ZTOP+ZUMO 10 anos!

Review: Dell Latitude 14 5404 Rugged

Voltado para ambientes adversos, o Latitude 14 5404 Rugged vem com a proposta de levar a computação móvel para qualquer lugar, faça sol ou faça chuva.

Acho que foi em 2008 que tivemos nosso primeiro contato com um Dell Laltitude ATG (= All Terrain Grade)…

… um notebook com acabamento reforçado que, na época, seguia a mesma filosofia de veículos “crossroad” como Palio Adventure ou o Volkswagen CrossFox: pegue um Latitude de linha e instale alguns reforços como cantoneiras de borracha e uma cobertura reforçada e temos um produto mais adequado para trabalhar em ambientes mais agressivos fora do escritório como oficinas, laboratórios de testes, chão de fábrica ou mesmo em locais abertos sob sol, chuva ou mesmo neve.

Nessa mesma época, a Dell também desenvolveu um outro modelo realmente duro na queda — conhecido como XFR (= Extra Fully Rugged?) — feito para atender as especificações de resistência e durabilidade do exército americano, cujo visual lembra muito um notório computador japonês

… e cujo protótipo vimos por acaso exposto em um mostruário lá na sede da Dell em Round Rock, lá no Grande Estado do Texas:

Passada quase uma década, a linha Rugged da Dell se estabeleceu como big player nesse mercado. dispondo de uma linha de produtos que procura atender a toda as demandas dos seus clientes…

… dentro da sua estratégia de oferecer soluções completas “de ponta a ponta” seja na forma de hardware, software ou serviço.

Mas voltando ao que nos interessa, recebemos para testes o novo Dell Latitude 14 Rugged um modelo voltado para aqueles que precisam de um notebook mais resistente e versátil para executar suas tarefas do dia a dia, mesmo em locais e ambientes adversos.

É até apropriado dizer que, se computadores fossem carros, o 5404 Rugged se compara a um Land Rover Defender com seu jeitão de caixa de biscoito e visual até meio antiquado para os dias de hoje, mas que está preparado para enfrentar qualquer parada..

… menos levar tiro — é claro — já que isso é tarefa para seu irmão maior:

Como já estamos habituados a lidar com os equipamentos do concorrente, a primeira coisa que nos chamou a atenção desse produto é o fato do seu gabinete externo ser feio de policarbonato (= nome pomposo para plástico) fosco, o que — sob o olhar de um leigo — pode até colocar em dúvida a sua real capacidade de aguentar pancada.

Porém, vale a pena lembrar de um papo que tivemos com Paul Struhsaker, CTO e vice-presidente responsável pelo desenvolvimento e visual dos novos sistemas pessoais da Dell, onde ele falou sobre o desenvolvimento de um novo tipo de gabinete feito de um composto de policarbonato misturado com fibra de carbono, cujo resultado final (esteticamente falando) se parece com plástico (duh!) porém muito mais resistente:

O interessante neste caso é que a fibra de carbono usada neste processo é material reciclado vindo da indústria aeronáutica (que gera muito deste negócio) o que também vai de encontro com as diretrizes da Dell de trabalhar com matérias primas mais sustentáveis em seus produtos.

Mas infelizmente, não tivemos uma confirmação oficial da Dell Brasil de que o gabinete do 5404 Rugged utiliza fibra de carbono, mas acreditamos que se existe algum equipamento que poderia de beneficiar e muito deste material, é exatamente essa linha Rugged.

Fora isso, vale a pena observar que se comparado com as ligas de metal, o plástico é relativamente flexível, de modo que caso ele sofra alguma pressão momentânea na sua superfície, a tendência é que depois ela volte ao seu formato original ao contrário do metal, que pode ficar amassar ou mesmo quebrar.

Finalmente, nunca devemos nos esquecer que a função primordial desse produto é dele ser usado como computador e não como arma ninja, escudo de super-herói ou bigorna.

Assim, se sua intenção é de picar salsinha, rachar coco ou mesmo bater um bife em cima deste Latitude, podemos recomendar alternativas bem mais adequadas para essas tarefas, que podem ser facilmente encontradas nas melhores casas do ramo na seção de utensílios domésticos:

Pausa para um momento Ztop+Zumo de reflexão:

Vale a pena ressaltar que a Dell classifica sua linha de notebooks profissionais em três categorias: o chamado Businness-Rugged que é um notebook de linha mais reforçado para resistir as tarefas do dia a dia como os Dell Lalitude.

