ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Review: Dell Inspiron Duo

O novo Dell Inspiron Duo é um interessante exercício de design que combina a utilidade dos netbooks com a praticidade dos tablets.

De um certo modo, o protótipo do Inspiron Duo foi um dos produtos que mais chamou a atenção do público durante o último IDF em 2010, criando assim uma grande expectativa por parte dos consumidores sobre o que esperar desse equipamento, sensação também passada pelo pai da criança:

Na minha opinião, devemos ser um pouco cautelosos na maneira como descrever esse produto, já que muitos podem ter ficado tão encantados com a apresentação do Duo que podem começar a lhe atribuir qualidades que podem não corresponder a realidade. Sendo simples e direto, esse equipamento não é um tablet com teclado e sim um netbook que pode funcionar como tablet, algo por sinal que já existe a alguns anos no mercado sob o nome de convertible.

Dito isso, podemos partir para uma avaliação mais realista desse produto e de seu potencial tanto como computador quanto como tablet.

Medindo aproximadamente 28,5 x 2,8 x 19,4 cm (LxAxP – fechado) e 1,5 kg de peso, o gabinete do Inspiron Duo é dono de  linhas simples e discretas. O modelo que recebemos para análise é da cor preta (para nós cinza-escuro) apesar de que ele também estará disponível por aqui nas cores vermelho e azul.

Para fugir um pouco da monotonia do visual, sua a tampa superior — ou mais exatamente a parte de trás da tela basculante — possui um um interessante grafismo na forma de “Y”.

A boa notícia é que fora a tela, praticamente toda a superfície externa do Duo é recoberta com um material levemente emborrachado e de acabamento fosco (yay!), proporcionando assim uma pegada mais firme do portátil, o que faz todo sentido para um equipamento de pode passar um bom tempo sendo carregado de cá pra lá.

Já aberto, o Duo tem o “look and feel” de um netbook padrão ou seja, não estamos tratando aqui de improvisações ou quebra-galhos, o que garante uma experiência de uso bastantante agradável naquelas aplicações do dia a dia como trocar mensagens, elaborar documentos, navegar na Internet etc.

Com relação às suas especificações técnicas, o Duo vem equipado com um processador Intel Atom N550 dual-core de 1,5 GHz e 1 MB de cache L2 com HT. Na prática, ele se comporta como um chip quadcore, o que garante uma maior agilidade e tempo de resposta em aplicações multitarefa.

Assim como todos os processadores Atom Pineview, a aceleradora gráfica do N550 já vem integrada ao núcleo do processador e é uma Intel GMA 3150, o mesmo usado nos Atoms D410/D51o para desktops.

Como já sabemos as GPUs dos Atoms atendem bem às necessidades computacionais do dia a dia, mas não são nenhum expoente em termos de desempenho gráfico. Para contornar esse problema a Dell equipou o Duo com um acelerador de mídia Crystal HD Video Decoder da  Broadcom, provavelmente baseado no chip BCM 70015. Fora isso o sistema vem equipado com 2 GB de memória DDR3, disco rígido SATA de 320 GB/7.200 rpm e o sistema operacional incluso é o Windows 7 Home Premium.

Ao contrário da parte externa, o interior do Duo tem uma boa apresentação com seu descanso de mãos/touchpad em metal escovado…

… e um teclado que segue a moda do estilo “chiclete”  com seus botões planos e bem espaçados, o que ajuda muito no caso desses teclados de netbooks.

O que realmente me chamou a atenção é que, a exemplo do que a Lenovo já tinha feito no seu ThinkPad Edge, as teclas de função do Duo tiveram suas “funções invertidas”: para se ter acesso à tecla F2 é preciso pressionar Fn+F2, e outras funções antes consideradas secundárias (ou menos utilizadas), como ligar/desligar o Wi-Fi ou o controle de brilho da tela ou os comandos de multimídia, podem ser acessados diretamente sem o uso da tecla Fn.

Antes de torcer o nariz para essa novidade, a Dell explica que essa mudança pode ser revertida na BIOS ou por meio de um utilitário que pode ser baixado no site da empresa.

Note também que como nos novos portáteis da Lenovo, a tecla Scroll Lock e Pause deixaram de existir (pelo menos fisicamente).

