ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Review: Impressora de fotos FinePix IP-10

Para atender especificamente ao segmento de foto-identificação, a Fuji Film do Brasil lançou recentemente seu modelo FinePix IP-10, um equipamento de pequeno porte capaz de imprimir fotos de até 10 x 15 cm ou várias cópias menores nesse mesmo espaço. O resultado final são fotos de alta qualidade com o mesmo padrão de acabamento das fotos de minilabs. Este Zumo teve a oportunidade de analisar o produto e mostra a seguir “suas” impressões.

í€ primeira vista, a IP-10 não parece ser diferente de outras impressoras compactas que já vimos no mercado, como a Canon Selphy. Ela mede apenas 18,2 x 7,8 x 14,7 cm (LxAxP), tem 1 kg de peso e sua tecnologia de impressão é de sublimação de tinta – também conhecida como dye sublimation – que utiliza uma cabeça térmica que transferere (ou mais exatamente “vaporiza”) a tinta depositada numa fita de material gelatinoso (o chamado ribbon) sobre o papel apropriado.

Como apenas uma cor é aplicada por vez (CMYK), o papel entra e sai do equipamento três vezes para formar a imagem em cores e uma quarta para aplicar uma pelí­cula de proteção e acabamento. O resultado final é uma foto de acabamento brilhante e bastante resistente a maus tratos, como veremos adiante.

O equipamento tem duas entradas para cartões de memória do tipo xD Picture Card, SD/MMC, MS e CompactFlash com opção de conectar uma câmera ou mesmo um PC via portas USB disponí­veis na sua lateral. Fora isso, ela também dispõe de uma saí­da de ví­deo analógico que pode mostrar as mesmas informações apresentadas no seu pequeno LCD de 2,4″ numa tela de maiores dimensões.

Seu painel de controle é formado basicamente por um botão (í  esquerda) de imprimir rodeado por dois anéis que assumem as diversas funções de navegar entre as funções e confirmá-las. Apesar de contribuir para a economia de espaço, é preciso alguma atenção e prática para operar esse controle, já que não é difí­cil pressionar uma função pensando que é outra. A grande esfera í  direita não é um trackball e sim um sensor infravermelho para receber imagens. Ao pressioná-la também podemos ligar e desligar a impressora.

O público alvo desse produto fica evidente ao vermos seu menu principal (direita), quase todas voltadas para a impressão de fotos de identificação. Ao escolher a opção “ID PRINT” o sistema apresenta as diversas opções de tamanhos e impressões por folha. Feita a escolha, o programa permite ajustar manualmente a imagem no espaço da foto por meio de zoom e recorte, deixando para o final funções como filtros e ajuste de cor e imagem, recursos normalmente em destaque nos modelos de uso pessoal.

Sob esse ponto de vista, o sistema é tão profissional que até abre mão de recursos muito valorizados por amadores como redutor de olhos vermelhos ou firulas visuais como bordas decorativas.

Com relação aos suprimentos, a Fuji Film oferece kits com três cartuchos de tinta e 120 folhas 10×15 cm por 168 reais, o que dá algo em torno de 1,40 real por impressão.

Nos testes realizados, a FinePix IP-10 imprimiu uma foto em 10 x 15 cm diretamente de um cartão SD numa média de 1min30s e um lote de 10 imagens em 15min25s, tempo considerado dentro da média para um equipamento desse tipo.

Nos testes de maus-tratos, nós dobramos a foto em quatro partes e não notamos sinais de descascamento da tinta nas marcas de vinco (algo comum de acontecer em impressões desse tipo). Também pingamos algumas gotas de água e café sobre uma foto impressa (esquerda) e deixamos a mesma descansar por uma noite. No dia seguinte a gota d’ água havia evaporado e a marca de café foi removida com um cotonete ligeiramente úmido sem danificar a foto.

Como se trata de uma foto para documentos, ainda rabiscamos a mesma com uma caneta esferográfica e a tinta se fixou perfeitamente sobre a imagem. O mesmo não pode ser dito de uma marca de carimbo que não se fixou perfeitamente na mí­dia – mesmo deixando secar por vários dias – podendo ser facilmente removida (direita).

Levando tudo isso em consideração, minha conclusão é que a IP10 cumpre bem seu papel de ser uma impressora de foto-identificação e que faz muito bem o essencial, ou seja, imprime fotos de excelente qualidade e bastante resistentes, principalmente se compararmos com a tecnologia de jato de tinta. Esse equipamento pode ser até usado por usuários finais, mas a falta de recursos de efeitos especiais de imagem limitam um pouco o produto, principalmente se comparado com seus concorrentes como a Canon Selphy ou mesmo a PictureStation da Sony.

Nossa maior crí­tica em relação í  tecnologia de dye sublimation é sua considerável produção de “resí­duos” como aparas de fotos e cartuchos de tinta que são descartados depois de apenas algumas dezenas de impressões, materiais que acabam invariavelmente no lixo.

De qualquer modo, pelo preço sugerido de R$ 699, a IP-10 pode ser uma solução interessante para lojas de conveniência ou pequenos negócios que procuram uma solução simples e prática de fotos para documentos.

Resumo: FinePix IP-10
O que é isso?
– Impressora de fotos digitais para documentos.
O que é legal? – Operação simples, fotos resistentes e de excelente qualidade.
O que é imoral? – Poucos recursos criativos de edição e saí­da de impressão.
O que mais? – Apesar de voltada para aplicações comerciais, nada impede o seu uso pessoal.
Avaliação: 4,0 de 5,0
Preço sugerido: R$ 699.
Onde encontrar: 0800-28600 / www.fujifilm.com.br

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.