ZTOP+ZUMO

Review: Epson L800 (com tanque de tinta)

A Epson L800 é o segundo modelo da fabricante com sistema de tanque de tinta e oferece qualidade fotográfica e suporte para impressão de CDs e DVDs.

No início deste ano, a Epson lançou a L200, sua primeira impressora de uso pessoal/doméstico a adotar o sistema de tanques de tinta (ou bulk ink) original de fábrica, acabando assim com um velho paradigma desse mercado – fabricantes não ganham dinheiro com a venda de impressoras e sim com a venda de suprimentos. É a velha estratégia conhecida como o mito do barbeador e das lâminas de barbear, ou Freebie Marketing.

Tivemos a oportunidade de testar a L200 na época do seu lançamento e, apesar do seu conceito se mostrar bastante promissor, o desempenho do seu mecanismo de impressão era bem modesto, em especial para aqueles que precisam gerar grandes quantidades de impressões no menor tempo possível.

De fato, um equipamento com tais características poderia abrir um novo mercado até para o segmento profissional — em especial aqueles pequenos negócios que não têm condições de comprar/manter uma laser em cores.

Sob esse ponto de vista, a boa notícia é que muitas dessas demandas podem ser atendidas pela L800, um modelo superior e mais performático, totalmente focado em produtividade e na qualidade de impressão.

De fato, se comparada com sua irmã menor, a L800 não é uma multifuncional, ou seja, ela não possui scanner de mesa nem copia documentos. Isso pode até passar meio que desapercebido ao vê-lo na loja já que seu design…

… lembra muito a própria L200:

Medindo 53,7 x 28,9 x 18,8 cm (LxAxP fechado) e 6,2 kg de peso (sem a carga de tinta e cabos) a L800 é um equipamento de porte médio que ocupa pouco espaço quando fora de uso. De fato, quando recolhida, todas as suas aberturas ficam fechadas, o que dificulta a entrada de pó no seu interior.

Sua cor predominante é um cinza fosco bastante escuro (quase preto) com detalhes em prata. Sua tampa superior possui um grafismo na forma de pequenos pontos em relevo que quebram a monotonia do equipamento.

Seus controles são simples e direto: liga/desliga, retorno/limpeza da cabeça de impressão e parada da impressão + ejeção do papel:

Seu alimentador de papel adota o sistema clássico da empresa: a mídia entra por trás e sai pela frente fazendo uma única curva relativamente suave o que facilita o uso de papéis mais grossos. Segundo fabricante, esse alimentador acomoda até 120 folhas de papel tamanho A4 ou 10 envelopes.

Para utilizar mídias de menor tamanho, basta mover sua cantoneira cinza para direita…

… até a largura desejada.

Já sua bandeja de saída tem capacidade para até 50 folhas.

Interessante notar que essa bandeja é removível e pode ser montada em duas posições diferentes: a de baixo para coletar material impresso e a de cima para imprimir CDS (mais sobre isso adiante).

Não há muito o que ver na parte de trás da L800:

No canto direito temos a sua porta USB 2.0.

E mais ao centro sua entrada de força do tipo bipolar (sem fio-terra). Note que essa impressora só trabalham na rede de 120 Volts, o que explica a grande etiqueta amarela à direita:

Já no canto oposto existe uma portinha de manutenção que dá acesso ao compartimento de coleta de resíduos. Nada que o usuário deva se preocupar.

Uma das grandes novidades dessa impressora é que, ao contrário da L200 que trabalhava com o traducional sistema de quatro cores de tinta, a L800 trabalha com seis cores.

… ou seja, além dos tradicionais Ciano (C), Magenta (M), Amarelo (Y) e Preto (Bk) a L800 ainda dispõe de duas cores adicionais: Magenta Claro (LM) e Ciano Claro (LC). Essa solução é muito usada nas impressoras fotográficas, já que as tintas adicionais permitem uma maior transição de tons, resultando assim em cores mais variadas e ricas.