Em contrapartida, a Dell deve ter ouvido a choradeira de alguns usuários (incluindo eu) e voltou a colocar alguns indicadores luminosos, como o do Caps Lock…

… e para indicar o uso do disco rígido (yaaay!!!)

Note que esse LED fica ao lado do indicador de liga/desliga que também serve para informar que sua bateria está sendo recarregada.

Mas como já foi dito no início desse texto, o grande atrativo do Duo é o fato dele ser um convertible.

Sua tela pode rebater sobre o teclado permitindo que o mesmo possa ser usado como um tablet. Esse conceito em si não é muito novo, mas ainda relativamente raro por aqui — principalmente em netbooks.

O que fez o portátil da Dell se destacar da multidão é a maneira como sua tela se movimenta, já que ao contrário dos seus concorrentes com tela que gira em relação a uma articulação central, a tela do Duo gira dentro da sua própria moldura de uma maneira simples e menos contorcionista.

Sob um certo ponto de vista, essa solução de design lembra muito a usada no Vadem Clio de 1999 (veja algumas imagens dele aqui, aqui, aqui e aqui).

A tela gira ao redor do seu eixo horizontal ficando na posição correta graças ao uso de ressaltos existentes na parte interna da moldura de fora. Interessante notar que não existe nenhum botão que trave/libere o movimento da tela já que isso é feito por meio de magnetos presentes nos da moldura interna. Simples e elegante.

Isso resulta num equipamento que mais parece com um tablet do que com um notebook com a tela rebatida por cima.

Interessante notar que o Duo vem equipado com seu próprio sensor de movimento/orientação magnética (= bússola eletrônica), modelo ST DL303DLH da ST Microelectronics e que permite que ele corrija a orientação da tela automaticamente como num tablet ou smarphone.

Entrentanto, nos parece que esse sensor está montado na sua placa-mãe o que faz com que o controle de rotação da tela seja baseado na posição da base e não da tela. Isso faz com que no modo “porta-retrato” o Duo até funcione de maneira correta assim:

Mas não da maneira que para mim é a maneira mais lógica (embaixo). De qualquer modo, esse problema pode ser corrigido ajustando manualmente a orientação da tela no painel de controle do driver de vídeo.

A tela do Duo é do tipo LCD/LED de 10,1 polegadas e resolução nativa de 1.366 x 768 pixels — o que é muito legal já que o normal para uma tela esse tamanho é em torno de 1.024 x 600 pixels o que permite reproduzir vídeos em 720p. Apesar disso, acho ela um pouco pequena se comparado com o resto do conjunto o que é mais notado quando ela está totalmente preenchida com tons claros. Segundo a Dell, por enquanto não existem planos de lançar uma versão do Duo com tela maior.

Só para se ter uma idéia a moldura ao redor da área útil da tela LCD varia de 3,05 ~ 3,5 cm. De qualquer modo o lado bom dessa história é que esse espaço extra foi bem usado para acomodar um teclado maior e mais confortável que os modelos convencionais com tela de 10.1 polegadas.

Interessante observar que essa tela sensível ao toque é do tipo capacitivo (com suporte para multitoque) e não resistivo, como era mais comum no passado.

À primeira vista, essa decisão de adotar uma tela capacitiva nos parece ser sensata se imaginarmos o modelo de uso de um tablet. O problema e que como o Duo vem equipado com Windows 7 e muitos de seus elementos gráficos  foram feitos para serem controladas pvia mouse e não com a ponta dos dedos.

Se você já tentou preecher um talão de apostas da Sena ou da Loteca com um giz de cera você deve ter uma idéia do que estou dizendo. Caso contrário dê uma olhada no vídeo abaixo e note como o as vezes o dedo “erra a pontaria” na hora de sair da aplicação, o que pode passar a errada impressão de que o sistema não está funcionando direito:

Ztop in a Box

Para tirar melhor proveito dos seus recursos de tablet a Dell inclui um pacote de software batizado de DuoStage que pode ser ativado pressionado-se um ícone da barra de tarefas ou automaticamente quando giramos a tela para o modo tablet. Esse programa funciona como um gerenciador de aplicações com suporte para interface de toque.

