ZTOP+ZUMO

Review: Fujifilm Instax Share SP-1

Mini-impressora da Fuji combina os prazeres da fotografia instantânea com a comodidade da fotografia digital.

Recentemente, fizemos uma análise da câmera Instax WIDE 300 onde falamos muito sobre os grandes prazeres da fotografia instantânea, mas também sentimos um gostinho das dificuldades do que é fotografar com uma câmera analógica, principalmente no que se refere a estimarmos a distância correta, acertar o enquadramento sem cortar nada e obter a exposição ideal (não muito clara ou escura), etc.

E é claro que a cada erro cometido, o usuário literalmente “paga por isso” (e em dinheiro!) ou o pior, tentar-se convencer (e os outros) de que aquela foto estranha não é um registro fiel da realidade e sim uma obra de arte, uma visão metacrítica do seu “eu” interior, uma lomografia…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Isso significa que a fotografia analógica é a volta do inferno na terra? Não exatamente. O que acontecia no passado é que tirar uma ou outra foto ruim era um fato da vida, de modo que as pessoas tinham que aprender a seguir algumas regras básicas como tirar uma boa foto, adquirindo assim uma certa capacidade de prever como deveria ficar e tomar todos os cuidados para não perder aquele momento mágico nem o custo do filme e da revelação.

E é claro que as fotografias ruins iam direto para debaixo do colchão ou mesmo para o lixo!

Assim, para combinar a comodidade da fotografia digital com os prazeres das fotos instantâneas, a Fujifilm criou um produto bem bacana — a instax SHARE SP-1 — uma curiosa impressora compacta que imprime fotos digitais tiradas de um smartphone ou tablet direto sobre chapas de filme instantâneo (uia!) por meio de uma conexão Wi-Fi …

Instax_Share_overall

… cujo resultado final é praticamente o mesmo (ou até melhor) que as obtidas com as câmeras instax (uia! uia!)

Anunciada durante a CES de 2014, a instax SHARE não é exatamente uma novidade no nosso mercado, mas aproveitamos a oportunidade de testarmos a WIDE 300 para também pedir uma amostra desse produto para a Fuji, que prontamente enviou ambas para a Zumo-caverna.

O conteúdo da caixa é bem simples, formado apenas pela impressora, o manual de instruções em português e duas pilhas de lítio do tipo CR3 de 3 volts cada. Note que ela também não vem com cartucho “inicial” de filme, precisando ser adquirido à parte.

Segundo a fuji, a instax SHARE consome apenas 2,5 watts de energia de modo que a autonomia estimada dessas baterias é de aproximadamente 100 fotos ou dez cartuchos de filme instax.

Fora isso, a instax SHARE também pode ser ligada diretamente da tomada por meio de um adaptador modelo AC-5VX também compatível com as câmeras X10, X20 e XF1.

Como essa fonte tem saída de 5 volts x 2 amperes, é possível na teoria usar uma fonte de tablet/smartphone com porta USB, mas para isso seria necessário o uso de um adaptador ou cabo especial fornecido por um terceiro (embaixo), já que a entrada de energia da instax SHARE não é do tipo USB micro. Outra vantagem neste caso, é que também seria até possível usar uma daquelas bateria de emergência para smartphones com saída de 5 volts x 2A.

Instax_Share_USB_adapter

Entre os acessórios oficiais vendidos pela Fuji no Brasil estão bolsinhas de transporte, álbuns e caixas de metal para fotos.

A instax SHARE mede aproximadamente 10,2 x 12,2 × 4,2 cm (LxAxP) e pesa ~ 310 gramas com a bateria e o filme instalado. Seu gabinete em policarbonato tem um acabamento brilhante levemente perolado…

… com as laterais em um tom mais fosco. Note a entrada de energia ao centro e o botão de “Reprint” que reimprime a última imagem enviada para a impressora e que fica armazenada na sua memória interna. Para apagar a mesma, basta manter esse botão pressionado por aproximadamente 5 segundos.

A parte de trás é dominada por uma grande porta com trava que dá acesso ao compartimento do cartucho de filme…

… cujas fotos impressas saem por uma ranhura existente na parte de cima da impressora.

