ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Review: Dell Latitude 10 Tablet

Voltado para o mercado corporativo, o Dell Latitude 10 Tablet pretende atender a demanda de empresas por um tablet versátil, utilitário, seguro e gerenciável.

Apesar do uso de tablets (ou mais exatamente, dispositivos móveis com e sem teclado) não serem novidade para o mundo corporativo, é fato que as empresas ainda olham com alguma reserva para os atuais modelos baseados em iOS/Android não porque eles são sejam úteis e sim por que eles não possuem certas características importantes para as grandes corporações, como segurança reforçada, durabilidade, conectividade e funcionalidade.

Por exemplo, um recurso muito importante para um tablet corporativo é que ele tenha um acabamento reforçado capaz de sobreviver a pequenas quedas, batidas e respingos de líquidos, além da sua tela ser luminosa o bastante para ser legível tanto dentro quanto fora do escritório. Fora isso, é recomendável que essas telas também possam trabalhar com um dispositivos apontadores do tipo stylus, tanto para ajudar a fazer rascunhos de desenhos, preencher formulários eletrônicos e até capturar assinaturas.

Outra característica interessante é a possibilidade de trocar sua bateria por outra carregada ou de maior capacidade já que nem sempre o usuário terá uma tomada à disposição ou tempo para esperar que o tablet recarregue.

Pelo lado do software o grande temor do departamento de TI das empresas é ter que dar suporte para diferentes sistemas operacionais que nem sempre são capazes de interagir com seus sistemas de autenticação/segurança, e isso sem falar no acesso e uso dos aplicativos da empresa, incluindo alguns bem antigos que nem foram desenhados para operar com uma tela touchscreen.

Sob esse ponto de vista, dois anúncios recentes estão ajudando a criar o que poderíamos chamar de uma solução ideal para tablets de negócios. A primeira foi a chegada dos novos processadores Intel Atom/Core ix de baixo ou baixíssimo consumo de energia, o que viabiliza a implementação da microarquitetura x86 em tablets e até smartphones.

IDFSP_2012_Ivy_bridge_ultra_Atom

A segunda foi a chegada do Windows 8 com sua interface  otimizada para uso com telas de toque mas que, ao mesmo tempo, mantém um grande nível de retrocompatibilidade com as versões anteriores, o que permite as empresas tirarem o máximo proveito dos tablets sem abrir mão da segurança, funcionalidade e capacidade de gerenciamento dos seus ecossistemas de TI.

tela_Inicial_do_Windows_8a

De um certo modo, isto é a adaptação/evolução da plataforma Wintel para o mundo dos tablets e o primeiro exemplar dessa nova espécie que apareceu aqui na Zumo-caverna para um review foi o modelo da Dell ou mais exatamente o Dell Latitude 10 Tablet (conhecido internamente como ST2).

Clique para ampliar

Ao contrário dos modelos com Android e Windows RT, o Latitude 10 Tablet é baseado na plataforma x86 “Clover Trail” da Intel ou mais exatamente no processador Atom Z2760 .

Dell_tablet10_falante2a

Trata-se de uma variante do SoC (System on a Chip) Penwell/Medfield, porém equipado com dois núcleos de processamento x86 com tecnologia Hyper Threading (= 4 threads), 1 MB de cache L2 compartilhado e clock de até 1,8 GHz. Essa idéia de um chip dual-core com HT já foi explorado no passado em outros produtos da casa como os Atom 330, D510, N550, entre outros.

Observe porém, que e ele ainda é um chip de 32 nanômetros (com previsão de diminuir para 14 nm em 2014) e já vem com um controlador de memória LPDDR2 800 (até 2 GB de stacked RAM). Fora isso, o Z2760 também incorpora alguns recursos de segurança do vPro, como o Intel Platform Trust Tecnology, Secure Boot e Hardware-Enhanced Encryption (AES) também usados no Medfield.
Dell_tablet_CPUZ

Sua aceleradora gráfica é um Intel GMA “Rogue” ou mais exatamente uma PowerVR SGX545 de 533 MHz que oferece suporte para DirectX 9.3L e capacidade de codificação/decodificação de vídeo em 1.080p e suporte para câmera traseira de 8 MP e frontal de 2 MP. Dell_tablet_GPUZ

Outro recurso interessante do Clover Trail é sua capacidade de consumir (muuuito) menos energia. Durante uma sessão secreta para analistas e jornalistas técnicos (incluindo este ZTOP) que ocorreu durante o último IDF 2012 em San Francisco, o pessoal de Santa Clara apresentou as fotos abaixo que representam imagens térmicas desse novo Atom em funcionamento (estado S0, à esquerda), no típico modo de stand-by (estado S6, ao centro) e num modo completamente inativo (S0i3, à direita). Note que as áreas mais quentes do processador são representadas pelas cores amarelo indo para o vermelho enquanto que as mais frias são representadas por tons de azul claro indo para o mais escuro.