Os chamados modelos Rugged (representado pela linha Latitude Rugged) é um modelo que incorpora algumas proteções adicionais contra choques, entrada de poeira e até um pouco de água, resistência a quedas (de até 90cm) e tela mais brilhantes para facilitar o seu uso ao ar livre.

Já o Fully Rugged é o modelo mais robustecido e preparado para literalmente ir pra guerra e voltar inteiro. Daí o seu nome — Latitude Rugged Extreme.

Assim, a estratégia da empresa é de oferecer diferentes opções de “resistência” de modo que seus clientes tenham condições de escolher a categoria que melhor atenda as suas necessidades.

Capisce?

Mas novamente voltando ao que nos interessa, o modelo 5404 Rugged que recebemos para testes veio equipado com um processador Intel Core i7 4650U (codinome “Haswell”), um chip dual core com HT de 1,7~3,3 GHz e SmartCache de 4MB, 8 GB de SDRAM DDR3 (expansível até 16 GB em dois slots SODIMM), 500 GB de HDD de 5.400 rpm.

Fora isso, ele vem equipado com uma porta de rede Gigabit Ethernet, interface Wi-Fi Dell Wireless 1707 802.11n + Bluetooth 4.0 LE, chip de segurança TPM 1.2, duas portas USB 3.0, duas USB 2.0 Powered, duas portas seriais (uma interna, outra externa), saída de vídeo SVGA, HDMI e som/microfone integrado.

Observe porém esses notebooks robustecidos costumam ser bastante flexíveis em termos de configuração, dispondo de um amplo catálogo de componentes, periféricos e acessórios originais que são oferecidos na forma de opcionais e que podem ser adicionados ou não na hora da negociação com a Dell.

O sistema analisado veio como o Windows 10 instalado de fábrica, mas ele pode opcionalmente vir com o Windows 7 Pro de 32/64 bits, Windows 8.1/ 8.1 Pro de 64 bits e até Ubuntu Linux 12.04.

Alguns até podem estranhar o fato desse portátil ainda vir equipado com processador Intel Core i3/i5/i7 “Haswell” de quarta geração numa época em que a Intel até já anunciou o de sétima aqui no Brasil. Mas o que precisa ser visto nesse caso é que, ao contrário do mercado de varejo/consumidor final, o corporativo e/ou de governo trabalham num ritmo diferente, baseado em estratégias de médio de longo prazo.

Isso significa que esses clientes não costumam “comprar por impulso” e sim basear suas decisões em fatores como ROI, estabilidade, confiabilidade e — é claro — garantia suporte ao seu parque de máquinas cuja vida útil pode ser contada em (muitos) anos.

Sob esse ponto de vista, se um notebook com Haswell atende às necessidades deste público que, em muitos casos está mais interessado na sua capacidade de operar em ambientes adversos do que desempenho propriamente dito, o uso de um processador de quarta, quinta, sexta ou sétima geração não faz muita diferença (mais sobre isso no fim deste post).

O mesmo pode ser dito do seu desempenho gráfico, de modo que o padrão no 5404 Rugged é de usar a GPU integrada do processador — o Intel HD Graphics 4400 (na versão com Core i3/i5) ou HD 5000 (versão com Core i7):

De qualquer modo, se o cliente desejar um desempenho gráfico melhor, ele tem a possibilidade de instalar uma plaquinha gráfica discreta equipada com uma GPU NVidia GeForce GT 720M com 2 GB de VRAM, compatível com a tecnologia DX12, CUDAOptimus:

Interessante ressaltar que por se tratar de um equipamento mais voltado para trabalhos de campo, ele atende especificações do teste MIL-STD-810G1 o que inclui choque funcional, queda em trânsito (~1 metro), nuvens de poeira, vibração, umidade, altitude e temperaturas extremas (Variação da temperatura operacional de -29° C a 60° C e  não operacional de -51° C a 71° C). Fora isso, ela também atende as normas de proteção de entrada IEC 605291: IP-52 (protegido contra poeira e contra gotas de água quando inclinado a até 15°).

