encontrar:
www.lenovo.com.br

Ainda em tempo:

Para aqueles que gostaram do all-in-one da Lenovo mas não vêem necessidade numa tela touchscreen ou recursos de segurança como o vPro, a empresa anunciou recentemente o ThinkCentre A70z um modelo mais simples e acessível especialmente voltado para o mercado de SMB.

Ele vem equipado com uma tela LCD de 19″ (sem touch screen) equipado com um processador Intel Core 2 Duo + chipset G41, até 8 GB DDR3 800 MHz, disco rígido SATA de 3,5″, gravador de DVD, seis portas USB, som, portas de rede Gigabit Ethernet, gráficos integrados Intel GMA X4500. Neste caso, a webcam, teclado sem fio e interface Wi-Fi são opcionais.

===

===

Inicialmente a Lenovo Brasil irá comercializar duas versões (ou Part Numbers — P/N): O mais avançado seria o 0401-B7B equipado com processador Intel Core 2 Duo E7500, 2GB de SDRAM, 320 GB  de disco rígido, , Intel GMA X4500, gravador de DVD, rede Intel Gigabit Ethernet, Wi-Fi 802.11bgn, Webcam e Windows 7 Professional 32. O modelos mais simples seria o 0401-H4B equipado com um Intel Core 2 Duo E5700.

 

 

 

O preço sugerido no Brasil começa à partir de R$ 1.605 e já pode ser encontrado no site da Lenovo.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Cesar Cardoso

    "Note que esses pontos de fixação seguem o padrão VESA"

    Ou seja, o M90z pode ser pendurado numa parede e ser usado, digamos, como um terminal interativo… interessante.

  • Sem entrar no mérito preço… hoje eu não compraria, mas somente pelo fato de ter adquirido cpu (com 4gb ram) e monitor 23 tudo novinho …

    Pelo conjunto da obra eu compraria hoje… mas aí eu esbarraria no preço, que, óbvio, é mais salgado, que o meu "kit".

    Porém meu "kit" não vem com tela touch, nem wi-fi, e ainda tenho a torre do lado da mesa…
    Vou esperar 6 meses e compro 😉 (assim espero hehehehe)

    aaaahhhhh na primeira parte do site da lenovo diz R$2,9mil, porém ao entrar salta pra R$3,4mil .. … .. .. . mistério!!!!

  • Rodrigo

    Como o "gabinete" pode ser aberto sem perda da garantia, a memoria é facilmente expandida. Pra mim, pra ficar perfeito só faltou mesmo um drive blu-ray pra tirar proveito dessa telona full HD. Esse drive está disponivel nas opções de configuração da le novo? ou por se tratar de um modelo para uso corporativo ele não aparece nem como opcional nas possibilidades de configurações?

  • Glauco

    Pelo preço que cobram por esses computadores All-In-One, deveriam vir com bateria, mesmo que só segurasse uns 20 mins., assim poderíamos dispensar os nobreaks.

    Por esse preço prefiro comprar Notebook, mesmo que seja para empresas.

    • mnagano

      Entonces…

      Com relação a bateria, eu me lembro que alguns modelos de All-in-one da Positivo podem usar uma bateria de note como opcional.

      Com relação a comprar notebook pra todo mundo do escritório, eu já conversei sobre isso com um executivo da Intel e ele me disse que essa idéia esbarra num problema legal/trabalhista já que se vc der um note para um funcionário — digamos um auxiliar de escritório — entende-se que ele poderia trabalhar com o note a qualquer hora e em qualquer lugar. Só que se ele fazer isso — principalmente fora das oito horas por dia/cinco dias por semana — ele na teoria ele estaria fazendo "hora extra" com direito a ser pago em dobro por isso ou seja, um prato cheio para um belo processo trabalhista ou encrenca com o sindicato.

      Assim os profissionais que usam notes da firma fora do escritório normalmente são profissionais de campo (como vendedores) ou funcionários de confiaça que tem horário mais flexível porém não recebem hora extra.

      Agora, se a idéia é dar um note para todo mundo e mandar que todos tranquem mesmo na gaveta no final do expediente, melhor ficar com o desktop e/ou all-in-one.

      • Abrivio

        Vantagens do note:

        1 – Reuniões.
        a) Vc liga o seu note no projetor e com seus arquivos e configurações mostra o que tem de mostrar. Rápido, sem amolação.
        b) Quando alguém fala alguma asneira, vc já abre o email corporativo ou sistema e rebate na hora.

        2 – Quando algum colega tem que te ensinar a fazer algo. Vc leva o seu note para a mesa dele. Ele trabalha e vc vai fazendo tb. Os dois estão trabalhando. Com desk, um dos dois está parado.

        Com exceção do pessoal carimbador de papel ou que precisam de monitores grandes, eu acho que notes são muito melhores que desks para escritórios.

      • Abrivio

        Sobre a questão trabalhista, o note é da empresa e não do funcionário. Deve ser expressamente proibido retirar o note da empresa, até porque, se ele for furtado, além da perda do equipamento, dados da empresa serão perdidos. Isso deve constar no código de ética, recebido com assinatura na contratação. Outras questões como uso do email corporativo, proibição de instalação de softwares, uso da internet… tb devem ser abordadas. Quem pisar na bola deve ser advertido por escrito. Três advertências, uma suspensão. Violação grave ou repetição de violações leves, justa causa. Simples assim.

  • Pingback: Review do Lenovo All-in-One ThinkCentre M90z Core i5 pelo ZUMO - Blog da MicroSafe - Para clientes. Para você.()

  • Pingback: Thinkcentre A70Z (0401) – Desktop – All-in-one – Pentium – E5500 – 2.8 Ghz – Ram » Thinkcentre » Lenovo Thinkpad X100e()

  • Marcelo

    Gostei bastante, ThinkPad em forma de All-in-one é outra coisa.
    Se possível, gostaria de saber qual o nível de ruído, incomoda?

    Tenho intenção de comprar, para uso em casa mesmo.

    Mas vou esperar eles atualizarem o processador pra segunda geração dos core i, pois com isso a teríamos uma VGA integrada mais interessante (HD3000).

  • Pingback: HP Z1: a primeira (e única) workstation tudo-em-um()