O MusicStage é um gerenciador e player de músicas que oferece alguns serviços on-line como o Napster ou RadioTime que possui uma interessante interface visual onde as estações são nostradas sobre um globo em 3D que você gira com o toque. Ela por sinal pode ser vista no vídeo promocional da Dell mostrado no início desse review.

O PhotoStage é um gerenciador de imagens que permite compartilhar o seu conteúdo com diversos serviços on-line como o Flikr e Facebook. Ele também tem a funcão de slide show o que permite usar o Duo como porta-retratos digital.

O Books é um leitor de livros eletrônicos que incorpora um serviço de download de títulos tanto pagos quanto gratuitos. Uma alternativa para esse serviço poderia ser a instalação do Kindle para PC. Observamos porém que pesando 1,5 kg o Duo é bem mais pesado que um Kindle DX (~536 gramas) o que pode cansar o braço de alguns usuários.

O Paint ou mais exatamente o YouPaint é um utilitário de desenho/pintura da Cyberlink com suporte para touchscreen e que pode ser uma interessante ferramenta de interação entre pais, educadores e crianças.

Já os ícones de Internet e Games nada mais é que um link para o Internet Explorer e a pasta de jogos do Windows 7 respectivamente.

Para quem não sabe, o Windows 7 também oferece um teclado virtual para uso no modo tablet.

Como era de se esperar num portátil, o Duo vem equipado com uma webcam de 1,3 MP e um microfone (à direita) que fica montado na parte interna da moldura da tela. Imagino por que a Dell não embutiu a webcam na tela LCD basculante já que como vimos acima, espaço na moldura existe (e bastante).  Se isso fosse feito tornaria o uso do “modo tablet” ainda mais versátil permitindo por exemplo fazer chamadas de vídeoconferência como no FaceTime da Apple.

Acredito que o mesmo possa ser dito do seu sensor de luminosidade do ambiente (que controla o nível de brilho do LCD) que funciona somente no modo “netbook”.

Se comparado com outros portáteis da Dell, a base do Duo é bastante limpa e não me parece ser tão fácil de ser aberta para dar acesso aos seus componentes internos, como pentes de memória ou disco rígido.

O curioso é que ao remover o que parece ser o compartimento da bateria não temos acesso a ela, o que obriga o usuário a ter que levar a máquina para a assistência técnica da Dell caso seja necessário fazer alguma manutenção. Segundo o fabricante a bateria do Duo é um modelo de quatro células de 29Whr com autonomia estimada em até 3h57m.

Também notamos que esse compartimento abriga um slot para cartão SIM, o que indica que esse modelo já está preparado para trabalhar com redes 3G. Segundo a Dell, não adianta o usuário tentar colocar um cartão nesse slot porque a placa de modem (nem sua antena interna) não estão instaladas. E, por enquanto, não existem planos de lançar um Duo 3G no Brasil.

E esse visual “clean” também se reflete nas suas portas de entrada e saída, ou mais exatamente na inexistência delas. Do lado direito vemos apenas o botão de liga/desliga e à direita uma das saídas de som do seu sistema de alto falantes estéreo de 1 watt cada.

Do outro lado vemos o segundo alto-falante, a porta de acesso para as portas USB e de som e a entrada para a fonte de alimentação de 19 volts x 1,58 A.

Uma coisa que nos chamou — e muito — nossa atenção é o pequeno número de portas de entrada e saída oferecidas pelo Duo: apenas duas portas USB 2.0 e uma saída de combinada de som estéreo + microfone:

E cadê o resto? Bom, internamente o Duo vem equipado com uma interface Wi-Fi 802.11b/g/n, Bluetooth, sensor de localização da SkyHook e até uma porta Ethernet sem acesso externo. A impressão que fica é que a intenção da Dell era que seu equipamento fosse o mais otimizado possível para mobilidade, abrindo assim mão de diversos recursos que fugissem desse foco.

Mas para atender àqueles que realmente precisam desses recursos “ausentes” a junto com o lançamento do Inspiron Duo, a Dell também lança o chamado Audio Station, uma base de acoplamento que transforma o Duo numa espécie de central de entretenimento para áudio e vídeo e que se comunica com o portátil por meio de um conector presente na base.

Interessante notar que quando instalado nessa base, o Duo também pode funcinonar como relógio despertador (e com direito a fundo de tela animado), algo que já vimos no passado no Motorola Milestone.