O 5404 Rugged também oferece alguns opcionais bem interessantes, como sensor de GPS, interfaces de banda larga móvel (apenas para América do Norte e região Ásia-Pacífico), adaptador de energia para acendedor de cigarro, docking station veicular, conector de encaixe Pogo-pin opcional etc.

Já com relação ao seu visual, ele tem a forma de uma maleta 007 (ou caixa de ferramentas) sendo que ela pode ser reconhecida de longe por causa da presença da notória alça de transporte feita de borracha rígida…

… material que, curiosamente, cede ao ser tensionado o que torna o seu transporte bem menos estressante para aquele que o carrega por longos períodos de tempo:

A borracha também é generosamente aplicada nas laterais desse portátil, servindo assim como proteção adicional contra batidas e impactos acidentais. Note também a grande quantidade de parafusos expostos que, para mim é algo meio que proposital.

Isso porque ela passa uma mensagem estética bem rústica, utilitária e até “muy macho” já que que ela parece dizer algo como “não sou um acessório de moda, fui feito para trabalhar!

Outra pausa para um momento Ztop+Zumo de reflexão:

Outro exemplo interessante do uso dessa estética num eletrônico de consumo foi o Razr i da Motorola, com seus tons de preto “gun metal,” traseira de fibra de carbono (ou não?) e parafusos nas laterais:

Tão bacana quanto um Colt 45 né?

De fato, depois do seu lançamento, pesquisas de mercado revelaram que ele não foi muito aceito pelo público feminino, pois elas acharam que o Razr i tinha muito cara de “celular de homem” ao ponto da empresa ter lançado depois uma versão específica para esse público na cor branca:

Agora ficou “muy hermosa” né?

Medindo aproximadamente 34,7 x 4,4 x 24,3 cm (LxAxP) e 3,1 kg de peso (a versão analisada) sem contar o carregador incluso (mais 300 gramas) — para os padrões atuais o 5404 Rugged é um equipamento relativamente grande e volumoso…

… principalmente quando comparado com um Ultrabook de linha, como o ThinkPad X1 Carbon da Lenovo:

Isso até pode parecer algo negativo, mas é sempre bom relembrar que colocá-los lado a lado (ou neste caso, um em cima do outro) é o mesmo que comparar maçãs com laranjas, ou seja, apesar de ambos serem notebooks, o X1 é mais direcionado para aqueles que valorizam a portabilidade e conforto de uso, enquanto que o 5404 Rugged é mais focado na versatilidade e resistência, como veremos adiante:

Até por não ser um produto de varejo, o 5404 Rugged vem equipado com apenas um alto falante de 2 watts (RMS) localizada na sua frente do portátil…

… bem ao lado da sua trava da tela que…

… ao ser levantada, revela o interior do equipamento cujo visual não difere do exterior com seus tons escuros e diversos parafusos expostos, inclusive no teclado:

Sua tela é do tipo LCD/LED de 14″ com resolução nativa de 1.366 x 768 pixels (boo!) e área de visualização 32,3 x 19,0 cm. O modelo que recebemos não tem suporte para touchscreen mas esse recurso (do tipo resistivo) pode ser adquirido na hora da compra como item opcional:

O acabamento dessa tela é do tipo anti-reflexo e de alto brilho (~700 nits) o que permite o seu uso em ambientes externos, mesmo sob o sol forte apesar de que neste caso, ela perde um pouco do seu brilho:

De fato, a visualização melhora — e muito — sob uma sombra…

… ou mesmo em dias nublados ou mesmo sob chuva:

Curiosamente o modelo analisado veio equipado com um array de microfones com recurso de redução de ruído, mas não com webcam. Isso porque como no caso da tela de toque, outros componentes do 5404 Rugged como a Webcam pode ser adicionados ou retirados do sistema na hora da compra, o que significa que o cliente pode criar uma configuração realmente sob medida para as suas necessidades.