Já na base vemos algumas especificações do produto, como o seu número de série e o SSID da sua interface Wi-Fi (no nosso caso instax-00351825) e a esquerda temos a trava que libera a tampinha…

… que dá acesso ao compartimento das baterias:

Abrindo o compartimento do filme, dá para ver o mecanismo de impressão de instax SHARE que lembra muito um scanner de mesa…

Instax_Share_interno_1_Leg

… só que ao invés de captar uma imagem, essa cabeça móvel emite de sinais luminosos (segundo a Fuji usando tecnologia LCD) na forma de linhas que são registradas uma a uma pelo filme instax formando a imagem que depois será revelada quimicamente. Segundo a empresa, a resolução dessa impressora é de 254 ppp (ou 10 pontos/mm) com profundidade de 256 cores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Esse procedimento revela algo que não vemos nos vídeos de divulgação, ou seja, ao enviar uma foto para a impressora, ela primeiro passa a imagem para o filme instax e só depois o mesmo é ejetado por cima, passando pelos roletes que espalham a pasta reveladora no interior da chapa, iniciando assim o processo de revelação da imagem.

Só a impressão leva em torno de 16 segundos e depois de ejetada a foto ainda leva mais uns três minutos para a revelação química ser completada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Como muitos já devem saber, essa impressora utiliza o mesmo filme usado na instax Mini, que no Brasil é comercializado em embalagens com 20 chapas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

… divididas em dois cartuchos (ou film packs) com dez exposições cada. Com o preço sugerido em torno de R$ 60,00 calculamos que o custo por foto já revelada é de aproximadamente R$ 3,00.

O processo de instalação do filme é simples e direto: Basta soltar a trava que libera a tampa traseira, revelando assim o compartimento…

… onde colocamos o cartucho de filme, tomando o cuidado de alinhar o indicador amarelo do mesmo com o da câmera.

Feito isso, basta fechar o compartimento que tem início o processo de “inicialização” do filme…

… que nada mais é do que zerar o contador de chapas e ejetar a tampa frontal do cartucho expondo assim a primeira chapa para receber a foto.

Já o processo de recarga segue mais ou menos esse mesmo procedimento:

Ao ligarmos a impressora podemos notar a presença de uma grande barra luminosa que indica o estado de uso da impressora…

Instax_Share_LED_uso_leg1

… sendo quee na frente da mesma também podemos ver mais dois indicadores luminosos: o contador de fotos e o medidor de carga da bateria.

Instax_Share_medidores_leg1

No caso do contador, cada ponto de luz indica uma chapa/exposição restante no interior da impressora (por sinal o único meio de saber se existe ou não filme na máquina) o medidor da bateria tem o mesmo significado, ou seja, quanto mais pontos acesos maior a quantidade de energia disponível.

Aqui podemos ver a impressora em funcionamento. Note a barra de luz verde pisca, indicando que a foto está sendo impressa, que um dos pontos do contador se apaga após a foto ser ejetada (indicando uma chapa a menos na máquina) e o barulho que ela faz que é realmente muto parecido com a de um scanner digitalizando um documento:

Como já dissemos antes, a instax SHARE foi especificamente criada para interagir com dispositivos móveis como smartphones e tablets com Android (2.2.3 ou superior) ou iOS (5.1 ou superior) e, até algumas câmeras da casa equipadas com interface Wi-Fi como as Fuji X-T1, X100T, X30, X-M1, X-A2, X-A1, XQ2 e XQ1. Curiosamente (ou não) ela não oferece nenhum suporte para Windows Phone ou mesmo de desktops com Windows/Mac (boo!)

Assim para imprimir na instax SHARE é preciso instalar a App de mesmo nome disponível para download gratuito no Google Play e na loja do iTunes da Apple.

Para nós, o grande atrativo dessa App é que ela não se limita a pegar uma foto e mandá-la para a impressora. Ao invés disso ela oferece uma série de funções que aproveitam vem os recursos do dispositivo móvel, produzindo assim resultados até mais interessantes do que as obtidas com as câmeras instax.