Essa base vem equipada com alto-falantes JBL (2 falantes + subwoofer), leitor de cartão de memória Flash 7 em 1, duas USB 2.0, saída de áudio, porta de rede fast Ethernet e entrada para fonte de alimentação. Segundo a Dell, esse acessório poderá vir incluso em algumas ofertas de configuração do Duo ou vendido como opcional.

Eu não sei se isso era intenção do pessoal da Dell, mas foi interessante descobrir que é possível instalar um mouse e teclado com porta USB (que pode ser até sem fio como no modelo abaixo) no Audio Station, o que permite usar o Duo como se fosse um PC de mesa ligado na rede local via Ethernet e ainda sobra uma porta USB livre para ligar uma impressora, leitor de CD/DVD ou mesmo um disco externo.

Obviamente, tanto esses periféricos quanto o teclado e mouse sem fio devem ser adquiridos separadamente.

Sob testes

Nos testes realizados o Inspiron Duo bateu 2,7 pontos no índice de Experiência do Windows. Segundo a métrica da Microsoft, estar próximo aos 3 pontos é o mínimo necessário para se ter uma boa experiência de uso do Windows Aero. Isso pode parecer pouco mas é um desempenho que está na média para um portátil com Atom dual-core.

Nos testes com o HDxPRT da Intel, que mede a experiência de uso em alta definição bateu 32 pontos, novamente dentro da média de um sistema com Pineview dual-core como a placa-mãe D510MO (analisada por esse Ztop).

Nesse momento alguns leitores podem estar pensando se o desempenho de multimídia do Duo não poderia ter sido melhor, já que ele vem equipado com um acelerador de mídia da Broadcom. Para tirar essas dúvida, realizamos dois testes de reprodução de vídeo, primeiro com o trailer do filme Star Trek (um vídeo no formato .mov em full HD) executado do Windows Media Player…

… e depois com o temido documentário “From Pole to Pole” (um .mkv em full HD)  rodando no Media Player Classic Home Cinema:

O que esses testes mostram é que o acelerador de mídia da Broadcom funciona bem, mas ele não me parece ser 100% compatível com todos os padrões de vídeo do mercado — em especial aqueles mais anárquicos como o .mkv e suas diversas variações —  de modo que o usuário precisa estar ciente que poderá haver casos em que o desempenho de vídeo pode variar de acordo com o padrão adotado.

Com relação aos outros resultados, o Duo bateu 40 pontos no Sysmark 2007 Preview 1.05 e 1.378 pontos no PCMark Vantage. No AutoGK 2.45 a placa da Intel levou aproximadamente 4h8m25s para transformar um filme em DVD para um arquivo AVI de 700 MB. O processo oposto (criar uma imagem de DVD a partir de três arquivos de vídeo) feito com o DVDFlick 1.3.0.6 foi de 14h24m12s utilizando um thread e 11h46m18s com quatro threads.

Ah sim, o Super Pi do David Lopes:

 

Nos testes de autonomia de bateria realizadas com o Battery Eater 2.7 — graças à sua bateria de 6 células — o sistema funcionou por aproximadamente 2h09m032s, uma autonomia na média perto do que já vimos em equipamentos de seu porte.

Nossas conclusões:

No geral ficamos bastante impressionados com o hardware do Duo em especial pelo fato dele ser um dos poucos — se não o único — netbook do mercado nacional a vir com processador dual-core.

Mas mesmo com seus dois núcleos rodando a 1,5 GHz, isso não transforma o Duo numa workstation móvel, muito menos numa ilha de edição de video e sim em um equipamento que vai fazer de maneira um pouco mais ágil tudo aquilo que já fazemos num notebook de linha com Windows e até um pouco mais se levarmos em consideração a sua aceleradora de mídia da Broadcom, bluetooth de linha, sensor de movimento, sua tela capacitiva etc.

Entretanto, não poderia deixar de citar o meu estranhamento ao ver que o Duo vem apenas com duas portas USB e uma saída de som para microfone/fone de ouvido, apesar de que esse problema pode ser contornado com o uso do Audio Station ou mesmo de uma replicadora de portas. Acredito que os engenheiros da Dell resolveram abrir mão desses recursos em nome de uma plataforma mais parecida com um tablet, mas não saberia dizer se todo mundo compartilha da minha opinião.