O interessante dessa webcam (com resolução Full HD) é que ela vem equipada com uma cortina de privacidade (privacy shutter) ou seja, uma portinha deslizante o que impede que ela capture alguma imagem (mesmo que ela seja hackeada) sem a autorização do usuário:

E como já vimos em outros notebooks corporativos, a articulação da tela é feita de metal de aparência bastante sólida…

… sendo que a tela pode rebater um pouco mais de 180°, mas que não faz dele um conversível ou 2-em-1:

Outra medida adicional de segurança que contribui para a rigidez estrutural da tela é a presença de dois “pinos” localizados na moldura do LCD que se encaixam em dois ressaltos existentes na base do teclado.

Assim, quando fechado, a tela mantém-se firme no lugar, não me movendo mesmo se exposto a uma batida lateral que, de outro modo, poderia até deslocar (mesmo arrancar) a tela.

Para um notebook com tela de 14″, a área do teclado do 5404 Rugged é bastante ampla e descongestionada, com bastante espaço livre para o usuário apoiar suas mãos (a até parte do antebraço) na hora de digitar.

O seu layout segue o nosso padrão nacional ABNT-2, com teclado numérico integrado, algo ainda comum nos notebooks corporativos…

… assim como a presença de retroiluminação das teclas, algo por sinal muito útil num equipamento voltado para uso externo — em especial à noite. E se o usuário achar que a luz branca brilha demais e/ou chama muito a atenção, é possível ajustar o mesmo em quatro níveis diferentes  bastando pressionar seguidamente o [Fn]+[F10].

Fora isso também é possível trocar a cor da mesma para o tom de vermelho, verde ou até mesmo azul pressionar as teclas [FN]+[C]:

Falando nisso, suas teclas de função seguem o padrão mais preferido pelo mercado corporativo de priorizar as teclas F1~F12 sendo que outras funções como controle do som, microfone, brilho da tela etc. podem ser acessados via tecla [Fn].

O mesmo tradicionalismo também pode ser dito no seu touchpad com área útil de 18,5 x 5,4 cm com suporte para alguns gestos, duplo toque e equipado com dois botões físicos na sua base ou seja, nada de botões virtuais, cliques nas bordas ou coisas do tipo.

Já no canto inferior direito temos outro recurso muito comum em notes corporativos da Dell: um leitor de SmartCard por contato. Também note as luzes indicadoras de estado (incluindo o do HD — yaay!) na base da alça de transporte que são visíveis mesmo com o portátil fechado.

Mais à direita, podemos ver o leitor de impressões digitais e à direita o botão de liga/desliga. Simples assim:

Já a base do portátil até que é relativamente limpa…

… dispondo apenas de um espaço reservado para as etiquetas de certificação/número de série do produto…

… outro para a instalação do chamado Docking Board, que é uma interface de contato para se encaixar…

… no Dell Latitude Docking Station, uma doca equipado com um replicador de portas com versões para uso sobre a mesa (embaixo) ou dentro de um carro:

Um detalhe que nos chamou a atenção é como a entrada de ar para o cooler do processador é aberta,  o que pode levantar dúvidas se esse produto é realmente capaz de suportar as intempéries do tempo.

Segundo o que a Dell divulga, o 5404 Rugged atende à norma de Grau de Proteção IP52 que, segundo a Wikipedia significa o seguinte:

Primeiro dígito:

  • 0 – Não protegido
  • 1 – Proteção contra objetos sólidos com 50 mm de diâmetro ou mais
  • 2 – Proteção contra objetos sólidos com12,5 de diâmetro ou mais
  • 3 – Proteção contra objetos sólidos com 2,5 mm de diâmetro ou mais
  • 4 – Proteção contra objetos sólidos com1,0 mm de diâmetro ou mais
  • 5 – Proteção contra poeira
  • 6 – À prova de poeira

Segundo dígito:

  • 0 – Não protegido
  • 1 – Protegido contra gotas que caiam na vertical
  • 2 – Protegido contra gotas que caiam na vertical com corpo inclinado a até 15°
  • 3 – Protegido contra borrifo de água
  • 4 – Protegido contra jorro de água
  • 5 – Protegido contra jatos de água
  • 6 – Protegido contra jatos potentes de água
  • 7 – Protegido contra imersão temporária em água de até 1 metro por 30minutos
  • 8 – Protegido contra a imersão contínua em água
  • 9K – Protegido contra água proveniente de jatos de vapor e alta pressão

Traduzindo para o português, o que o grau IP52 diz é que o 5404 Rugged é protegido contra a entrada de poeira e contra gotas (d’água) que caiam na vertical com corpo inclinado a até 15° ou seja, ele pode até tomar uma bela chuva desde que as gotas caíam por cima do portátil, esteja ele fechado…

… ou até com a tela levantada. Observe que nestes dois casos, a abertura da ventoinha fica por baixo, o que impede a entrada da água.