E ao contrário das impressoras que dependem de “cartuchos fotográficos”, a L800 apresenta uma vantagem ainda maior, já que o usuário não precisa trocar o cartucho só porque “uma das cores acabou” resultando assim num consumo mais racional e econômico de tinta. E mesmo que a principal aplicação do usuário não seja de imprimir fotos, o recurso está lá para quando for necessário.

Como era de se esperar, a L800 já vem acompanhada com um kit de recarga de tinta formada por seis frascos de tinta T6734 (Amarelo), T6731 (Preto), T6735 (Ciano Claro), T6736 (Magenta Claro), T6733 (Magenta) e T6732 (Ciano).

Cada frasco contém 70 ml de tinta e preço sugerido é de aproximadamente R$ 35. Segundo a Epson seu rendimento é estimado em 5.400 páginas, com exceção do Preto (~3.000 páginas) ou 1.800 fotos tamanho 10 x 15 cm. Cada frasco vem dentro de uma embalagem selada a vácuo…

… e a boca do frasco selada por um lacre de alumínio, garantindo assim a máxima proteção contra contaminações externas.

Uma observação importante é que — apesar das aparências — a tinta da L800 (série T67xx) não é a mesma usada na L200 (série T66xx) de modo que o usuário não deve usar tinta da L200 na L800 e vice versa.

Já o processo de enchimento dos tanques é praticamente o mesmo. O único cuidado que deve ser tomado é de não colocar a tinta no tanque errado, já que nada impede que isso não ocorra:

A tinta em si sai do reservatório por um sistema de dutos, que entra na impressora…

… passa por dentro da máquina e faz uma curva para cima para se encontrar com a cabeça de impressão…

… cujo funcionamento é praticamente o mesmo dos modelos que trabalham com cartucho de tinta. Ela é formada por seis ejetores (uma para cada cor) de 90 bicos capazes de gerar gotículas de até 5 tamanhos diferentes (tecnologia DX5) com resolução máxima de 5.760 X 1.440 ppp (pontos por polegada).

Aqui podemos ver esse mecanismo em funcionamento, imprimindo quatro fotos de 10 x 15 cm em sequência. Ela leva um pouco mais de 20 segundos para imprimir cada cópia.

Assim como na L200 o reservatório de tinta não é fixado na impressora — apenas enganchado do lado por meio de um suporte sem travas — o que exige apenas alguns cuidados extras na hora de transportar o equipamento, como por exemplo nunca segurar/levantar a L800 pelo tanque (duh!) Fora isso, o usuário precisa tomar dois cuidados importantes: O primeiro é de interromper o fluxo de tinta para a impressora, girando uma pequena válvula frontal para baixo:


já o segundo é de tampar o respiro dos tanques de tinta para evitar vazamentos. Para isso, a Epson fornece um jogo de lacres que vem num saquinho junto com a documentação do produto…


… formado por seis pequenas tiras de silicone:

Para tampar os respiros de ar (seta azul) basta encaixar a ponta mais fina do lacre no mesmo (seta laranja)…


… sendo um para cada tanque.


Uma sacada interessante dessa solução é que a Epson sugere que as linguetas fiquem para fora do compartimento de tinta…


… fazendo com que suas pontas fiquem bem visíveis mesmo quando o tanque for reencaixado na impressora. Isso serve como um lembrete para o usuário de que elas precisam ser removidas antes de recolocar a impressora em funcionamento.

Outro interessante acessório que já acompanha a L800 é um suporte para imprimir sobre mídias ópticas como CDs,  DVDs e Blu-rays de tamanho padrão (12 cm).

Ela também vem com um “adaptador” para mini-CDs/cartão CD de 8 cm de largura, algo ainda muito usado como brinde ou material de divulgação.


Para usar, basta encaixá-lo na bandeja para que a abertura fique na medida exata dessas mídias menores.