Instax_Share_app_main

Por exemplo, é possível tirar uma foto direto da App — que por sua vez utiliza a própria app do smartphone/tablet…

Instax_Share_app_camera1

… o que pode ser uma coisa boa ou não dependendo do nível de sofisticação da App de câmera implementada pelo fabricante do equipamento. Neste caso o usuário confirma o uso dessa imagem ou retorna para fazer outra foto.

Instax_Share_app_camera2

Outra possibilidade é selecionar uma imagem diretamente da sua biblioteca de fotos. Note que as imagens já usadas anteriormente possuem são marcadas com um ícone verde.

Instax_Share_app_Select

Feito isso, basta o usuário fazer uma checagem final de como a foto sairá impressa e mandá-la para a impressora.

Instax_Share_app_pre_visu0

Mas para tornar essa brincadeira bem mais divertida, é possível editar a imagem antes de imprimi-la ou seja, podemos incorporar diversos efeitos na imagem, como textos…

Instax_Share_app_moldura

… bordas decorativas formadas por cores, grafismos e até temas sazonais…

Instax_Share_app_molduras

… fazer ajustes de enquadramento…

Instax_Share_app_rotate

… e até aplicar alguns filtros simples como converter a imagem para preto e branco ou sépia e um terceiro batizado de “Intelligence Filter” que faz um ajuste automático de cores corrigindo por exemplo, imagens muito claras ou muito escuras.

Instax_Share_app_filtros

Junte tudo isso e teremos um resultado final bem mais interessante…

Instax_Share_app_pre_visu1

… que pode ser apreciada depois na forma impressa:

Veja aqui um exemplo desse sistema em ação:

Fora isso, essa App oferece outros recursos bem interessantes, como a chamada moldura em tempo real que como o nome sugere, utiliza o GPS do smartphone/tablet para adicionar uma tag na foto com diversas informações como data, hora, local e até as condições meteorológicas do local:

Instax_Share_app_real_time

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Outro recurso ainda mais interessante/divertido é a possibilidade de capturar uma imagem de serviços de rede sociais como o Facebook, Instagram ou Sina Weibo (o Twitter chinês) e imprimi-las na instax SHARE.

Instax_Share_app_instagram_original

Para isso, é preciso que o usuário indique na App o serviço que o usuário deseja de conectar, junto com suas informações de login para que o programa da Fuji se conecte automaticamente no futuro.

Instax_Share_app_social_media

Nesse exemplo, cadastramos uma conta do Instagram que baixou as imagems na forma de thumbnail…

Instax_Share_app_instagram_Select1

… e ai é só selecionar a imagem desejada…

Instax_Share_app_instagram_preview

… e mandar para a impressora:

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Outro recurso bem curioso é a chamada “série especial” que seria uma moldura especial com numeração individual de cada imagem (1 de 3, 2 de 3, etc.)

Instax_Share_app_pre_visu_limitado

No geral, ficamos muito impressionados com a instax SHARE porque ela elimina — na minha opinião — um dos maiores problemas das câmeras instax que é o que chamaria de curva de aprendizado baseado na tentativa e erro, ou seja, até o usuário dominar todas as “manhas” de como tirar uma boa foto instantânea com uma câmera analógica, ele vai gerar e pagar por uma quantidade razoável de fotos ruins o que pode resultar até um certo desanimo por parte do fotógrafo, fazendo com que a instax acabe no fundo do armário, junto com outros brinquedos que já enjoaram.

Já a flexibilidade oferecida pela fotografia digital permite que o usuário faça todos os testes, ajustes e simulações desejados antes de enviar o resultado final para a instax SHARE, o que significa um uso mais racional dos seus insumos, resultando assim em menos desperdício de material e, consequentemente, menores custos operacionais.

Por exemplo, para realizar os testes com a WIDE estouramos nossa cota de 30 chapas de filme fornecido pela Fuji (e ainda faltou) , enquanto que na SHARE, no fim dos testes ainda restaram 7 chapas da nossa cota de 20!