Atom_Z2760_power_use_small

Segundo a Intel, a proposta desse chip é que ele permite rodar as versões mais completas do Windows 8/Windows 8 Pro (de 32 bits para desktops) em tablets e convertibles, proporcionando assim uma “experiência de uso completa” mesmo em equipamentos de menor porte, estabelecendo assim uma alternativa bastante competitiva para as plataformas com Windows 8 RT + processdor ARM.

Assim, voltando ao que interessa:

Medindo aproximadamente 27,4 x 17,7 x 1,05 cm (LxAxP) e 658~820 gramas de peso (dependendo do tamanho da bateria/acessórios adicionais) o Latitude 10 Tablet vem equipado com uma tela LCD de 10 polegadas que, a primeira vista, não difere muito dos seus concorrentes com sua grande borda preta e um tom de fundo cinza escuro típico do pessoal de Round Rock.

Dell_tablet10_overall2

Para os padrões atuais, o Latitude 10 Tablet pode parecer meio grande se comparado os populares modelos de 7 polegadas. Observamos porém que uma tela maior ainda oferece diversas vantagens como mais espaço para textos e gráficos, proporcionando assim uma experiência de uso bem mais confortável.

Dell_tablet10_comparado

E como dissemos antes, o Latitude 10 Tablet é um produto mais voltado para uso corporativo/negócios de modo que ele vem equipado com diversos controles e  portas de E/S o que, de um certo modo, determinou o seu design…

Clique para ampliar

… já que, a impressão que temos, é que os projetistas da Dell procuraram na medida do possível  mantê-lo o mais fino possível…

Clique para ampliar

… variando a sua espessura lateral apenas para acomodar os diversos conectores espalhados pela sua borda proporcionando assim uma boa ergonomia e uma pegada bastante confortável — e tudo isso sem abrir mão da sua versatilidade.

Clique para ampliar

Observe também que a parte de trás do tablet não é exatamente plano, possuindo dois níveis de altura.

Clique para ampliar

A tela do Latitude 10 Tablet tem resolução nativa de 1.366 x 768 pixels — praticamente um padrão entre os portáteis de entrada/mainstream vendidos hoje — e é protegida por uma camada de Gorilla Glass da Corning (yaaay!) e uma borda de liga de magnésio que reforça a estrutura do conjunto. Como é comum nos sistemas com Windows, a interface funciona melhor no modo paisagem…

Dell_tablet10_na_mao

… do que no modo retrato:

Dell_tablet10_vertical

Um detalhe que nos chamou a atenção nessa tela é que — ao contrário do que já vimos em outras telas de toque — sua interface multitoque é limitada a…

Dell_tablet10_multitouch_x4

… apenas cinco toques simultâneos (uia!). Notamos isso quando tentamos usar seis dedos ao mesmo tempo para desenhar linhas no MS Paint e apenas cinco delas apareceram na tela. Isso é bom? Ruim? Depende da aplicação, já que exceção feita aos aplicativos de tocar pianinho, acredito que cinco toques sejam o suficiente para a maioria dos casos — principalmente se levarmos em consideração que uma das mãos vai segurar o tablet enquanto a outra o opera.

Dell_tablet10_multitouch_x6

Como é padrão nos tablets com Windows, existe um botão de “home” na base da tela usado para voltar a tela inicial da interface metro do Windows 8.

Dell_tablet10_home_button

No lado oposto (ou mais exatamente na moldura superior) fica a câmera frontal de 2 MP usada para videoconferências. A direita podemos ver o LED de estado da câmera e o sensor que controla o brilho da tela de acordo com a luz ambiente.

Dell_tablet10_webcam

Ja na parte de trás fica a segunda câmera de 8 MP com iluminador a LED que deve ser útil para coleta de informações de vídeos e imagens para cadastro de pessoas e/ou materiais, leitura de código de barras, elaboração de relatórios de perícia, ocorrências, sinistro de seguros etc.

Dell_tablet10_camera

Interessante que na lateral do tablet logo acima da câmera podemos ver um array formado por dois microfones embutidos, usados para reduzir ruídos indesejados do ambiente melhorando a a qualidade da captação do áudio nas sessões de videoconferência e bate papo via VoIP.