O que realmente pega nesse produto nem é o hardware da Dell e sim no seu software, já que o Windows 7 apesar de funcionar muito bem no modo netbook, não mostrou ser lá muito eficiente no modo tablet por dois motivos: o primeiro por que ele  foi feito para trabalhar com stylus e não com a ponta do dedo (o que faz com que executar alguns comandos seja um verdadeiro exercício de tiro ao alvo) e a própria oferta de software para tablets com Windows é bastante limitada.

A Dell de um certo modo até tenta segurar a barra oferecendo alguns utilitários próprios como o DuoStage, mas ele só cobre o básico e não vai ser isso que vai convencer um potencial consumidor de tablet a partir para um Duo. Uma possível solução para esse dilema poderia estar no uso (ou a adição via dual-boot) de outro SO mais otimizado para tablets como o Android e, por que não, o Meego?

Mas com o devido suporte de software, acreditamos que o Inspiron duo também possa atender a outras demandas específicas do mercado — em especial nas áreas de saúde, pesquisa/coleta de dados ou automação comercial — cujas atividades muitas vezes exigem que uma pessoa tenha que operar um computador de pé como se fosse uma prancheta eletrônica. E se levarmos em consideração que por aqui as ofertas de convertibles são raras e nem sempre baratas, o Duo deve ser uma opção a ser considerada.

 

Resumo: Dell Inspiron Duo

O que é isso? Netbook “convertible” de uso geral baseado no processador Intel Atom N550 de 1,5 GHz.

O que é legal? Plataforma moderna. Belíssimo design.

O que é imoral? O Windows 7 não interage muito bem com a tela capacitiva, pouca oferta de software para uso específico com tablets e não oferece saída para monitor externo/projetor multimidia nem como opcional.

O que mais? Disponível nas versões com e sem docking station.

Avaliação: 6,5 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.

Preço sugerido: a partir de R$ 1.899

Onde encontrar: www.dell.com.br

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Rodrigo_Reis

    cara, não ter uma saida de video nele tudo bem, mas neste DOCK não ter uma VGA ou HDMI é uma puta falta de sacanagem. Estava altamente empolgado de te-lo como meu "HTPC".

  • Rodrigo_Reis

    Pensando bem, tendo um serviço DLNA nele conseguiria assistir na Minha TV ou no PS3.

    Bom, agora só falta resolver a questão do preço 🙂

  • Ligeirinho

    Vou indicar a um amigo meu, desenhista. Ele está louco atrás de um tablet com Windows, tanto que quase pegou um daqueles genéricos chineses.

  • Ajr

    Imoral é pouco, rapaz nada é perfeito mesmo, windows 7 é o fim da picada, essa foi para esculhambar um aparelho bem legal, se viesse com o Android seria outra coisa. Até quando viveremos com a presença nefasta desse sistema operacional lixo. Espero que a Dell acorde e se livre dessa bomba de uma vez por todas.

  • Henrique Rodriguez

    Gostei bastante desse netbook… Só não gostei muito do preço, mas é MUITO inferior ao Latitude XT2 por exemplo (R$ 7.999). Já é alguma coisa… Eu não esperava que ele reproduzisse Full-HD, mas como foi dito que depende do formato, como ele roda os formatos .avi e .mp4?

  • Pingback: Novo Notebook Dell que vira tablet. | OC Blog()

  • Pingback: Dell Inspiron Duo: netbook que vira tablet chega ao Brasil «()

  • Poderiam fazer um review do Asus EEE PC T101MT? Já começou a vender na FNAC por 1800 reais. (Atom N450 1,67 GHz, 2 GB RAM, 250 GB 5400 RPM, Windows 7 Home Premium de 32bit)

  • Olá Pessoal,

    Estou entrando em contato contigo representando meu cliente Dell Computadores, uma das maiores empresas de informática do mundo.
    Navegando pelo seu site observei importantes informações relacionadas ao website do meu cliente, mais especificamente na página http://ztop.com.br/2011/03/10/review-dell-inspiro… Gostaria de saber se é possível adicionar ou alterar o link http://www.dell.com.br/inspiron-duo na sua página que mencionei acima ou em qualquer outra parte do seu website.
    Agradeço pelo retorno deste email dizendo se será possível e/ou com eventuais solicitações que possam ser necessárias