Fora isso, a possibilidade de ajustar a imagem e aplicar bordas decorativas, textos e até informações de localização amplia em muito a versatilidade e até mesmo o nível de diversão/entretenimento oferecido pela fotografia instantânea. De fato, a utilidade desse produto pode até aumentar, a medida que novas aplicações sejam descobertas e que podem ser facilmente implementadas via software.

Para nós, o único defeito (ou mais exatamente uma crítica) que fazemos a esse produto é sua falta de acessórios inclusos, como uma bolsa de transporte ou algum meio de usá-la por exemplo, pendurada no ombro, pescoço ou cinto o que permitiria usá-la que o usuário a utilizasse de pé ou em movimento.

Também achamos que seria muito interessante se a instax SHARE também pudesse ser conectada a um PC ou Mac via porta USB (que também poderia fornecer energia a impressora) ou mesmo via Wi-Fi — e operada por uma versão “desktop” da App da Fuji, o que para nós não parece ser algo muito complicado, pelo menos no caso dos notebooks que já contam nativamente com essa interface.

Com isso, esse produto poderia ser ainda mais versátil, podendo ser usado em aplicações que demandem maior produtividade, como imprimir dezenas (ou até) centenas de fotos de recordação de uma festa e/ou evento in loco, podendo assim expandir o seu público alvo também para o mercado profissional.

Quem sabe isso não acontece no modelo SP-2 né?

Finalmente, com seu preço sugerido de R$ 1.259 a instax SHARE não é exatamente um produto barato, principalmente se comparado com as câmeras instax mini cujos preços variam (de acordo com o modelo) de R$ 599 até R$ 899. Mas neste caso, se pensarmos em aumentar a escala de produção, talvez valha a pena ter uma SHARE para atender — ao mesmo tempo — diversas pessoas num mesmo local que fotografem com seus próprios smartphones do que dispor de duas, três ou até mais câmeras instax cujo uso simultâneo se limita ao número de equipamentos e cujas perdas de material podem ser até maiores devido aos erros de operação.

ztop-indica-novo-selo

Resumo: Fujifilm instax SHARE SP-1

O que é isso? Impressora de câmera de smartphone/tablet que imprime em filme instax mini.
O que é legal? App da Fuji permite ajustes na imagem e decorar a foto com textos, bordas e grafismos. Também imprime fotos armazenadas no Facebook e Instagram.
O que é imoral? Praticamente nenhum acessório incluso. Não se conecta com PCs e não oferece suporte para Windows Phone.
O que mais? Utiliza duas bateria de lítio CR3 cuja oferta não é tão ampla quando já foi no passado.
Avaliação: 8,0 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: R$ 1.259
Onde encontrar: Loja da Fujiflm Brasil

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • bruno miranda 06/05/2015, 17:28

    Quase que minha namorada ganhou de presente, ele quer muito a câmera mas acho que ia ficar encostada por gastar muito filme já tinha me convencido em dar a impressora à ela ate ver o preço…

    • Mario Nagano 06/05/2015, 18:10

      Sim, eu vi o preço e minha sugestão é a seguinte: SE VOCÊ CONCORDAR COM O PREÇO E CONSEGUIR FECHAR O NEGÓCIO, FAÇA-O-O ASAP!!!

      Isso porque esse preço de R$ 1.259 é um valor atualizado que me foi passado hoje pela assessoria da Fuji.

      • Adriano De Lima 08/05/2015, 15:51

        Como é que você mesmo diz? Wai – Wai!!!

        • Mario Nagano 08/05/2015, 15:55

          Yep, わいわい!!!

  • dflopes 07/05/2015, 10:32

    ‘Vamos por partes:

    a) Bonus:
    – portátil
    – consome pouca energia
    – permite economizar fotos, diferentes das máquinas instântaneas (a parte do autoconvencimento foi hilária :-D)
    – o kit inicial vem com essas pilhas estranhas

    b) Ônus
    – usa pilhas estranhas, dificil de acha-las
    NÃO VEM com pacote fotos no kit inicial? Como assim Fuji! Eu compro e não posso usa-la assim que sair da caixa????
    – não tem entrada micro-USB

    c) Não interefere, mas poderia melhorar
    – kit inicial acompanhar carregador externo
    – disponibilizar aplicativo para desktop.