Dell_tablet10_microfone

Na parte de cima também fica (a partir da esquerda) o botão que desativa a auto-rotação da tela, o botão de liga com seu LED de estado e uma entrada para cartão de memória flash…

Dell_tablet10_liga_rot

… padrão SD/SDHC/SDXC protegido por um cartão “dummy” que ocupa o espaço do cartão quando fora de uso.

Dell_tablet10_sd_slot

Já no canto esquerdo podemos ver uma saída de vídeo padrão mini HDMI, uma USB 2.0 padrão (uia!) e uma saída de som/microfone combinada como nos celulares.

Dell_tablet10_HDMI_USB_audio

Já no canto direito podemos ver o controle de volume e o slot para trava do chassis:

Dell_tablet10_vol

Na sua base podemos ver um grande conector multivias de desenho proprietário (booo!) por onde trafegam sinais de som, dados, energia, etc. que é usado tanto para se conectar com outros dispositivos externos (mais sobre isso adiante)…

Dell_tablet10_power_conn1

… quando para recarregar sua bateria por meio da uma fonte de alimentação (inclusa) de 19 volts x 1,58 amperes cujo conector também é…

Dell_tablet10_power_plug1

… (surpresa! surpresa!) de desenho proprietário!

Dell_tablet10_power_plug2

Isso pode incomodar alguns usuários já que isso faz com que — na teoria — o obriga a sempre que carregar o bloco transformador consigo nas suas andanças/viagens fora do escritório…

Dell_tablet10_power_conn2

… mas o interessante é que os engenheiros da Dell também equiparam esse tablet com uma segunda entrada de força (uia!) o que permite recarregar o equipamento usando qualquer fonte com saída USB Micro — a mesma usada em diversos celulares e tablets. Isso é uma grande sacada da empresa já que ela permite que o usuário carregue menos acessórios nas suas viagens além de proporcionar um “plano de contingência”  no caso do usuário esquecer o carregador original em casa. De fato, isso até permite (na teoria) que o tablet seja recarregado ligando-o a uma porta USB (de preferência “Powered”) de um desktop ou notebook.

Dell_tablet10_power_conn2

A parte de trás do tablet da Dell tem um acabamento anti-derrapante na cor preto fosco. O modelo que recebemos para teste é a chamada versão “Enhanced Security” que tem esse nome porque ele vem equipado com recursos adicionais de autenticação, segurança, proteção de dados e até rastreamento que são essenciais para algumas empresas e agências de governo.

Clique para ampliar

De fato, essa versão difere dos modelos mais mainstream por possuir um “ressalto” na parte de trás (que não existe na versão de linha)…

Dell_tablet10_calombo

… que abriga os módulos de segurança o um leitor de cartão SmartCard (embaixo) e o sensor biométrico para ler impressões digitais:

Dell_tablet10_smartcard_reader

Boa parte dela é dominada por um grande compartimento que pode ser aberto bastando para isso mover uma simples trava localizada na sua base. Note que a tampa é, na verdade, a bateria do tablet. Lembre-se que a possibilidade de troca da bateria pelo usuário é considerada uma das características desejáveis dos  tablets corporativos.

Dell_tablet10_back_aberto

O modelo analisado veio equipado com a bateria padrão de duas células de íons de lítio de 30 Wh (modelo FWRM8) que a Dell afirma ter uma autonomia estimada em aproximadamente 8 horas…

Dell_tablet10_battery

… mas a empresa também oferece um modelo de quatro células e 60 Wh (preço sugerido: R$ 209) que estende a autonomia para perto de 20 horas (segundo a fabricante) mas que adiciona um volume extra no portátil ao ponto de metade dela ficar para fora do gabinete:

 

Dell_tablet10_60Wh_battery

Dentro deste compartimento existe um pequeno slot para cartão Micro SIM para o modem 3G opcional.

Dell_tablet10_slot_SIM

Finalmente, em cada canto desta base, temos as saídas de som dos auto falantes internos do tablet:

Dell_tablet10_falante

Como era de se esperar de um equipamento para uso corporativo/negócios, o Latitude 10 Tablet tem a sua disposição uma generosa linha de acessórios e opcionais que vão de módulos com chip TPM, passando por adaptadores diversos, capas, docas e até um gravador de DVD!