Assim fica claro que esse portátil só foi certificado para tomar chuva de maneira moderada (IP52) e não para receber borrifos (IP53), jorros (IP54) ou jatos (IP55) d’água, muito menos ser imerso num meio líquido por um curto (IP57) ou longo período de tempo (IP58) — Ah sim e nem pense em lavar esse portátil com seu Vaporetto (IP59K).

E como era de se esperar de um equipamento protegido contra a entrada de poeria, o acesso a praticamente todas as interfaces de entrada/saída do 5404 Rugged são protegidas por diversas portinhas com trava localizadas nas laterais e na parte de trás do equipamento:

 

Na parte de trás, podemos ver o slot para trava de segurança padrão Kensington

…que fica ao lado do painel traseiro…

… que abriga (a partir da esquerda) uma porta de rede Gigabit Ethernet, uma porta USB 2.0 Powered, outra serial (uia!) e uma saída de vídeo padrão VGA.

Mais a esquerda podemos ver a entrada de alimentação que é conectada á um conversor de energia Dell de 65 watts (que já acompanha o produto, mas que pode ser trocada por um modelo de 90 watts) com entrada bivolt de 100~240 volts CC e saída de 19,5 volts x 3.34 ampares.

Um detalhe desse acessório é que seu plug possui um anel branco iluminado, o que indica que a fonte está ligada na tomada e funcionando.

Já na lateral esquerda temos a saída combinada de entrada de microfone e saída de som (igual a dos smartphones), porta de vídeo padrão HDMI, slot para o cartão SIM (caso o modem WWAN esteja presente) e mais uma porta USB 3.0.

Mais ao lado (ou na parte da frente) do portátil, fica o compartimento da bateria que, ao contrário dos atuais modelos de varejo, ainda pode ser facilmente removida e trocada por uma nova sem o uso de ferramentas, basta soltar a trava interna e puxá-lo para fora:

O modelo analisado veio com uma bateria de seis células (65 Wh) mas também pode vir com uma versão mais potente de 9 células (97 Wh) padrão. Entre as outras opções estão os chamados modelos de longa duração de  6 células (58 Wh) ou de 9 células (87 Wh). Observe porém que, neste caso, “longa duração” não se refere a sua autonomia e sim a sua durabilidade/vida útil cuja garantida da fabricante é de 3 anos — por sinal a mesma garantia padrão desse portátil.

A propósito, ao remover a bateria podemos ter uma visão parcial do seu chassis interno de liga de magnésio que garante a rigidez estrutural desse equipamento:

Já no lado oposto, temos acesso ao slot Express Card /54 que infelizmente veio vazio (boo!)

Assim não pudemos verificar se ele ainda vem ou não com o cartão “dummy” mais útil do mercado já que, além de proteger o slot e seus contatos eletrônicos, também possui outras facilidades como funcionar como abridor de cartas, mini régua e gabarito de furos em milímetros/polegadas e uma curiosa escala de temperatura que ajuda a converter facilmente graus centígrados para fahrenheit e vice versa.

Trata-se de um toque bem típico do design utilitário da Dell concebida lá no Grande Estado do Texas!

Logo abaixo desse slot temos acesso ao compartimento que abriga o disco rígido de 2,5″ que também pode ser facilmente removido do portátil sem o uso de ferramentas.

Aqui podemos ver que o disco fica abrigado dentro de uma caixa de metal…

… e mantido no lugar com a ajuda de diversas peças de espuma de borracha que também ajuda a absorver choques.

… de fato, mesmo o seu conector SATA se liga com o portátil por meio de um cabo flexível que se move livremente dentro da caixa:

Vale a pena notar que esse produto também aceita discos SSD, sendo que a Dell oferece opções de 128 GB, 256 GB ou 512 GB, SSD SED mSATA de 500 GB (nosso caso) ou SSHD de 1 TB. Segundo o manual do usuário, o sistema ainda conta com dois slots internos padrão M.2 mas não conseguimos verificar se eles estão livres ou já ocupados.