    O preço está excelente, mas fico na dúvida entre essa Fuji Share SP-1 e a Epson PictureMate 225

    Nagano San, Já usou essa da Epson?

    P.S.: E obrigado pelo aviso do preço.

    • Mario Nagano 07/05/2015, 10:39

      A picturemate é na sua essência uma jato de tinta q prime até 10x15cm.

      São experiências de uso diferentes.

      • dflopes 07/05/2015, 10:45

        Não consigo achar o filme Instax nem na loja da Fuji….
        Exceto no magazine Luiza por 89,00

        • Adriano De Lima 08/05/2015, 15:49

          Essa Picturemate da Epson parece um pote de sorvete com alça! KKKKK!

    • Mario Nagano 07/05/2015, 12:01

      Epson Picturemate 225… Naah, por acaso é essa?

      http://www.ztop.com.br/review-impressora-epson-picturemate-charm-pm-225/

  • dflopes 07/05/2015, 13:41

    Foi bom enquanto durou.

    Graças a uma tremenda falta de sacanagem da Fuji, acabaram de voltar ao preço normal de 1.259, mas dão desconto para 1.133.
    ¬¬’

  • Panino Manino 09/05/2015, 11:03

    Sabia que isso existia, mas nunca tinha parado para pensar como é que funcionava.

    • Mario Nagano 10/05/2015, 20:13

      É por isso que você lê os nossos reviews, né? 😉

  • Alexandre Fabian 10/05/2015, 15:39

    Duas questões meio off…
    Está usando o Zenfone como espertofone principal?
    Quem é a moça do papel de parede, é de algum anime? hahahaha

    Como aparelho acho bem mais válido do que as próprias câmeras Instax Mini, da pra juntar o bom da foto digital que é tirar 36 fotos na frente de um espelho, como as garotas costumam fazer, e imprimir só as melhores. O que não daria pra fazer numa câmera Instax por causa do custo do filme.

    • Mario Nagano 10/05/2015, 20:12

      Okay… Let me see…

      Sim é um Zenfone 6. Eu gosto dele por causa dos 2GB de RAM, 16 GB de armazenamento e interno, da bateria maior e câmera traseira com sensor BSI de 13 MP (que pode ser da Sony, Panasonic ou Toshiba).

      A personagem na tela de Fundo é Lum de uma série de mangá dos anos 1980 chamado Urusei Yatsura. Só que essa ilustração não é da sua autora (Rumiko Takahashi) e sim de outro artista chamado Range Murata, mais conhecido por aqui pelo seu trabalho em animes do Estúdio Gonzo com Blue Subarine No. 6 e Last Exile.

  • Allan Almeida 14/05/2015, 10:03

    Isso que é um senhor review ou análise. Depois dessa, a Fuji deveria fornecer pacotes filmes ilimitados para vocês. Quase comprei uma instantânea mas verifiquei os custos de uso x benefício e desisti, pois mesmo a Point&Shoot que tenho, utilizo muito pouco. Parabéns por mais uma ótima indicação.

  • bia 25/01/2017, 01:52

    Alguém sabe me dizer o tamanho do conector que serve como energia para esta maquina?

    • Mario Nagano 25/01/2017, 09:55

      Me parece ser um conector coaxial padrão EIAJ. O problema é que existem pelo menos 5 variantes, de modo que não tem jeito de saber a não ser medindo o diâmetro externo e o furo interno.

      https://en.wikipedia.org/wiki/EIAJ_connector

      Porém, segundo esse anúncio no Amazon.com …

      https://www.amazon.com/PLANEX-corresponding-conversion-charger-PL-AC5VX/dp/B00KI9WV9Q

      … o fabricante diz ser um plug macho EIAJ Type2:

      Connector Name — EIAJ-02
      Minimum Voltage — 3.15 V
      Rated Voltage — 6.3 V
      Rated Current — 2 A
      Outer Diameter — plug: 4,0 mm / jack: 4,4 mm hole
      Inner Diameter — plug: 1.7 mm / jack: 1.65 mm pin
      Pin Diameter — none
      Shaft Length — 9.5 mm