Dell_tablet10_acessorios1

Dentre eles, tivemos a oportunidade de experimentar dois deles. A primeira foi a Doca de Produtividade Dell (preço sugerido: R$ 498), uma base de acoplamento/recarga para o tablet…

Dell_tablet10_doca1

Que funciona como um replicador/multiplicador de portas e que também integra alguns recursos adicionais não disponíveis no portátil. Notamos que o “encosto” do tablet é feito de uma sólida chapa de metal que não cede nem com reza brava, mas também o que esperar de um acessório desenhado no Texas?

Dell_tablet10_doca2

Por exemplo: Na parte de trás dela, podemos ver (a partir da direita) a entrada da fonte de alimentação de 30 watts (a mesma que acompanha o tablet), três portas USB 2.0 padrão (não mini/micro), uma porta de rede Gigabit Ethernet (uia!) e uma HDMI padrão.

Dell_tablet10_doca3

Na frente ainda temos uma porta USB 2.0 e uma saída de som/microfone combinado.

Dell_tablet10_doca_connector1

A conexão com o tablet é feito por meio de um plug/conector macho localizado nessa base…

Dell_tablet10_doca_connector

… que possui uma curiosa articulação de mola o que facilita o encaixe do tablet sem forçar/danificar o seu conector do tablet.

Dell_tablet10_doca_connector2

Assim é possível colocar/remover o tablet na base numa posição mais cômoda…

Dell_tablet10_encaixando

… sendo que ela naturalmente encosta na base num ângulo levemente inclinado:

Dell_tablet10_doca4 Dell_tablet10_doca5

Porém, o grande atrativo dessa base é que ela permite conectar o tablet na rede local via cabo, além de instalar diversos dispositivos USB ao mesmo tempo como pen drives, discos externos, gravador de DVDs e até mouse/teclado…

Dell_tablet10_desktop1

… permitindo assim que ele possa ser usado como um desktop totalmente funcional:

Dell_tablet10_desktop

Outro acessório opcional bem interessante é o Stylus para o Latitude 10 (preço sugerido: R$ 99) um dispositivo apontador na forma de caneta com tecnologia Wacom…

Dell_tablet10_stylus1

… que, ao contrário dos modelos com ponta de borracha, esta possui uma ponta fina e que funciona até sem encostar na tela e o clique de confirmação é dado por um botão na caneta.

Dell_tablet10_stylus5a

A grande vantagem dessa caneta é que ela permite um traço bem mais preciso, o que é bastante útil em aplicações gráficas, entrada de textos manuscritos — em especial assinaturas — um recurso particularmente interessante em aplicações de negócios.

 

Dell_tablet10_stylus2

Outra curiosidade dessa caneta é que sua ponta oposta também funciona na tela (uia!). Se o sistema for capaz de diferenciar essas pontas, seria possível por exemplo desenhar linhas com a ponta fina e apagar a mesma com o lado oposto.

Dell_tablet10_stylus3

Fora isso, o uso de uma ponta branca semi-transparente permite identificar o acúmulo de resíduos (minimizando assim a possibilidade de riscar a tela) e a boa notícia é que ela pode ser substituída pelo usuário e a Dell já inclui na caixa do produto cinco pontas extras (yaaay!)

Dell_tablet10_stylus4

Fora isso, a Dell também vende uma versão mais simples (um OEM da Targus com ponta de borracha capacitiva) pela bagatela de R$ 59:

Dell_tablet10_pena_targus

Como dissemos anteriormente, o modelo que recebemos para testes é a versão “Enhanced Security” equipado com processador Intel Atom Z2760, 2 GB de RAM, disco SSD de 64 GB, tela touchscreen com resolução nativa de 1.366 x 768 pixels,  Wi-Fi 802.11 g/n, sensor GPS, modem 3G , leitor de impressão digital e de cartão SmartCard. O sistema operacinonal é o Windows 8 Pro de 32 bits:

Clique para ampliar

Nos testes realizados, notamos que apesar do Latitude 10 Tablet funcionar praticamente como qualquer desktop/notebook de linha com Windows 8, seu desempenho é relativamente modesto. Isso pode ser visto de cara no índice de experiência do Windows, que bateu apenas 3,3 pontos. Se levarmos em consideração que um notebook de linha equipado com um Core i3 de 2,2 GHz chega a 4,6 pontos na pontuação geral e 6,6 pontos nos cálculos por segundo, o poder de processamento do Atom fica bem evidente. Dell_tablet_WinExp