Mais ao centro, podemos ver o slot para cartão Smart Card…

… e mais ao fundo outra porta USB 3.0, mais uma USB 2.0 Powered, slot para cartão SD e (aparentemente) um espaço para guardar um dispositivo apontador do tipo stylus.

Finalmente, o 5404 Rugged pode vir com gravador de DVD já integrado no gabinete. Algo que pode parecer meio antiquado nos dias de hoje, mas que ainda é muito apreciado por alguns usuários mais precavidos e adeptos da estratégia “caso de qualquer eventualidade…

No geral, muitos esses recursos só enfatizam o caráter utilitário do 5404 Rugged que procura incorporar o maior número de recursos para realizar suas tarefas da melhor maneira possível.

É como se ele fosse um veículo fora de estrada equipado com dois estepes, guincho, galão de combustível, faróis auxiliares, rádio comunicador, GPS, pá, picareta, bomba de bicicleta e até uma manivela para dar partida no motor.

Sob Testes:

Como dissemos antes, o 5404 Rugged não é exatamente um equipamento focado em desempenho e sim na sua capacidade de operar em diversos ambientes, por mais inclementes que eles possam ser.

Fora o teste da água onde ele operou sem problemas sob chuva, também estressamos a máquina usando o bom e velho Prime95, um notório programa criado para calcular números primos de Mersenne, mas que ficou famoso por estressar (e travar) muitas máquinas que outros testes não conseguiram, tornando-se assim um programa muito popular entre overclockers para verificar a estabilidade de seus sistemas.

O que fizemos foi rodar esse programa por 24 horas ininterruptas para ver se travava ou pelo menos sobreaquecesse. Mas como era de se esperar de um notebook de boa procedência, o 5404 Rugged não travou…

,,, mas para nossa surpresa, ele também não aqueceu muito. De fato a parte mais quente do portátil foi a saída de ar do cooler do processador que bateu apenas 48,4 °C …

… sendo que a parte mais quente do gabinete chegou a apenas 36,7 °C o que por sinal não incomoda o usuário mesmo que ele opere o sistema no seu colo:

De fato, até a fonte esquentou mais do que isso (40,9 °C):

Isso de um certo modo é resultado do uso de um processador Core ix do tipo U originalmente voltado para uso em Ultrabooks e que se caracteriza pelo seu baixo consumo e TDP de apenas 15 watts.

Já nos testes sintéticos como o Windows Experience Index (que está escondido no Windows 10 mas pode ser acessado por meio do utilitário Winaero WEI Tool) , o desempenho do 5404 Rugged foi muito bom — mas nada de arrepiar o cabelo — em especial por causa do desempenho modesto do seus gráficos para Desktop…

… e do disco rígido convencional de 5.400 rpm:

Seguem abaixo o desempenho do sistema no Cinebench R15

… no WebXPRT 2013

… e no WebXPRT 2015

E os testes com o PCMark 8 no modo Home Conventional

 

… e no Home Accelerated:

Aqui os testes de desempenho de bateria no modo Home Conventional

… e no Home Accelerated:

Aqui os testes com o 3D Mark cujo desempenho até que é bom para um notebook de linha para uso geral não voltado para jogos:

Aqui mais resultados do desempenho da bateria, agora com o PowerMark no modo de uso moderado (Balanced)…

… no modo de uso intensivo do processador (Load)…

… no modo de trabalho (Productivity)…

… e finalmente no modo de entretenimento (Entertainment):

O que esses números da bateria mostram é que a autonomia do 3404 Rugged não se encaixa no perfil de mobilidade extrema do tipo “all day computing” já que esse tipo de equipamento funciona muitas vezes conectado a uma fonte de energia externa (como na bateria do carro).

E mesmo que ele precise passar um período maior longe da tomada, esse problema pode ser facilmente contornado bastando para isso carregar algumas baterias adicionais que podem ser facilmente trocadas sem o uso de ferramentas — ao contrário dos atuais modelos de consumo.