    No aguardo.
    Muitíssimo obrigada,
    Cristiana Wright
    Links Strategy Executive
    T: +44 (0)1904780040 ext 312
    F: +44 (0)1904 787401 http://www.keywordfluency.com
    cristiana.wright@keywordfluency.com

  • Pingback: Review: desktop AOC EVO 9223PS All-in-One — ZTOP ZTOP()

  • Pingback: Windows 8: Microsoft mostra nova cara do sistema operacional — ZTOP ZTOP()

  • Pingback: Review: Asus eee PC Seashell 1015PEM — ZTOP ZTOP()

  • Pingback: Review: Notebook Positivo Premium N8660()

  • Ayslan

    Gostaria de saber se a DELL vai criar um NOTEBOOK/TABLET? Porque eu não estou interessado em NETBOOK. (SE POSSIVEL RESPONDA NO MEU EMAIL)

  • Edson Nogueira

    Muito bom este review só ficou uma duvida no ar, naturalmente estes Netbooks ATOM eles aquecem muito por exemplo tenho um Itautec w7010 que não tem ventoinha para refrigeração a exaustão do ar quente do processador sai por uma abertura na lateral e de tempos em tempos ele apaga. Se você estiver no ar condicionado isso não vai acontecer mas em uso externo principalmente onde moro que fica no SERTÃO BRABO Baiano onde sofremos muito com a temperatura, como ele se comporta aquece muito a refrigeração e eficiente ? Temperaturas entre 28 e 34 graus ? Nestas temperaturas aqui a gente so usa bem os Macbooks que se comportam muito bem independente de parecerem delicados e branquinhos guentam mesmo !

  • Pingback: Lenovo IdeaPad Yoga: Ultrabook conversível roda Windows 8()

  • Calito Dias

    Já tenho o meu,,, xtou a gostar,,, mas como resolver o problema da projecção??????

  • Eduardo Mesquita

    Mário, boa noite.

    Tenho algumas dificuldades no uso desse equipamento e parace que a DELL simplesmente deixou de vendê-lo no Brasil e, portanto, não consigo informações via atendimento ao consumidor. Você sabaeria me dizer o pq da interrupção da venda no Brasil?

  • Pingback: Review: Dell XPS 13 Ultrabook()

  • Graziela

    Tenho um. Sofri pela falta de saída pra projetor multimídia, já que é o que mais preciso (precisei recorrer a um adaptador de porta USB para outros tipos de saída), precisei comprar uma stylus, e ainda assim me sinto preenchendo a folha de apostas com giz de cera (daqueles bem grossos) na função tablet e fui me meter a inserir o chip da operadora no slot, pois achei que estava preparado para funcionar. Tentei inserir, não entrava de modo algum, mas uma pequena empurradinha e lá foi meu chip para dentro do Inspiron Duo… está lá desde o ano passado, tive que trocar de chip e á época, entrei em contato com a Dell para resolver o problema. Apesar de estar na garantia, tinha que pagar uma fortuna por uma visita técnica para desmontar o Duo e tirar o chip… Ainda bem que a operadora resolveu e por 10 reais (mais o adaptador e a Stylus, comprados no Mercado Livre), tenho um netbook ´invocado´. Como net, ótimo, mas como tablet, realmente, deixa a desejar.

  • Rafael

    Olá!

    Preciso de uma ajuda…
    O meu duostage não veio com a aplicação books…
    como posso fazer para baixá-lo ou instalá-lo..

    Muito obrigado

  • Adam

    Quem passar aqui por agora…
    Aconselho fortemente instalar o WINDOWS 8, não esquecendo de colocar os drivers do Dell depois, e um driver Samsung para acelerômetro, basta pesquisar (no youtube tem vários videos do Duo com W8), assim vai ver uma mudança de performance incrível na função tablet, não parece o mesmo inspiron duo, muda 100% pois o windows 8 e sua plataforma metro é para tablet, sendo assim até a resposta está mais rápida, podendo fazer o movimento da pinça para zoom em aplicativos metro de forma bem fluida, além de deslizar as páginas da internet, pdfs, etc… e os aplicativos específicos para tablets w8… e consequentemente o aparelho também fica mais rápido.