E como esse Atom só roda programas de 32 bits, boa parte dos nossos benchmarks para Windows 8 (disponíveis apenas na versão de 64 bits) não rodaram do tablet da Dell, um dos poucos que funcionaram foi o PCMark 7:

Clique para ampliar

O novo 3DMark (apenas o Ice Storm):

Clique para ampliar

O Cinebench para 32 bits:

Clique para ampliar

E o Peacekeer da Futuremark — um teste de HTML5 rodando sobre o navegador Google Chrome:

Clique para ampliar

Para medir a capacidade desse para processar e converter vídeos, utilizamos o DVDFlick 1.3.0.6, que cria uma imagem de disco de filme em DVD a partir de um arquivo de vídeo (no nosso caso, três vídeos combinados numa única imagem em ISO). Neste caso, o Latitude 10 Tablet levou 12h11m38s utilizando apenas um thread do processador e 9h22m46s com todos os quatro threads — novamente um resultado próximo dos netbooks com Atom.

E finalmente para converter filmes em DVD para um arquivo em AVI usamos o Freemake Video Converter, um utilitário gratuito que tira o máximo proveito do hardware (incluindo distribuir a carga de trabalho por diversos threads e passar tarefas para a GPU). Com esse programa foi possível converter nosso mesmo filme de referência em 6h01m28s.

Nossas Conclusões:

Como pudemos ver, o Dell Latitude 10 é um equipamento versátil, bem construído, rico em recursos e que — de um certo modo — cumpre a promessa de levar o ecossistema do mundo dos PCs para o mundo dos tablets. Porém, fica claro que para se manter competitivo com as plataformas concorrentes baseadas em ARM — principalmente na autonomia da bateria — a relação de desempenho por watt do Atom Z2760 puxou tanto para o menor consumo que seu desempenho pode ser até bom para um tablet, mas é bastante modesto para um notebook de linha ou mesmo de entrada.

Com isso queremos dizer que esse produto atende bem as necessidades do usuários naquelas tarefas normalmente relegadas aos tablets — como preencher tabelas, capturar imagens e vídeos, tocar mensagens, fazer videoconferências e o mais importante, consumir conteúdo da web. Já nas tarefas que exigem um processamento mais intensivo como editar vídeos, sua experiência de uso é a mesma de um mini-note com Atom — ou algo que batizamos aqui na Zumo-caverna de Netbook 2.0 (o mercado consumidor, em máquinas como HP Envy X2 e LG Slidepad – que teve seu review cancelado aqui no ZTOP pelo Henrique por problemas com a máquina)

E isso sem falar na incompatibilidade com os programas e aplicações de 64 bits que, a cada dia, tornam-se mais comuns ao ponto da versão de 32 bits deixar de ser atualizado ou mesmo de existir.

Desse modo, se a intenção do usuário é de trocar seu notebook por um tablet com Windows 8. Nossa recomendação é que ele avalie muito bem suas necessidades computacionais antes de chutar o balde e cair de cabeça num Latitude 10 tablet.

Melhor: Adote um Latitude 10 para usá-lo como tablet e deixe o notebook guardado em casa para as tarefas mais pesadas. :-)

Resumo: Dell Latitude 10 Tablet

O que é isso? Tablet de uso geral com Windows 8 Pro, voltado para o mercado corporativo.

O que é legal? Excelente padrão de construção e acabamento, plataforma flexível, rico em recursos e pode até funcionar como um desktop com Windows.

O que é imoral? Desempenho modesto. Só roda programas e aplicações de 32 bits.

O que mais? Empresa oferece uma versão especial com segurança reforçada.

Avaliação: 7,0 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.

Preço sugerido: A partir de R$ 2.401  — modelo analisado R$ 2.801 sem contar a doca de produtividade (~R$ 498) e a pena da Wacon (~R$ 99) .

Onde encontrar: www.dell.com.br

Ainda em tempo: Para atender ao mercado de SMB, profissionais liberais, autônomos, acadêmicos/estudantes e até usuários finais, a Dell também comercializa uma versão “Lite” do Latitude 10 tablet  (embaixo) que mantém boa parte das características básicas da versão de linha  — mesmo processador, memória, disco, tela, câmeras, etc. — mas que abre mão de “opcionais” como modem 3G, GPS, suporte para caneta Wacom e até a bateria removível. Dell_tablet10_lite1 Seu preço sugerido no dia do fechamento desse review (11/ago) era de ~ R$ 1.899 enquanto que as versões de linha começam a partir de ~ R$ 2.400. Um comparativo mais detalhado desses dois modelos pode ser visto aqui.

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.