Nossas conclusões:

Como já dissemos diversas vezes durante esse review, o Dell Latitude 5404 Rugged é um equipamento bastante específico criado sob medida para um público igualmente seleto, que passa mais tempo fora do escritório do que dentro dele.

Sob esse ponto de vista, o 5404 atende bem a esse público, já que ele incorpora algumas das melhores características dos modelos fully-rugged em um equipamento menor, mais jeitoso e cujo desempenho não fica atrás de um notebook de linha baseado na mesma plataforma.

Se comparados com os atuais notebooks de linha, o 5404 pode ser considerado um equipamento grande e relativamente pesado, mas ele tira proveito disso para oferecer aos seus usuários mais funções e recursos que hoje praticamente não existem (a não ser na forma de acessórios opcionais) como porta serial, SVGA, bateria e disco removível e até slot para cartões SmartCard e ExpressCard.

Assim esse equipamento se mostra bastante versátil, especialmente para profissionais de campo que precisam, por exemplo, se conectar com algum equipamento mais antigo ou temperamental — como uma impressora fiscal, balança eletrônica ou aquele equipamento de rede que só fala com o mundo exterior via emulador VT100/Hyper Terminal etc.

Com relação ao seu desempenho, o 5404 Rugged nos parece estar dentro do que poderíamos esperar de um computador de linha com processador da série “U” — o que já é algo bastante positivo nesse mercado de computadores especializados, cuja plataforma tecnológica nem sempre acompanha a dos modelos de consumo.

Talvez a nossa única crítica à esse produto é a resolução nativa da sua tela — 1.366 x 768 pixels — que pode até atender bem algumas aplicações dedicadas, mas para nós é pouco para uso geral já que, em algum momento no presente ou futuro, o usuário pode topar com uma janela que não “cabe” na tela do 5404. Na nossa opinião, achamos que a Dell poderia oferecer uma tela Full HD (1.920 x 1.080 pixels) pelo menos como opcional.

Fora isso, ficamos no geral bastante impressionados com o 5404 Rugged que pode até nem ser o note mais leve e estiloso do mercado, mas que oferece características e/ou qualidades importantes (para não dizer únicas) para o bom andamento do seu trabalho.

Digno de nota é o fato da Dell divulgar um preço de referência para esse equipamento no Brasil e até vendê-lo para o consumidor final, algo por sinal que o seu concorrente japonês nunca fez.

Legal né?

Resumo: Dell Latitude 14 5404 Rugged

O que é isso? Notebook semi-robustecido para uso geral e trabalho em campo.
O que é legal? Design moderno, versátil, bem protegido contra maus tratos, incluindo pó e até chuva moderada (só por cima, que fique bem claro).
O que é imoral? Resolução da sua tela poderia ser maior. O uso de policarbonato no gabinete pode passar uma sensação de fragilidade (o que não é o caso).
O que mais? A empresa já comercializa um modelo mais novo baseado do Core ix de sexta geração “Skylake” (veja o box no fim desse post).
Avaliação: 9,0 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: A partir de R$ 11.065 (versão com Core i5-6300U, 4 GB de RAM  e SSD de 128 GB)
Onde encontrar: Dell Brasil

Observação (muito) importante:

Ao fechar esse (loongo) review, notamos que a Dell Brasil já está comercializando no seu site uma nova versão do Latitude 5404 Rugged equipada com processadores Intel Core i5-6300U ou  Core i7-6600U de sexta geração codinome Skylake.

Como todos os nossos testes foram realizados num modelo equipado com chip de quarta geração “Haswell”, espera-se que o desempenho do produto tenha melhorado tanto na velocidade quanto na autonomia da bateria, de modo que acreditamos que o usuário que adquirir esse produto no site da Dell terá em mãos um produto um até melhor do que aquele que avaliamos — o que não é uma má notícia, né?

Apesar de que, como já dissemos antes, desempenho e bateria não são características que levam o cliente a adquirir esse tipo de produto, e sim a sua capacidade de trabalhar sob condições bastante adversas.

Boa notícia mesmo é constatar que nesse novo modelo é possível trocar a tela original de 1366 x 768 pixels por uma outra Full HD de 1.920 x 1.080 pixels, pagando um pequeno adicional, é claro,

Yaay!

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Conta Desativada

    Gostei da análise. Ótimo trabalho!