Já para imprimir um CD/DVD comum, basta encaixar a mídia apropriada (mais conhecida no comércio como “Printable“) no suporte sem esse adaptador…

… reposicionar a bandeja de saída do papel para a posição de cima (seta laranja) …

… encaixar o suporte em um trilho existente na bandeja…

… e alinhar as duas marcações existentes no suporte e na bandeja:

Feito isso basta iniciar a impressão:

Com a bandeja no lugar, cada CD leva em torno de 2min40s para ser impresso e o resultado final é muito bom, limpo e bem mais apresentável do que rabiscar alguns garranchos sobre a mídia com caneta hidrográfica. De fato, a única diferença que notamos (se comparado com uma mídia produzida em série) é o seu acabamento fosco, apesar que isso também depende da maneira como a tinta interage com a mídia.


Essa impressão foi feita com um programa chamado Epson Print CD, que faz parte do pacote de drivers e utilitários que já acompanham o produto, compatível com Windows 7, Vista e XP. Para instalá-lo basta seguir o procedimento padrão ou seja, com a impressora já carregada de tinta e pronta para uso — mas ainda desconectada do computador — insira o seu CD de instalação no leitor do PC e siga a instruções do sistema. Verifique que todas as opções estão marcadas antes de continuar:


Feito isso, o sistema irá instalar os drivers da impressora e depois disso, irá pedir para conectar a mesma no PC via cabo USB:


Feito isso, é hora de validar os frascos de tinta, informado a chave numérica impressa em cada uma delas.

Feito isso, a impressora irá iniciar o procedimento de carga da tinta que, segundo a Epson, demora aproximadamente 20 minutos para ser realizado.

Ah sim, e certifique-se que a válvula de fluxo de tinta está liberada:

Se tudo ocorrer de acordo com o esperado, no fim desse procedimento a L800 está pronta para uso.


O driver de impressão em si não difere de outras versões que vimos no passado, com três ajustes básicos para textos e dois para fotos:


Apesar dessa impressora não possuir mecanismo de impressão frente-e-verso (ou duplex) seu driver de impressão oferece um modo “manual” onde a L800 imprimindo primeiro todas as páginas pares…

… sendo que depois disso ela pausa esse trabalho e pede que o usuário recoloque as folhas recém-impressas de novo no alimentador de folhas, só que do lado contrário. Feito isso ele inicia a impressão de todas páginas ímpares.

Outro programa que acompanha a L800 é o Easy Photo Print, um utilitário de impressão que permite selecionar, tratar e determinar o número de cópias de cada fotos e imprimi-las numa única operação.

Entretanto, o programa mais interessante é o Epson Print CD, onde o usuário pode criar seus próprios layouts de CDs ou editar os diversos modelos (templates) pré-definidos que já acompanham o produto. Seu modo de uso lembra vagamente o Corel Draw, combinando imagens gráficas com elementos gráficos vetoriais na forma de caixas, textos e desenhos.

Todos os layouts criados podem ser gravados para uso posterior.

Sob testes:

Para realizar os testes nós instalamos a L800 em nosso PC de referência com Windows 7 Ultimate utilizando os drivers e utilitários que acompanham a impressora. Para realizar os testes de impressão de documentos, usamos os modelos padrão ISO/IEC 24712 e impressos com o Adobe Reader. Utilizamos papel sulfite branco de 90 gramas/m^2 (o mais recomendado para uso em jato de tinta) no tamanho A4.
E para analisarmos a qualidade de impressão, nós isolamos algumas áreas da impressão e analisamos por meio de microfotografia.

Vale a pena ressaltar que nossos resultados não podem (e nem devem) ser usados em comparações com os números de desempenho divulgados pelos fabricantes. Isso porque eles se baseiam em outros critérios e métodos de execução que podem diferir da nossa metodologia. Como a maioria das impressoras do mercado, esta também oferece um modo rascunho que abre mão da qualidade em favor de economia de tinta e menor tempo de impressão, o que pode ser uma estratégia interessante no caso de documentos de uso interno ou que sabidamente terão uma vida útil curta. Nesse modo, a L800 imprimiu a 13,8 ppm(páginas por minuto), o que é um resultado bem interessante.

Porém, o grande desafio nesse caso é de oferecer um modo rascunho onde os documentos sejam realmente legíveis, o que no caso da L800 é algo discutível, pois ela combina outras cores além do preto para formar um texto com tons de sépia (menos contraste) sendo que alguns caracteres as vezes perdem partes, caso da letra “e”. Nossa opinião é que esse modo não é de todo ruim, mas não o consideramos uma real alternativa para o modo texto normal.

Já no modo texto, a L800 imprimiu 3,69 ppm, o que é um desempenho dentro da média para uma jato de tinta mainstream para uso pessoal.

Neste caso, a formação do textos e a legibilidade são muito boas, apesar de notarmos que seus contornos são levemente borrados devido à interação da tinta (líquida) com o papel ou seja, um olhar mais atento é capaz de diferenciar esse texto de outro idêntico feito com uma laser mono.


Finalmente no modo de textos mais gráficos, a L800 imprimiu a 4,0 ppm, desempenho semelhante ao modo só de texto

Visualmente falando, os resultados também podem ser considerados bem semelhantes:

Para imprimir fotos, utilizamos a mídia recomendada pela empresa, neste caso o Epson Glossy Photo Paper, uma mídia de qualidade fotográfica com acabamento brilhante nos tamanho retrato 10 x 15 cm e Carta (8″ x 11″).

Para imprimir uma foto 10 x 15 cm com essa mídia no modo Foto Normal e sem borda, a L800 levou em média 31,4 segundos. Já no modo de Alta Qualidade a L800 fez a mesma impressão em 2min03s (média):

Na impressão numa folha tamanho carta também no modo normal, a L800 completa essa tarefa em 4min48s (média):

Como era de se esperar de uma impressora de seis cores, a qualidade de reprodução de fotos da L800 é excelente…


Na imagem abaixo podemos ver que a alta densidade de pontos de imagem…

… o que resulta numa granulação da imagem bem menor, contornos mais definidos e tons mais uniformes…


… principalmente se comparada com a L200


… ou mesmo com a Epson PictureMate Charm, uma mini-impressora totalmente voltada para fotos, mas que trabalha apenas com quatro cores:


Com relação à resistência/durabilidade das fotos impressas, fizemos alguns testes de tortura em fotos 10 x 15 cm que passaram mais de 24 horas descansando após saírem da L800, garantindo assim que a tinta/mídia estava bem seca: O primeiro teste foi o teste de dobra onde vincamos a foto tanto para dentro (na vertical) e para fora (na horizontal). Apesar do vinco na vertical não aparecer na imagem abaixo, ela não apresentou mais nenhum dano aparente.


Já com o vinco na horizontal ocorreu o rompimento da película de tinta sobre o papel, chegando até a descascar.


Já no teste de resistência a água, pingamos algumas gotas de água sobre a foto e deixamos que elas secar naturalmente. Para nossa surpresa, a imagem resistiu bem a esse teste, deixando apenas algumas áreas levemente marcadas/foscas, mas nada realmente sério.


Isso fica mais claro nas microfotografias onde podemos ver que as áreas respingadas ficaram levemente borradas/escuras, ao contrário da área seca, não atingida pela água.


Já no teste de escrita rabiscamos a foto com dois tipos de caneta: hidrográfica de retroprojetor (à esquerda) e esferográfica (à direita). Esse teste não é exatamente um testes de resistência a danos e sim uma maneira de verificar a capacidade da foto de reter a tinta sem borrá-la, algo que pode ser interessante para aqueles que gostam de distribuir fotos com dedicatórias/assinadas.

No caso da hidrográfica, a mídia prontamente absorveu a tinta sem borrá-la.


O mesmo pode ser dito dos testes com a esferográfica que, além de não borrar, também não saiu do papel quando esfregada com o dedo.


Finalmente, fizemos algumas medições de consumo de energia quando a L800 imprime uma foto no tamanho 10 x 15 cm e outra no tamanho Carta. O que podemos ver nesses gráficos é que a L800 consome no máximo apenas 10~11 watts de energia, além de possuir um modo de espera em dois níveis um mais leve de ~3 watts para responder mais rapidamente a uma nova solicitação de impressão e outra mais profunda de ~1 watt para períodos maiores de stand-by.

Foto tamanho 10×15 cm

Foto tamanho Carta (8″x 11″)

Em ambos os casos vale a pena ressaltar que 11 watts é um consumo baixíssimo, se comparado, por exemplo que uma laser em cores que gasta centenas de watts só para esquentar o seu fusor de imagens.

Nossas conclusões:

No geral ficamos muito impressionados com a L800, por ela incorporar diversas características a muito tempo desejáveis, porém nunca reunidas em um único equipamento, por exemplo:

  • Impressão em cores de alta qualidade.
  • Baixo custo de impressão.
  • Bom desempenho.
  • Baixo consumo de energia.
  • Operação simples e direta.
  • Impressão de CDs.
  • Suporte e garantia do fabricante.

De um certo modo a L800 corrigiu muitas das limitações que vimos na L200, em especial no que se refere ao seu desempenho, o que a torna realmente interessante para um público mais amplo, em especial pequenos negócios como artesãos, profissionais liberais, fotógrafos, consultores, assessorias de comunicação e até bazares, papelarias e Lan Houses que podem oferecer pequenos serviços de impressão.

E com esse lançamento a L200 deixa de ser a única opção de jato de tinta com tanque da empresa, reposicionando-se como um modelo de entrada para aqueles interessados em um equipamento simples, porém com capacidade de gerar grandes volumes de impressão por um baixo custo.

Com o preço sugerido de R$ 1.199, a L800 pode assustar alguns consumidores, mas neste caso é preciso levar em consideração que esse produto se baseia em uma nova estratégia que foge do (desprezado) modelo de “barbeador barato + lâmina cara”. Como a fabricante não vai lucrar tanto com suprimentos, ela de um certo modo vai cobrar aquilo que ela acha que a L800 impressora realmente vale. E como a Epson não é nenhuma instituição de caridade, não há muito o que se queixar nesse caso.

No geral, a proposta da L800 é muuuito interessante, já que — como dissemos antes — se a L200 foi um grande experimento (e até mesmo um risco) para a Epson, a L800 representa o amadurecimento dessa idéia e esperamos que mais modelos estejam por vir.

RESUMO: EPSON L800

O que é isso? Impressora fotográfica (seis cores) de alto rendimento para uso pessoal e pequenos negócios.
O que é legal? Bom desempenho, sistema de tanque proporciona baixíssimo custo de insumos/impressão. Imprime CDs e DVDs.
O que é imoral? Não possui drivers/suporte para Mac OS ou Linux.
O que mais?  Cada frasco contém 70 ml de tinta e preço sugerido é de aproximadamente R$ 35 com rendimento estimado em 5.400 páginas com exceção do Preto (~3.000 páginas) ou 1.800 fotos tamanho 10 x 15 cm.
Avaliação: 9,0 (de 10). Entenda nosso sistema de avaliação.
Preço estimado: R$ 1.199
Onde encontrar: www.epson.com.br

 Ainda em tempo:

Pouco depois de finalizarmos os testes com a L800, soubemos que a Epson anunciou no Brasil dois novos modelos com tanque de tinta: A impressora Epson L110 (R$ 499) um modelo de entrada de 27 ppm em preto e 15 ppm em cores…

… e a multifuncional Epson L355 (R$ 699) um modelo mais mainstream de 33 ppm em preto e 15 ppm em cores com interface Wi-Fi, incluindo suporte para digitalização de imagens.

Ambos trabalham com quatro cores de tinta e se posicionam em patamares de preço entre a L200 (R$ 599) e a L800 (R$ 1.199). Assim, de um certo modo, a L110 é uma opção mais em conta que a L200 (por não ter scanner/copiadora) enquanto que a L355 poderá atender aqueles que até gostaram da L200, mas estariam dispostos a gastar um pouco a mais por um modelo com melhor desempenho, mas não tanto para ter uma L800.

Assim, a linha L deixa de ser uma curiosidade da empresa para se tornar uma família completa de produtos, com soluções para todos os gostos e bolsos.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.